Venda de veículos automotores teve alta de 13,45% no 1º semestre

Venda temproario
  • Save

As vendas levam em conta automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e motocicletas. Foto: Rodolfo Buhrer/Renault

 

A venda de veículos automotores registrou alta de 13,45% no primeiro semestre de 2019, em comparação a igual período do ano anterior. Segundo dados divulgados ontem (2) pela Fenabrave, 1.919.047 unidades foram licenciadas de janeiro a junho de 2019, ante 1.691.532 unidades comercializadas no mesmo período do ano passado. As vendas levam em conta automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e motocicletas.
No mês de junho foram emplacados 316.475 veículos, 11,71% abaixo do volume registrado no mês de maio de 2019, quando 358.456 unidades foram licenciadas. Na comparação com junho de 2018, mês que registrou 287.697 unidades emplacadas, a alta é de 10%. Para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, o desempenho negativo no mês de junho se deve aos dias úteis a menos em junho.
Já o resultado positivo no semestre está relacionado ao período sem eventos adversos. “No acumulado o crescimento chegou a 13,45%, mas no primeiro semestre do ano passado fomos afetados pela greve dos caminhoneiros e pela Copa do mundo de futebol que impactaram as vendas do setor”, relembrou Assumpção Junior, ao destacar que as vendas de caminhões e motocicletas puxou o crescimento no acumulado de 2019. Os caminhões registraram alta de 44, 93%. Já as motocicletas venderam 16,04% a mais do que o mesmo semestre do ano anterior.
Nos segmentos de automóveis e comerciais leves, o resultado do semestre registrou 1.248.899 unidades emplacadas, representando crescimento de 10,81% em relação a igual período do ano passado, quando foram licenciadas 1.127.052 unidades. O destaque no semestre ficou por conta do segmento de ônibus, que registrou venda de 12.403 unidades, ou seja, alta de 71,36% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram vendidos 7.238 ônibus. Apesar dos resultados positivos do primeiro semestre, as projeções não são tão otimistas (ABr).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap