91 views 7 mins

Área da educação aposta em tutoria on-line para nivelar qualidade do ensino

em Destaques
domingo, 19 de junho de 2022

Thaís Benedetti (*)

Como todos presenciamos, a educação acelerou o seu processo de digitalização. Com isso, o ensino híbrido – que mescla aulas on-line e presenciais – ganhou destaque, bem como o uso de metodologias que personalizam a experiência do aluno com o aprendizado. Esse movimento intensificou algumas discussões, como a importância da aprendizagem personalizada.

Assim, a aprendizagem adaptativa ganha mais corpo a cada dia e tem acentuado a importância dos recursos tecnológicos que a fomentam, como é o caso da tutoria on-line. Afinal, o que é personalização na aprendizagem? É um método de ensino sob medida, com o objetivo de reforçar os pontos fortes dos alunos e de prestar atenção às necessidades deles, como desníveis e lacunas de aprendizado.

Além disso, também se preocupa com os interesses dos estudantes, focando em proporcionar um ensino da forma que o aluno gostaria de ser ensinado. É um mecanismo que se preocupa em habilitar a voz do estudante, de maneira que ele escolha no que, como, quando e onde aprender. Assim, ao considerar características individuais, respeitando os talentos e limites da pessoa em questão, o estímulo sobre o aprendizado aumenta, pois a experiência se torna mais significativa e agradável.

O ensino personalizado não é individualista, ou seja, não isola o aluno. Na verdade é o contrário, pois ele é preparado para ter um melhor desempenho quando em sala de aula. Isso porque, com trabalho das suas competências e habilidades específicas para solucionar as dificuldades apresentadas, o desnível pedagógico é diminuído e ele consegue acompanhar os outros colegas sem dificuldades.

Além disso, a aprendizagem personalizada desenvolve no aluno habilidades sociais também, como:

• Melhora da autoestima;
• Ganho de confiança nos estudos;
• Aumento do interesse pela escola;
• Melhora das habilidades de organização;
• Desenvolvimento de habilidades de resolução de conflitos;

Todos esses benefícios fazem da sala de aula um ambiente mais colaborativo, o que facilita o trabalho docente. É a ideia de fortalecer cada um para potencializar o grupo.

Entretanto, sem dúvidas, o ensino adaptativo se distancia da vertente tradicional de aprendizagem, em que existe a figura do professor como detentor do saber e o estudante tem apenas um papel passivo. Para entendermos melhor como esse olhar está ultrapassado, peguemos o exemplo de um jovem que é ensinado de forma híbrida:

• A sua independência e individualidade são muito mais requisitadas para ele se dividir entre as aulas presenciais e on-line;
• O modo como organiza os estudos é diferente, já que ele pode gerenciar melhor o tempo;
• Até a aplicação do saber são diferentes se comparadas a um cenário que envolve apenas a sala de aula.

Isso não é uma mudança ruim, pelo contrário! Trabalha muito mais competências e habilidades que de fato são cobradas na sociedade e no mercado de trabalho.

Para que o aluno se entenda como parte ativa e importante no processo de ensino-aprendizagem, o uso da tecnologia é fundamental. Os estudantes pertencem a uma geração de nativos digitais, ou seja, eles já nasceram conectados. Conhecem a tecnologia desde cedo e ela já faz parte deles, não conseguem viver sem.

Assim, eles a utilizam para toda a comunicação, lazer e estudos. Com isso, usar os recursos tecnológicos na educação é falar a linguagem dos jovens, o que permite uma maior interação e fixação do conteúdo aprendido. Nesse sentido, a tutoria e o reforço são os caminhos mais eficientes para suprir estas demandas utilizando novas tecnologias.

Seguindo o princípio da personalização do aprendizado, essa técnica incentiva o estudo, já que promove uma atenção direta ao estudante nos pontos em que ele mais sente dificuldade, o que, consequentemente, gera a superação e a motivação.
Os reflexos também podem ser sentidos na própria sala de aula; quando o tutor detecta a defasagem de conteúdo, ele trabalha uma abordagem específica para resolver o problema, possibilitando que o aluno acompanhe as aulas com maior aproveitamento e eficiência.

Portanto, estamos falando de uma experiência personalizada, que não focaliza esforços de forma aleatória e com estratégias ineficazes. O eixo dela está em identificar e atacar as principais dúvidas e dificuldades dos estudantes, sendo um braço da personalização do ensino. Além disso, é um acompanhamento humanizado, pois o tutor é uma pessoa que atende com simpatia e conhece as lutas e dificuldades da sala de aula.

Outro fator interessante é que o estudante se identifica com o tutor, uma vez que este já passou pelo caminho que o aluno está percorrendo agora. Em alguns casos, está até no curso desejado pelo estudante. Tudo isso faz o jovem se sentir amparado e convencido de que ele é especial no ambiente de ensino e não apenas um reduto de informações externas.

O Brasil é um país que apresenta um sistema educacional extremamente pautado pela desigualdade, por isso, meios que promovem a personalização da aprendizagem podem cumprir uma importante função na diminuição das assimetrias da área.

Para atingir essa meta, plataformas de tutoria online e a tecnologia educacional têm se mostrado aliadas na missão de garantir uma educação mais inclusiva e democratizada e que valoriza cada aluno do território brasileiro.

(*) – Bacharelado em teologia, pós em Docência do Português pela Descomplica e coordenadora de redação na TutorMundi, possui o canal Gamescrever, que utiliza a gamificação como metodologia de aprendizado (https://tutormundi.com/).