152 views 19 mins

Tecnologia 09/09/2015

em Tecnologia
terça-feira, 08 de setembro de 2015

É hora de medir a velocidade do Wi-Fi de uma maneira diferente

Com a crescente demanda por mobilidade e a rede sem fio rapidamente substituindo a Ethernet como principal método de acesso à rede, as organizações têm avaliado constantemente as últimas tecnologias que poderiam apoiar a onda de dispositivos pessoais, corporativos e de Internet das Coisas que requerem conectividade

velocidade internet 1 temporario

Mathew Edwards (*)

Tradicionalmente, as organizações focam suas avaliações medindo a velocidade do ponto de acesso do fornecedor. Por mais que a amplitude da banda larga seja importante, atualmente, este não é o único critério de velocidade que deve ser mensurado para determinar a melhor adequação de uma solução sem fio.

Vamos encarar os fatos: Se Gbps fosse tudo que importásse, você compraria um monte de pontos de acesso básicos de US$100,00, mas ainda assim, eu realmente recomendaria o contrário.

Qual ferramenta de medida nós deveríamos usar?

Com o enorme crescimento de dispositivos móveis, aplicativos e usuários conectados à rede, os administradores estão lutando para entrar a bordo dessas tecnologias o mais fácil e rápido possível, sem negligenciar a segurança.

Isso se torna ainda mais desafiador porque está acontecendo em todo o mundo ao mesmo tempo, com recursos limitados. E então, quando você começar a aumentar o número de sites, o quão rápido você conseguirá manter esses sites funcionando à distância? Ter muitos sites também se torna problemático quando surgem os imprevistos: quão rápido você consegue resolver um problema de conectividade a mil quilômetros de distância, por telefone? Isso nunca é divertido. Talvez você devesse deixar uma mala pronta em sua mesa, só por desencargo…

87% das organizações citam o uso de dispositivos móveis como importantes ou críticos para sua produtividade. Mobilidade e redes centrais não podem mais ser medidas por “quão rápido um arquivo é transferido”, ou uma página carregada ou uma notificação recebida.

Está na hora de medir velocidade de uma maneira diferente; a velocidade do seu negócio, que não tem nada a ver com Gbps. A velocidade que as organizações estão medindo é a da eficiência operacional e o valor entregue internamente e para os clientes. Essa métrica foca em verdadeiras áreas de tempo crítico de uma organização, incluindo a velocidade de tornar a rede online, trazendo clientes e garantindo ROI com as soluções de WLAN.

Como é uma rede rápida hoje em dia?

Redes móveis rápidas respondem às necessidades organizacionais, adaptando e evoluindo junto com os negócios;

Rapidez é suportar uma rede com velocidade quando a última versão do iPhone aparecer nas mãos de 200 funcionários na segunda-feira de manhã;

Rapidez é solucionar problemas de rede enquanto um executivo está prestes a fazer uma importante apresentação e o Wi-Fi acabou de cair…quando você está fora;

Rapidez é capacitar seus funcionários, sem a sua assistência, para que acomodem centenas de visitantes que acabaram de chegar para uma conferência;

Rapidez é trazer 10 novos sites online, por muitas localidades sem ter que sair de seu escritório.

Então é hora de colocar de lado seu analisador de protocolos de rede e começar a medir as implantações, integrações e suporte mais rápidos para determinar o sucesso de sua iniciativa de mobilidade.

(*) É Gerente de Marketing de Produto da Aerohive Networks, líder em soluções de rede Wi-Fi móvel sem controladora e com gerenciamento na nuvem para o mercado corporativo.


paiN Gaming vence Desafio Internacional e garante vaga para o Campeonato Mundial de League of Legends

A Riot Games – produtora e distribuidora do League of Legends – anuncia a equipe paiN Gaming como a vencedora do Desafio Internacional. Com o título, a equipe brasileira conquista uma vaga para disputar o Campeonato Mundial de League of Legends 2015, em outubro.
A final foi disputada pelas equipes paiN Gaming (Brasil) e Kaos Latin Gamers (Chile) no último sábado, em Santiago, Chile. “Estamos muito satisfeitos em conquistar o Desafio Internacional, superando equipes de altíssimo nível, que representaram muito bem suas regiões” comenta Gabriel “Kami” Bohm, meio da paiN Gaming. “Vamos estudar todos os movimentos de nossos próximos adversários, treinar com empenho e foco para disputar o Campeonato Mundial de League of Legends”, completa.
A equipe Kaos Latin Gamers (KLG), representante da América Latina, ficou em segundo lugar. Hard Random, representante da Rússia/Comunidade dos Estados Independentes, terminou em terceiro lugar, após eliminação na primeira fase do torneio.
“A conquista da paiN Gaming, superando grandes equipes de outras regiões do mundo, reforça o amadurecimento do cenário brasileiro de eSports” afirma Fabio Massuda, Gerente Sênior de eSports da Riot Games no Brasil. “Estamos entusiasmados em ter um representante do nosso País no Campeonato Mundial de League of Legends. Será uma experiência única e incrível aos jogadores e torcedores brasileiros”, exalta.
O próximo desafio da paiN Gaming será no Campeonato Mundial de League of Legends. A fase de grupos será realizada em Paris, no início de outubro. A partir do dia 15 do mesmo mês, as quartas de final serão disputadas em Londres e, em seguida, as equipes vitoriosas seguirão até Bruxelas para as semifinais. A grande final, disputada no dia 31 de outubro, será realizada na Arena Mercedes-Benz, em Berlim.

Leilões oferecem joias, relógios e outros acessórios de luxo a preços acessíveis

imagem release 493368 temporario

A SOLD oferece mais uma oportunidade para os consumidores que quiserem adquirir acessórios de luxo a preços mais baratos. Líder brasileira no mercado de leilões eletrônicos, a empresa promove leilões em São Paulo (SP) e em Curitiba (PR) de joias, relógios, canetas de marcas sofisticadas como Rolex, MontBlanc e Pierre Cardin, com lances iniciais a partir de R$ 50,00.
O leilão de São Paulo (SP) disponibiliza 372 lotes, que podem ser acessados por meio do link http://www.sold.com.br/lote/lista/leilao/2970/. Entre os destaques, estão relógios Rolex, porta perfume de prata Tiffany & CO e anéis de ouro 18K, todos com lances iniciais a partir de R$ 50,00. Para os colecionadores, há estatuetas Weenicon e cofres em resina Comic Artic também com lances iniciais a partir de R$ 50,00. Os interessados podem dar lances até às 9h30 de 14 de setembro.
Já o leilão de Curitiba (PR) conta com 128 lotes, que podem ser vistos por meio do link http://www.sold.com.br/lote/lista/leilao/2999/. Entre as opções mais acessíveis, estão relógios Champion com lances iniciais a partir de R$ 50,00, anéis de prata com esmeralda de 10 quilates com lances iniciais a partir de R$ 140,00 e canetas MontBlanc com lances iniciais a partir de R$ 400,00. O encerramento será em 25 de setembro, a partir das 14h.
Lembrando que a habilitação para o leilão pode ser feita até uma hora antes do inicio do encerramento.
Os consumidores que quiserem verificar pessoalmente o estado dos produtos podem agendar uma visita no local e nos dias e horários indicados pelas empresas no portal da SOLD. Segundo Henri Zylberstajn, sócio diretor e co-fundador da SOLD, uma das facilidades que o leilão eletrônico oferece é a garantia de compra de um bem com preço diferenciado associado à segurança e à comodidade.

Como participar
Qualquer pessoa pode participar dos leilões: basta se cadastrar no site www.sold.com.br, criar um login e senha e se habilitar no leilão de interesse. A partir daí, é só acompanhar os lances no dia marcado para o encerramento. O método usado na internet é o mesmo de qualquer leilão, isto é: quem der o maior lance leva o produto. Normalmente, o período para fazer os lances começa 15 dias antes do prazo final para o arremate. O processo da confirmação da compra até a retirada do produto é concluído em no máximo cinco dias. O usuário que tiver dúvidas sobre as condições do produto deve conferir seu estado verificando, pessoalmente, a qualidade da mercadoria nos galpões e depósitos onde ficam armazenadas. O endereço difere a cada lote e essa informação é enviada por e-mail mediante o agendamento no site.

Cinco métricas para serviços em campo que você precisa acompanhar de perto

Alexsandro Labbate (*)

As métricas são dados essenciais para a gestão estratégica de pessoas e serviços em campo

O sucesso no planejamento e na execução das operações em campo exige que os gestores tenham em mãos informações e números precisos, que apresentem o padrão de qualidade dos serviços prestados e apontem áreas de possível melhoria.
No entanto, por não saber quais métricas utilizar e como aplicá-las, os gestores de serviços em campo nem sempre conseguem ter uma visão real e completa das operações. Como agravante, a grande quantidade de dados pode confundir mais que auxiliar, criando uma falsa sensação de que tudo está bem.
Por isso é tão importante conhecer as principais métricas de avaliação dos serviços em campo e saber como utilizá-las. Confira as cinco métricas para serviços em campo que você precisa acompanhar:

Tempo médio de atendimento
Como o nome já diz, ela calcula a duração da execução do serviço, desde a saída do funcionário ou da equipe em campo ao fechamento da ordem de serviço, incluindo os tempos de deslocamento até o cliente, de espera por informações adicionais e de eventuais visitas futuras para resolver o mesmo problema.
A AHT (Average Handle Time) pode ser uma ferramenta muito útil ao permitir que você controle exatamente a eficiência e as horas gastas por atendimento, funcionário e tipo de tarefa. Essa métrica também possibilita a criação de benchmarks internos entre funcionários e equipes de campo.
Ela deve ser analisada sempre em conjunto com algumas outras métricas que mostraremos a seguir para que sua utilização seja eficaz.

Aderência da programação
A aderência da programação calcula se os funcionários em campo executam satisfatoriamente os chamados de serviços agendados em um determinado período.
O cálculo é o seguinte: divida o tempo total em que o funcionário está disponível para chamados pelo tempo médio de atendimento de um chamado. Quanto mais baixo o resultado, melhor.
Por exemplo, se o tempo total que um funcionário está disponível semanalmente é 44 horas, e o tempo médio de execução de um chamado são 2 horas, este funcionário conseguirá finalizar 22 chamados por semana.
Caso ele leve mais tempo que a média da sua empresa para finalizar o chamado, a programação semanal das ordens de serviços agendará mais chamados a ele do que a sua capacidade de execução.
Isto gerará reagendamento de chamados, atrasos em execuções e uma piora significativa na qualidade do serviço prestado e do atendimento ao cliente.

Taxa de finalização na primeira visita
Imagine o seguinte cenário: digamos que você gerencie uma companhia de instalação de sistemas de gás em apartamentos. A taxa de finalização na primeira visita apontará a porcentagem de sucesso na finalização desse serviço logo na primeira visita agendada.
Esse é um dos motivos pelos quais ela é tão importante para uma boa gestão de serviços. Quanto maior a taxa, menor os custos relacionados à prestação de serviços em campo, pois uma taxa de reagendamento menor possibilita que a empresa atenda mais chamados novos.
Em outras palavras, ao manter essa taxa alta, as empresas reduzem os gastos com pessoal e logística e ainda economizam tempo e energia para atender mais clientes.
Estatísticas indicam que empresas de credibilidade mantêm a porcentagem de sucesso acima de 90%. Uma taxa na casa dos 80% é considerada razoável, embora indique uma necessidade urgente de melhorias na prestação do serviço.

Precisão de previsão
Essa métrica determina a exatidão das previsões feitas pela empresa em relação à demanda de serviços. Ela é fundamental para a elaboração do planejamento estratégico das suas operações em campo, e considera principalmente a sazonalidade nas prestações de serviços. Uma previsão precisa possibilita o planejamento avançado de recursos e pessoal necessários em um período específico.
O cálculo é feito através da análise e do cruzamento de dados históricos, incluindo o número de funcionários, o tempo médio de atendimento, a aderência da programação, o número e os tipos de novos chamados, a taxa de finalização na primeira visita, os horários de pico diários, semanais, mensais, trimestrais e anuais, além de outros.

Taxa de cumprimento de SLAs
O SLA, ou Service Level Agreement, é o compromisso estabelecido entre a sua empresa e o cliente sobre o tempo médio necessário para executar um serviço ou finalizar um chamado ou ordem de serviço.
Em alguns segmentos de mercado, os SLAs são estabelecidos por agências reguladoras, como no caso das Telecomunicações e da Energia Elétrica. O SLA também pode ser uma promessa de resolução ou um documento formal, com cláusulas de qualidade e tempo máximo de resolução do serviço prestado pela sua companhia.

(*) É Gerente Sênior de Marketing da ClickSoftware para as Américas, líder no fornecimento de soluções para a gestão automatizada e otimização da força de trabalho e serviços em campo.