137 views 10 mins

Como lidar com redes sociais hackeadas

em Tecnologia
quinta-feira, 05 de janeiro de 2023

Flávia de Paula (*)

Nos dias atuais, em que a internet se faz tão presente em nossas vidas, as pessoas estão cada vez mais conectadas com os amigos, família e demais conhecidos, além de estarem também utilizando cada vez mais para o trabalho. Aliás, essa tendência tem crescido e já mostra que a presença no mundo virtual só tende a se expandir. Segundo levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) publicado no último dia 27, no Brasil, cerca de 25% das pessoas poderiam perfeitamente migrar seus trabalhos para o home office desde já. São muitas as redes sociais e suas funcionalidades – o que torna a rede atraente para todos os perfis de pessoas e, proporcionalmente, estratégicas para as empresas.

Aderir ao uso das redes sociais significa conectar-se com o mundo pelo meio virtual, mas para que o proveito deste espaço seja pleno, é importante que haja segurança e precaução, afinal, nelas circulam uma infinidade de informações pertinentes a quem a utiliza. No Brasil já temos o avanço de proteção a dados pessoais trazido pela LGPD. Mas, ainda assim, existe o risco real do hackeamento; para casos assim, há certas medidas que podem ser tomadas a fim de que a questão seja resolvida de forma eficiente.

Uma das primeiras ações a se tomar é observar o comportamento de suas redes sociais, ou da rede que você desconfia ter sido hackeada. Se houver indícios de atividade maliciosa, ou de alguma atividade qualquer que não corresponda às suas próprias ações, é importante, se ainda for possível, que seja feita a alteração de sua senha imediatamente, de tal modo que se houver mesmo alguém acessando sua conta, que ele ou ela perca o acesso ao espaço. Mas o sucesso disso dependerá das circunstâncias – isto é, de que você ainda tenha acesso à rede hackeada. Então aja rápido, pois isso permitirá que você recupere o domínio de suas informações e publicações. Também é importante informar essas ocorrências para o suporte ou administração da rede invadida, para que tomem providências de segurança.

Mas existem também situações em que já não é possível mais acessar sua conta. Para esses casos, também há alguma esperança; Facebook e Instagram, por exemplo, oferecem uma alternativa para casos em que a senha tenha sido alterada pelo invasor. No Facebook, basta acessar “Minha conta está comprometida”, no endereço https://www.facebook.com/hacked, e informar os dados solicitados na sequência para que o sistema possa verificar o problema. A solução oferecida pelo Instagram é próxima à do Facebook: entrando em https://www.instagram.com/hacked há a possibilidade de recuperar a conta. Para tanto, é necessário inserir as informações requisitadas em cada etapa do processo e seguir as instruções apresentadas pela rede social. É importante lembrar que, para que funcione, o procedimento deve ser efetuado por meio de um smartphone ou computador através do qual a conta hackeada já tenha sido acessada anteriormente.

Uma invasão pode apontar falhas de segurança. Diante disso, é recomendável a alteração das senhas nas demais redes sociais, sendo elas iguais à da rede hackeada ou não – afinal, a invasão de uma rede social pode caracterizar a descoberta de uma abertura para posteriores tentativas de invasão. Isto serve como um alerta para a verificação dos dispositivos por meio dos quais você costuma acessar suas redes sociais, tendo em vista que uma análise mais atenta pode ajudar a identificar a falha que permitiu esta primeira passagem e, consequentemente, evitar que isso volte a acontecer no futuro. Em resumo, a averiguação da causa pode viabilizar um reforço da segurança do dispositivo, seja por meio da instalação de um antivírus eficaz ou mesmo de uma conscientização a respeito dos cuidados a serem tomados durante a navegação na internet.

A eventualidade deste tipo de acontecimento pode causar diversos impactos na vida de uma pessoa, tendo em vista que as redes sociais são, ao mesmo tempo, um espaço privado, voltado ao uso pessoal, mas também de caráter interpessoal, já que elas permitem a conexão com vários outros contatos. Dessa forma, diante de um acontecimento como este, é importante que as pessoas de seu convívio pessoal e virtual sejam alertadas, já que o hacker pode tentar se beneficiar de seu perfil e se passar por você para conseguir algum ganho. Por mais simples que possa parecer, avisar as pessoas próximas é uma medida de extrema relevância para o desarme de um golpe como este.

Em termos legais, existem algumas alternativas a que uma pessoa prejudicada por um hacker pode recorrer. Conversando com um dos clientes da agência e-nova, Eduardo Helaehil, advogado especializado em Direito Digital do escritório Jacinto Law, verificamos duas providências possíveis – as quais recomendamos à nossa equipe interna e também aos nossos demais clientes. Utilizando o Instagram como exemplo, a primeira sugestão seria, como já mencionado, acionar o canal de suporte e enviar as informações da sua conta relatando o ocorrido, para que assim consiga restabelecer o acesso do perfil hackeado de forma administrativa. Normalmente leva de dois a três dias para que se obtenha retorno do suporte e o controle da conta seja restabelecido. Caso essa medida não alcance sucesso, é possível ainda tentar o caminho judicial – mas também nesse caso é importante que essa etapa administrativa tenha sido completada, até para que seu registro sirva de contraponto numa argumentação processual.

Considerando então o caminho jurídico para recuperar o controle de uma conta de rede social – ainda usando o Instagram como exemplo -, é preciso antes compreender suas particularidades. Trata-se de um processo especializado em Direito Digital para restabelecimento de conta da qual você comprova ser o titular, bem como demonstra que ela foi hackeada. Após isso, é necessário fazer uma solicitação de tutela antecipada, ou seja, um pedido para que o juiz adiante o desfecho dessa ação e determine que a Meta (empresa responsável pelo Instagram) restabeleça a conta em um prazo mais curto. Vale lembrar que a mesma medida pode ser aplicada para casos envolvendo qualquer rede social que tenha sede no Brasil.

Mas para que a conta seja restabelecida de forma imediata, alguns pontos devem ser levados em conta: primeiro o usuário precisa demonstrar que teve prejuízo ao perder a conta. E tudo dependerá de como este prejuízo é comprovado: a violação por terceiros ter afetado a reputação do titular da conta ou a rede social ser utilizada comercialmente, por exemplo, serão fatores relevantes para a averiguação.

Essas são algumas dicas, mas é importante estar permanentemente atento às suas redes sociais e se precaver sempre que possível, levando em conta as ameaças inerentes à internet. Navegar com cuidado e consciência, zelando sempre pela segurança de seus dispositivos de acesso, ajudará a evitar que hackers, vírus ou demais programas maliciosos interfiram no seu espaço virtual pessoal ou empresarial, permitindo o uso pleno de suas redes sociais.

(*) É Diretora de Social Media.