Quem quer ser líder precisa saber disso antes de liderar uma equipe

Renato Martinelli (*)

A primeira experiência de liderança pode envolver diferentes experiências e sentimentos. O meu caso foi parecido com o de milhares de líderes com quem trabalho em desenvolvimento hoje em dia: a promoção veio por conta da qualidade das entregas, do comprometimento com os objetivos da empresa e alinhamento com valores organizacionais. Ou seja, um profissional ótimo tecnicamente, possivelmente capacitado para assumir uma equipe.

Só que quando você alcança o primeiro cargo de liderança, você percebe que as competências que te levaram até ali não serão as mesmas que você usará dali em diante. A atuação com líder demanda muito mais competências de gestão de pessoas, comunicação, colaboração e confiança do que qualquer habilidade de especialista na área onde você recebeu a promoção. 

Muitas situações sugiram para mim como grande novidade. Não tive apoio do meu líder direto e do RH na época para me preparar para a 1a situação de liderança. Assim como muitos, fui jogado na situação. Uma mistura de “parabéns, sucesso!” com “dê seus pulos e se vira!”. 

Bom, claro que isso está bem longe do ideal, e por conta de vários aprendizados desse cenário e de muito estudo, experiência concreta e treinamentos formando milhares de líderes nos últimos 10 anos, pensei no que todo líder ou profissional que pode estar para ser promovido deveria entender desses desafios da 1a liderança. 

Dessa forma, compartilho 10 recomendações que todo profissional em início de experiência de liderança deveria saber para alinhar sua atuação com melhores práticas esperadas por líderes, liderados, RHs e empresas no geral:

1) Dedicar tempo suficiente para criar laços com as pessoas

Um laço é uma profunda ligação emocional, diferente de simplesmente gostar de alguém. Na verdade, você não tem que gostar da pessoa para se relacionar com ela, mas tem de conhecê-la e entender o que a motiva. Isso leva tempo e vai além do simples trabalho diário. 

2) Ser disponível e acessível

Líderes precisam delegar responsabilidades, no entanto delegar não significa se distanciar, pois ao se desligar do projeto estão abandonando sua equipe. A delegação responsável e adequada depende de criar e permitir acessibilidade e conexão contínua com o líder.

3) Focar no desenvolvimento de talentos

Ao líder cabem como base 2 focos: a realização dos objetivos da empresa e o desenvolvimento de cada um da sua equipe. 

Frequentemente, os líderes focam exclusivamente na realização dos objetivos da empresa e acabam negligenciando a necessidade inerente do ser humano de aprender. 

4) Dar feedback sobre o desempenho

As pessoas têm alto desempenho apenas quando se deparam com sua eficácia. Os líderes muitas vezes ignoram essa necessidade, mas deveriam estar atentos à necessidade que toda pessoa tem de receber retornos claros sobre o que entregam e de que forma entregam. É disto que um feedback trata.

5) Considerar as emoções das pessoas

As emoções fazem parte do nosso viver e conviver. É papel do líder estar aberto a esta percepção, em especial às relacionadas à perda, decepção, fracasso e separação. 

Pesquisas indicam claramente que a perda, e até mesmo o medo antecipado da perda, influenciam o comportamento das pessoas muito mais do que potenciais benefícios e recompensas. 

6) Administrar conflitos de forma eficaz

Um líder precisa saber que uma das suas constantes será fazer uma boa gestão de conflitos. Conflitos não abordados impedem a cooperação e alinhamento em torno de objetivos comuns. 

7) Saber conduzir a mudança

Líderes são impulsionadores de mudança. Sem mudança, nossas organizações, como todos os organismos vivos, perdem vigor e, por fim, morrem. Líderes que não impulsionam a mudança colocam suas empresas em sério risco. 

8) Incentivar os outros a assumirem riscos

Por natureza, o cérebro humano age na defensiva e é avesso ao risco. No entanto, com a prática, intenção e – mais importante – com modelos positivos, as pessoas podem adaptar sua mente para abraçar os riscos. 

9) Compreender a motivação de cada um

Ter o conhecimento de como se processam as motivações e a ponderação entre elas é de extrema importância para a articulação de um líder.

A maioria das pessoas é movida por “motivadores intrínsecos”: desafios, aprender algo novo, fazer uma diferença importante ou desenvolver um talento. Muitos líderes não aproveitam esse sistema de orientação interna, focando em “motivadores extrínsecos” – como bônus, promoções, dinheiro e recompensas artificiais. 

10) Liderar pessoas

As pessoas não gostam quando são tratadas como peças de uma engrenagem, sendo “lideradas” com base no controle, administração e planejamento de atividades. 

Para ser um líder e não apenas um chefe, você precisa pensar nas pessoas como pessoas. Isso leva tempo e dedicação, e nos remete aos fundamentos da criação de laços. A liderança verdadeira envolve inspirar, incentivar e mobilizar o melhor das pessoas ao delegar responsavelmente, criar confiança e incentivar o risco positivo.

Colocar as 10 recomendações na prática não lhe dão uma garantia segura de sucesso na posição de liderança, mas pode te ajudar a ter mais resultados positivos nessa etapa da sua jornada profissional. 

(*) É membro dos Empreendedores Compulsivos, Trainer de Comunicação, Propósito e Performance, e tem como foco ajudar pessoas a desenvolverem competências de comunicação para potencializar engajamento e resultados com equipes e clientes.  Possui mais de 20 anos de carreira, agrega experiências e conhecimentos em empresas nos setores de Agronegócio, Automobilístico, Alimentos e Bebidas, Comércio, Construção, Farmacêutico e Químico, Financeiro e Seguros, Papel e Celulose, TI e Telecom, Varejo. É especialista em temas relacionados à Comunicação, Liderança, Gestão de Equipes de Alto Desempenho e Gestão de Conflitos, Vendas, Negociação e Articulação de Soluções.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap