Legal Process Outsourcing é para a minha empresa?

Ivan Pires Junior(*)

Há muito tempo, ouço várias dúvidas que permeiam o dia a dia dos gestores jurídicos.

O que posso fazer para obter uma maior eficiência na gestão dos meus processos judiciais? Como aumentar a qualidade dos indicadores gerenciais? O objetivo é sempre diminuir as despesas com honorários e fazer melhores acordos judiciais.

Para isso, os gestores querem ser mais assertivos na elaboração de subsídios e nos cálculos trabalhistas, sem aumentar os custos decorrentes destas alterações. Existe uma forma de resolvermos esses anseios e obtermos ganhos significativos nestas implementações.

A resposta está no BPO — Business Process Outsourcing, em português Terceirização dos Processos de Negócio que é uma solução que utiliza a tecnologia da informação como pilar. Em linhas gerais, o BPO é quando a empresa terceiriza os processos internos de uma forma mais robusta, desde que não sejam diretamente ligados ao seu core business.

Assim, a organização pode focar em sua expertise, e entregar ao cliente um serviço aprimorado. Nestes casos, a intenção da terceirização não é reduzir custos, e sim otimizar os processos e gerar um maior valor para o cliente.

Atualmente, podemos definir o mercado de BPO Jurídico em duas grandes frentes, sendo elas o KPO — Knowledge Process Outsourcing e LPO — Legal Process Outsourcing, sendo que ambos são subsegmentos da indústria de terceirização de processos de negócios. O primeiro voltado para o conhecimento e análise gerencial e o segundo diretamente à gestão jurídica.

É comum acharem que os processos jurídicos, realizados pelos escritórios de advocacia, são as únicas práticas de outsourcing que podemos mensurar valor para o departamento jurídico nas empresas. Muitos processos não se encerram ou atrasam na passagem de handoffs, o que resulta na reclamação de gestores e colaboradores, além de gerar despesas operacionais desnecessárias.

O LPO serve para facilitar o fluxo, automatizar processos, fornecer relatórios gerenciais para controle dos processos, gestão de subsídios que facilitem a preparação de defesa, automatização de pagamentos através de integrações sistêmicas, cumprimento de SLA’s, atendimento a legislação, encerramentos processuais, avaliação de risco e entre outras soluções, com esse auxílio, os advogados conseguem focar no jurídico estratégico.

Não deixe de consultar uma empresa de LPO, você pode estar perdendo grandes profissionais em sua organização, por estarem executando atividades operacionais enquanto deveriam realizar rotinas estratégicas na prevenção de processos, gestão dos custos e despesas e no saneamento inteligente de sua carteira jurídica.

Vale colocar na ponta do lápis o quanto de dinheiro sua empresa pode estar perdendo, por não adotar as melhores práticas de gestão jurídica e de quanta responsabilidade você tem sobre a redução de custos de uma área altamente estratégica para a companhia.

(*) – É diretor de Mercado para o setor Jurídico da Benner.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap