Algumas dicas para gerenciar melhor as finanças do seu negócio

Novo ano e novas metas são traçadas. Para alcançar os objetivos, é fundamental olhar para trás para entender o que funcionou, o que não deu certo e o que pode ser melhorado. Com uma economia que ainda apresenta instabilidade e com muitos negócios recuperando o fôlego, é importante fazer esse balanço para ajudar no planejamento e começar 2022 mais estruturado e com mais segurança.

A parte financeira é sempre uma área que exige atenção e resiliência para que seja possível equilibrar as contas dos negócios. Bruno Grahl, CEO da Débito Direto, plataforma que auxilia empreendedores e empresários a organizarem as finanças, dá algumas dicas com base na experiência na área e com seus clientes para iniciar 2022 no azul.

1 – Acompanhe o fluxo de caixa – Monitore todas as movimentações do seu fluxo de caixa. Avalie tudo o que entra e tudo o que sai. Quanto mais automatizados forem esses dados, melhor. Assim, as informações ficam organizadas, atualizadas e você economiza tempo para fazer essa análise frequente. Desenvolver gráficos visuais pode facilitar na visualização e compreensão dos dados para o entendimento da situação atual do seu empreendimento.

E, além disso, avalie se todos os gastos são realmente necessários e se estão valendo a pena. Veja o que não está dando retorno e desenvolva novas estratégias para otimizar recursos. Lembre-se, as oportunidades e crises aparecem de uma hora para outra, por isso é tão importante você ter sempre seus números atualizados para poder avaliar cenários com rapidez e segurança.

2 – Taxas e cargas tributárias em dia – Os impostos não são generosos com empresas de nenhum porte, mas deixar de lado a tributação e pagamento de taxas, assim como os encargos trabalhistas, também pode comprometer seriamente a saúde de seu negócio. Organizar as finanças envolve ter noção exata de impostos e taxas e do quanto esses encargos são custosos para seu produto ou serviço.

Fique atento aos programas de refinanciamento de dívidas tributárias, pois são oportunidades únicas de regularizar suas pendências.

3 – Conte com profissionais capacitados – Profissionais especializados podem te ajudar no planejamento tributário, ou seja, a gerir os pagamentos de tributos da sua empresa e ainda indicar possibilidades de reduzir legalmente a carga tributária do seu negócio.

Hoje em dia, existem ferramentas que atuam para auxiliar na organização dos impostos de seus clientes, oferecendo relatórios mensais de pagamentos automáticos. Assim, contribui na rotina financeira, como lançamentos contábeis, planejamento tributário e obrigações fiscais.

4 – Organize as contas da empresa – As datas de vencimentos de contas de fornecedores, pagamentos de funcionários, tributos e outros encargos precisam ser organizados de forma muito séria e disciplinada. Muitas empresas já disponibilizam um software para incluir o lançamento das contas assim que ingressam na empresa.

Por exemplo, quando uma empresa recebe mercadoria, a nota fiscal já é lançada, os produtos entram no estoque e as datas de vencimento das duplicatas são lançadas no sistema financeiro. Dessa forma, não é necessário fazer uma agenda manual que pode exigir muito tempo e que não possui a mesma capacidade de organização de um sistema digital.

Lembre-se que a tecnologia é uma grande aliada na economia de tempo e dinheiro, oferecendo soluções que otimizam e agilizam processos. Uma opção é o aplicativo da Débito Direto, que permite o pagamento de boletos de forma integrada e propõe soluções em parcelamentos e até descontos quando a empresa realizar pagamentos antes do prazo de vencimento.

5 – Renegocie suas dívidas – Se for necessário, negocie com clientes e fornecedores. Seja transparente, barganhe prazos maiores e carência para os próximos pagamentos. Não deixe de honrar seus compromissos com clientes e fornecedores, pois eles são os parceiros que trazem movimento financeiro ao seu negócio.

6 – Não misture dívidas pessoais e empresariais – Sim, esse tópico sempre aparece quando falamos da gestão financeira em qualquer ocasião. Mesmo muito lembrado, misturar essas duas receitas é um dos erros mais cometidos por empreendedores e empresários. Se o patrimônio não for separado, jamais teremos a noção exata dos lucros e do valor patrimonial.

É fundamental separar todos os gastos, bem como a forma de pagamento e controle de dívidas. Não hesite também em consultar o seu contador nesta tarefa e mantenha a calma para traçar o seu contexto geral e encontrar soluções que funcionem para você. – Fonte e outras informações: (https://debitodireto.com/).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap