Você sabe o quanto perde em suas transações?

Henrique Carbonell (*)

Aumentar as vendas é o sonho de todo varejista: quanto mais pedidos sua loja efetuar, melhor vai ser a sua rentabilidade.

Vender, porém, não é suficiente. Há outros fatores que podem melhorar, ou piorar, o desempenho do caixa. A falta de uma gestão financeira adequada faz com que a empresa perca uma quantia de dinheiro em cada transação, resultando em um prejuízo considerável no fim do mês.

Apenas com conhecimento e o apoio de uma solução tecnológica que otimiza e facilita esse processo é possível conter este vazamento de receita em todas as compras efetuadas. É um cenário comum no varejo brasileiro, mas que poucos empresários possuem noção de sua existência.

Eles não se preocupam em fazer o controle de seus recebíveis e acabam perdendo uma receita considerável — estimativas do mercado mostram que esse volume costuma ficar entre 2% e 3% do faturamento mensal.

A recuperação desse valor já paga (e até supera) o investimento necessário em um sistema de gestão financeira. Para ter uma ideia, em dez meses de atuação, a ferramenta Recuperômetro mostra que mais de R$ 31 milhões de reais foram resgatados nas transações.

Essas perdas financeiras podem acontecer por diferentes motivos. Entretanto, as principais causas são falhas da adquirente em reconhecer a transação ou então no momento de liquidação do valor na conta bancária. Quando o empresário percebe, ele recebeu menos do que o previsto para aquela compra.

Além disso, é comum ver casos de contestações da compra pelo titular do cartão de crédito e esse valor ser debitado do varejista, mesmo no caso de vendas presenciais com a digitação de senha, e também de cobranças de taxas incorretas pelas adquirentes. A melhor forma de reduzir e eliminar esse prejuízo em sua loja é ter mais controle da gestão do fluxo de caixa e acompanhar frequentemente todos os dados sobre as transações feitas por cartão de crédito.

Também é fundamental comparar as previsões de recebimento em cada transação com as vendas realizadas e o que, de fato, está sendo pago na conta bancária, além de auditar as taxas que estão sendo cobradas pelos seus fornecedores de pagamento. A boa notícia é que essa solução não precisa ser manual. A empresa pode contar com um sistema que automatiza esses processos e contribui bastante para reduzir tanto o tempo e o esforço quanto possíveis erros humanos.

Com um software de gestão financeira integrada, é possível fazer todo o controle e auditoria de pagamentos de maneira automatizada. Em poucos cliques é possível ter visibilidade de todas as inconsistências e tratar somente as exceções, uma vez que os pagamentos que estão corretos podem ser conciliados automaticamente e não precisam de nenhuma ação manual.

Além disso, o varejista não só trata os erros encontrados como também consegue transmitir todas as informações para outras etapas do processo, como controle de Contas a Receber e a Pagar, Fluxo de Caixa, Conciliação Bancária e DRE (Demonstrativo do Resultado de Exercício), garantindo com que tudo se converse e se acerte.

Hoje, com um cenário macroeconômico de recuperação econômica e disputa acirrada no varejo nacional, não há mais espaço para desperdício e perda financeira nas transações. É inadmissível que as empresas percam dinheiro justamente no momento em que estão concluindo suas vendas.

Reduzir este dano é fundamental para quem deseja crescer e se consolidar em seu segmento.

(*) – É sócio-fundador da F360º, plataforma de gestão financeira com conciliação automática de vendas por cartão (www.financas360.com.br).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap