63 views 6 mins

5 dicas de design para posicionar sua marca no mercado

em Destaques
quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024

Segundo um estudo realizado pelo Google neste ano, 64% dos brasileiros não são fiéis a marcas específicas. O dado pode parecer negativo em um primeiro momento, porém, ele se mostra como uma oportunidade para que os negócios criem laços mais fortes com os seus clientes.

Assim, o posicionamento de marca é o principal cartão de visita para que o mercado conheça uma empresa, considerando que essa ação é capaz de ligar ela aos clientes, tendo impacto significativo no faturamento. Neste sentido, o design é uma das áreas protagonistas na criação e consolidação da identidade de um negócio e, consequentemente, molda a percepção do público acerca dela.

Um dos exemplos de como o design tem um papel fundamental nas marcas pode ser observado através do novo logo da Johnson & Johnson, que após 135 anos, abandonou o tradicional estilo cursivo da letra, em setembro último. Em comunicado, a empresa afirmou que a nova identidade moderna “transmite uma sensação de inesperado e de humanidade”.

Recentemente o Itaú também passou por um rebranding que foi assunto nas principais redes sociais. O laranja, que já vinha fazendo parte do branding da marca desde os anos 90, se tornou a cor principal do novo logo, que visa condensar a evolução da marca, por meio de uma rápida conexão visual.

Para ajudar as empresas que querem investir no posicionamento de marca, Vanessa Queiroz, Diretora da Anedesign e sócia-fundadora do Estúdio Colletivo, escritório independente e multidisciplinar de design e comunicação, lista as cinco principais vantagens que o trabalho de posicionamento traz para uma marca.

1- Consistência e frequência – Após a criação da identidade visual da marca, é necessário mantê-la ativa ao longo do tempo para estabelecer uma conexão duradoura com o público consumidor.

Portanto, é importante que a logotipo, a paleta de cores e outros elementos sinônimos da marca estejam bem definidos e sejam trabalhados repetidamente na comunicação e em todos os pontos de contato com os clientes, de forma a fortalecer a percepção e a familiaridade. Isso contribui para uma presença de marca sólida e duradoura.

2- Humanizar a marca – Em um mundo digitalizado, a humanização da marca configura-se como uma estratégia valiosa para fortalecer o laço entre a empresa e o público. Para isso, a utilização de fotografias originais, ilustrações e outros conteúdos que contem histórias que contenham as mensagens-chave do negócio são ótimos caminhos para estabelecer conexão genuína com o público.

3- Embalagem – Se o seu negócio disponibiliza um produto no mercado, seja ele qual for, pense em uma embalagem interessante, para além de seu propósito de proteger o item vendido. O ponto aqui é que a embalagem, em muitas ocasiões, será a primeira impressão que o cliente terá do seu negócio.

Logo, é indispensável que ela tenha um design alinhado com a identidade visual, comunique os valores da empresa, diferencie o produto dos concorrentes e, ainda, tenha uma utilidade funcional, seja pela facilidade de manuseio ou até mesmo o armazenamento.

4- Experiência do usuário – O design tem suas aplicabilidades para além do visual. Uma delas é a otimização da usabilidade de sites, aplicativos e outras mídias digitais, considerando que o tempo na frente das telas é cada vez maior. Por isso, a experiência do usuário em determinada mídia digital deve ser bem pensada, com navegação intuitiva e ágil, a fim de conquistar e fidelizar clientes.

5- Experiência do cliente – A experiência do cliente pode ser o foco do branding da marca. Por isso, pesquise e entenda como o seu público interage com a sua marca em todos os pontos de contato, de maneira a torná-los uma extensão da sua marca, seja adequando um ponto físico à identidade visual da marca, pensando na criação de experiências ou personalizando o atendimento ao cliente.

Esse conjunto de abordagens contribui para a construção de uma marca que vai além dos elementos visuais, incorporando valores, sentimentos e interações. – Fonte e mais informações: (https://colletivo.com.br).