66 views 5 mins

5 tendências para o mercado de investimentos em 2004

em Destaques
quarta-feira, 03 de janeiro de 2024

De acordo com a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), o volume financeiro movimentado por pessoas físicas em corretoras, bancos e plataformas de gestão de ativos chegou aos R$ 5,37 trilhões no primeiro semestre de 2023. Já o varejo tradicional teve um crescimento de 6,4%, chegando R$ 1,83 trilhão, enquanto o setor private teve um aumento de 5,9%, totalizando R$ 1,97 trilhão.

A renda fixa foi a que mais cresceu na carteira destes investidores, saltando de 31,8% do total em dezembro para 33,9% em junho. Pensando nesses números, especialistas de empresas do setor já esperam um mercado aquecido e ótimas expectativas para investimentos, com assuntos como tokenização ainda mais maduros. Paulo David, CEO da AmFi, listou as 5 principais tendências para o segmento em 2024. Veja abaixo.

1 – Estabilidade e regulação – 2023 contou com um cenário de pequenas variações do mercado como um todo, com maior busca por proteção em ativos considerados conservadores. “Para 2024, estamos esperando um ano com mais atividade econômica e estabilidade, com o Banco Central atuando com maior clareza e trazendo inovação, como vimos com a criação do DREX comprovando o protagonismo nesta vertente”, explica Paulo David, CEO da fintech.

2 – Investimentos em startups – Há uma expectativa de mais apoio a empreendimentos inovadores e um cenário positivo para o setor financeiro como um todo, já que a perspectiva é de queda da taxa de juros. O que indica o incentivo à procura por ativos de maior retorno, como ações de empresas emergentes e inovadoras. O ambiente positivo para este segmento pode ser impulsionado pela disponibilidade de capital de investidores dispostos a assumir riscos visando retornos mais elevados.

3 – Brasil no centro da tokenização – A tokenização de ativos reais, como imóveis, obras de arte e outros bens tangíveis, é uma tendência global, e vários países estão buscando explorar as oportunidades associadas a essa tecnologia. O Brasil é o lugar para se estar quando o assunto é tokenização.

Temos um cenário nacional favorável e o investidor internacional nos olha com bons olhos. dos poucos países do mundo que está tão bem posicionado para inovar no mercado financeiro. Batemos nessa tecla, e como falamos acima, a redução da taxa de juros vai acelerar a economia em todos os sentidos, e o regulador brasileiro, também é um atrativo para os investidores, tendo em vista a sua característica pró inovação.

4 – Operações de nichos – As fintechs especializadas desempenham um papel significativo no setor de investimentos, inovações e influenciam a forma como as pessoas investem, gerenciam e acessam seus recursos financeiros, e de acordo com o CEO, esta também é uma tendência para 2024. Isso porque esse tipo de empresa torna o investimento mais acessível, eficiente e diversificado.

O impacto continuará a moldar a indústria financeira à medida que novas tecnologias e abordagens inovadoras continuam a surgir. Com o surgimento de fintechs gerenciadas por pessoas com profundo conhecimento de nicho, e detentoras de muitos dados, soluções revolucionárias começam a ser criadas em seus respectivos setores, resultando em rentabilidade e estabilidade nas aplicações financeiras.

5 – Renda fixa – Essa é uma modalidade em que os investidores têm a possibilidade de adquirir e vender instrumentos financeiros que garantem retornos estáveis ao longo do tempo. Geralmente, são considerados mais seguros quando comparados às opções de renda variável, como ações, uma vez que proporcionam uma previsibilidade maior em relação aos lucros.

Além disso, essa modalidade tende a ganhar ainda mais força nos próximos doze meses.

“Aqui, permanecemos com o nosso olhar voltado para a renda fixa, entendendo que esta modalidade continuará se mostrando lucrativa e de importância significativa. Estamos concentrados em introduzir o nosso mercado secundário, que proporcionará maior liquidez e rentabilidade ao investidor”, completa Paulo. Fonte e mais informações (https://amfi.finance).