135 views 4 mins

Petrobras tem segundo maior lucro da história, mas ações caem – entenda os motivos

em Mercado
terça-feira, 12 de março de 2024

As ações preferenciais da Petrobras (PETR4) estão apresentando grande variação no mercado, mas o que assustou foi que na última sexta-feira (8) ela chegou a uma queda de 13% na Bolsa de Valores de São Paulo, refletindo a reação do mercado após a divulgação de um lucro de R$ 124,6 bilhões em 2023, uma queda de 33,8% em relação ao ano anterior.

Apesar de ser o segundo maior lucro da história da empresa, a notícia foi recebida com desconfiança pelos investidores, resultando em uma queda significativa nos papéis da estatal. O mercado financeiro, por sua complexidade, muitas vezes responde de maneira imprevisível a resultados empresariais.

Analistas já previam um lucro de R$ 127 bilhões, mas a Petrobras não alcançou as expectativas do mercado. A abertura das ações preferenciais resultou em uma queda no Brasil e no exterior, com os ADRs nos Estados Unidos chegando a cair 11% antes da abertura regular das Bolsas.

A principal razão para a reação negativa do mercado foi a proposta da Petrobras de distribuir apenas R$ 14,2 bilhões em dividendos referentes ao último trimestre de 2023. Ao contrário dos trimestres anteriores, não haverá distribuição de dividendos extras, o que desagradou os acionistas. Caso a proposta seja aprovada na assembleia do Conselho de Administração em 25 de abril, o total de dividendos referentes ao ano passado somará R$ 72,4 bilhões, menos de um terço dos R$ 222,6 bilhões distribuídos aos acionistas em 2023.

O gestor financeiro Robinson Trovó destaca a complexidade do mercado financeiro, ressaltando a importância de entender que, no curto prazo, as notícias e expectativas ditam o comportamento das ações, enquanto, no médio e longo prazo, a cotação das ações tende a refletir o desempenho real da empresa. “Graças a expectativa e frustração, em um único dia se pode devolver 5 meses de alta do ativo”, alerta.

Trovó argumenta que a frustração dos investidores muitas vezes ocorre devido à criação de expectativas que podem não ser atendidas. Ele enfatiza que, mesmo em momentos positivos no mercado, a cotação das ações pode não refletir imediatamente os resultados da empresa. O gestor também alerta para a armadilha de tomar decisões baseadas em expectativas, destacando que o curto prazo é volátil e muitas vezes desastroso para investimentos.

Apesar da queda nas ações da Petrobras, Trovó enxerga uma oportunidade para investidores com visão de médio e longo prazo. Ele destaca que a empresa apresentou lucro, e a queda nas ações pode representar uma oportunidade de compra, especialmente para aqueles que buscam investir pensando no futuro. O episódio da Petrobras serve como lembrete de que, no mundo complexo do mercado financeiro, a paciência e a visão de longo prazo são fundamentais para compreender as flutuações do mercado e identificar oportunidades de investimento.