76 views 14 mins

Tecnologia 11/05/2016

em Tecnologia
terça-feira, 10 de maio de 2016

Sete passos para saber se sua empresa está fazendo social media do jeito certo

Como as mídias sociais estão virando uma ferramenta crucial para desenvolvimento e crescimento de vendas, de vez em quando você pode se deparar com uma dúvida: “Como posso saber se a minha estratégia de mídias sociais está dando certo?”. Você não está sozinho, vejo os gerentes e profissionais de marketing quebrando cabeça com isso o tempo todo, afinal, hoje em dia existem tantas plataformas com pontos fortes e fracos tão diferentes e regras que não são intuitivas

Social Media Marketing Goals temproario

Olga Andrienko (*)

Para ajudar a esclarecer um pouco esse assunto preparei um checklist de auditoria para suas mídias sociais que vai te ajudar a analisar seus esforços, descobrir os pontos que estão atrapalhando o seu desempenho e resolver esses problemas.

Passo 1: Identifique em quais redes sociais você já tem presença
Um passo fácil para começar sua auditoria – faça uma lista de todas as contas nas mídias sociais que a sua empresa tem.
Procure o nome da sua marca no Google. As redes mais populares tem alta autoridade e vão aparecer na primeira página de resultados.

Passo 2: Avalie a utilidade de cada conta
Agora é hora de avaliar se existe alguma razão para manter presença em cada uma dessas redes. Comece perguntando-se porque criou cada uma das contas. Fez isso só para segurar o nome da marca ou para alcançar alguns objetivos? Outro jeito de avaliar a utilidade de rede social é de investigar se o seu público alvo usa essa rede ou não. Na maioria dos casos respondendo essas duas perguntas você vai conseguir facilmente identificar em quais redes você deve investir seu tempo e esforço.

Passo 3: Verifique se os seus perfis nas redes sociais são consistentes.
Seus perfis nas redes sociais devem ser consistentes para representar bem sua marca.

Procure usar sempre o mesmo logo, de acordo com o seu brand-book

Utilize uma descrição envolvente e atualizada, que inclua as palavras-chave mais relevantes sobre o que sua empresa faz

Certifique-se que o link para o seu website está correto

Agora avalie a voz da sua marca, você deve mantê-la consistente em todas as redes.

Por fim, não duplique o conteúdo em todos os canais – se você posta o mesmo conteúdo em todos os locais o seu público não vai querer assinar as três contas.

Passo 4: Faça auditoria do público de cada rede social
Existem dois jeitos de avaliar isso o público correto em cada uma das suas redes:

Via Audience Report de Google Analytics. Filtrando por demografia, gênero, região você pode verificar se o perfil de público que visita o seu site e gera conversão é o mesmo que você está visando nas redes sociais.

Via Channels Report de Google Analytics (vá para Acquisitions, clique em “All Traffic” e em seguida em “Channels”) onde você pode escolher “Social” e ver quais canais sociais te trazem mais tráfego.

Passo 5: Analise suas atividades em cada uma das redes sociais
Esse é o passo crucial na sua auditoria de mídias sociais. Você precisa estabelecer se você está postando o conteúdo correto em cada rede social.

Particularmente, foque nos seguintes pontos:

Qual conteúdo você está postando?

Para envolver o público das mídias sociais você precisa manter um balanço saudável entre posts próprios e compartilhados. Da experiência própria posso dizer que a divisão 50/50 entre conteúdo criado e compartilhado é a melhor solução para aumentar engajamento.

Qual é sua frequência de postagens?

Normalmente, não existe uma frequência ideal de postagens. O que funciona para um público pode não dar certo para o outro. Porém, geralmente você deve postar pelo menos oito a 10 vezes por dia no Twitter, duas a três vezes no Facebook, duas vezes por dia no LinkedIn e uma vez por dia no Instagram.

Passo 6: Analise o engajamento
Isso é muito importante para sua auditoria. Analisando o engajamento você consegue descobrir se os seus esforços estão trazendo frutos esperados.

Passo 7: Faça auditoria da sua competição
Por fim, compare seus esforços com o que os concorrentes estão fazendo. Você deve considerar pontos como: em quais redes sociais eles escolheram marcar presença, como se apresentam, qual público atraem, qual conteúdo postam, quando e com que frequência publicam algo, etc.

Com esse checklist você pode ganhar uma boa perspectiva sobre sua estratégia e os pontos que precisam de melhorias para garantir redes sociais com bom engajamento do seu público alvo.

(*) Head de Social Media da SEMrush

Geração Y: 3 ações que irão otimizar a sua gestão

Lisandro Scuitto (*)

Os Millennials têm revolucionado processos e ambientes de trabalho, é chegada a hora de as companhias abraçarem a causa e adaptarem a sua gestão de talentos para esse novo e importante grupo

A razão é simples: os millennials cresceram em um mundo totalmente conectado e altamente tecnológico; essa experiência moldou a sua perspectiva em uma variedade de coisas. E vale lembrar ainda a quantidade de pessoas que representam a geração. Esse é o ano em que os Millennials (nascidos entre 1980 e 1996) se tornaram o maior grupo da força de trabalho nos EUA. Não podemos ignorá-los.
E sendo um número tão grande de trabalhadores, a geração Y representa oportunidades, mas também traz riscos. Adaptar sistemas de atração, engajamento e retenção vai proporcionar às companhias uma grande vantagem competitiva. Por outro lado, ignorar a diferente visão que eles têm do mundo pode levar a empresa ao esquecimento.
Na 17ª edição da pesquisa anual Global CEO Survey, a PwC mostrou que 93% dos CEOs afirmam que seus sistemas de gerenciamento precisam ser melhorados para lidar mais adequadamente com os Millennials. A boa notícia é de que muitas organizações já estão fazendo exatamente isso. Nos Estados Unidos, algumas companhias de sucesso têm modificado sua gestão de talentos, procurando acomodar e aproveitar ao máximo a nova onda de colaboradores do mercado.

Estas são três maneiras que empresas encontraram para se adaptar aos Millennials:

1. Mover-se para a transparência
Os Millennials se interessam por organizações que compreendem o que eles querem (e talvez isso não seja caso só da Geração Y, mas os verdadeiros Millennials não aceitarão nada menos do que isso). Na prática, isso significa um gerenciamento transparente, e uma comunicação de duas vias entre os funcionários e gerentes em todos os níveis.
Organizações que fazem isso, se concentram muito bem em práticas claras de comunicação e garantem disponibilidade gerencial. Mas isso pode ser desconfortável para gestores acostumados a hierarquias, de qualquer forma, o valor da transparência para gestores e empregados é uma política que vale a pena seguir. Coloque dessa forma: é melhor ouvir notícias ruins ou delicadas de um colaborador enquanto ele ainda está no cargo, e não durante seu feedback de desligamento da empresa. Dado positivo: os gestores que adotam essa abordagem muitas vezes são surpreendidos com os pontos de vista que escutam.

2. Promova o desenvolvimento pessoal
A nova geração se mantém nas instituições por muito menos tempo do que as pessoas mais velhas. Antigamente, era considerado bom para um currículo ter ocupado a mesma posição durante um longo período. Hoje, os novos colaboradores estão prontos para mudar de posição assim que uma oportunidade é aberta, com 90% de chances de ficar menos de cinco anos em qualquer emprego. Essa movimentação demonstra a procura por posições que auxiliem no desenvolvimento pessoal e profissional. Hoje, vemos algumas empresas usando a aprendizagem formal e informal nos sistemas de gestão de talentos para apoiar os funcionários na sua próxima grande oportunidade dentro da corporação.

3. Marcar presença na rede
Estar conectado é parte da vida de hoje, e especialmente para uma geração que praticamente nasceu com senha WiFi. Mais uma vez as organizações se inclinam para isso, garantindo que seus sistemas internos não sejam apenas compatíveis com smartphones, mas que também já possam ser projetados com foco mobile.
Quanto aos meios sociais, não há mais possibilidade de escolha, a não ser a de adotar a comunicação multicanal. 56% dos Millennials não irão aceitar uma oferta de trabalho em uma organização que proíba as mídias sociais.

Faça a mudança
Para gerir esta nova geração e tirar o máximo disso, os sistemas e práticas de gestão devem mudar. E isso não vai acontecer do dia para a noite, e menos ainda porque o fato de adotar uma nova tecnologia pode causar atrasos. Hoje, com os sistemas baseados em nuvem, as implementações são mais simples do que nunca.
A mudança vai levar tempo, porque a liderança, gestão e até mesmo os funcionários devem se adaptar. Um local de trabalho que é mais social e transparente, e onde as atividades são realizadas em um tempo médio mais curto, representa uma mudança significativa para muitos funcionários em todos os níveis.
Essa é, no entanto, uma mudança válida para os negócios, e não apenas para acomodar a geração Y. Sim, eles são uma parte cada vez mais significativa da força de trabalho, mas o que funciona para eles, normalmente também funciona para os outros colaboradores, uma vez que a mudança cultural foi aplicada. Os três passos mencionados aqui permitiram às organizações se tornarem mais ágeis, acelerar a transmissão de informações e reduzir o turn-over de pessoal. Não é apenas sobre aceitar uma nova geração, é sobre como otimizar uma organização e avançar seus negócios para o século 21.

(*) É diretor de Produto para a Infor LATAM