Boas estratégias ajudam o empreendedor a sair do estado de Ilha Deserta

O caminho do empreendedorismo costuma ser solitário e por vezes complicado para a maioria das pessoas. Principalmente quando ele ainda não conhece seu público ou o nicho de atuação, a coisa pode ficar ainda mais difícil. Mas isso não significa que essa condição não pode mudar. Novas conexões e parcerias podem ser o que estava faltando para o seu negócio decolar.

Para a publicitária Aline Oneda (*), muitos empreendedores ainda não têm uma visão de que as estratégias de parcerias com diferentes segmentos podem ajudar em seu ramo e seguem o caminho dos negócios conhecido como Ilha Deserta ao invés de encurtar essa trajetória e acelerar os seus resultados com boas parcerias de trabalho. “Essa cooperação pode ser benéfica para os dois lados, se bem estruturada e feita de forma assertiva”.

A especialista cita como exemplo uma proprietária de uma loja de roupas que quer aumentar e diversificar seu público e compradores, pois mesmo investindo em marketing e produtos de qualidade, percebe que a sua clientela sempre vem de indicações do mesmo lugar.

“Uma boa estratégia para esta empreendedora é firmar parceria com uma nutricionista, indicando a profissional para os clientes que desejam mudar seus hábitos alimentares. Por outro lado, a nutricionista parceira indicaria a lojista e o seu negócio para seus pacientes que querem mudar o guarda-roupa, por queixas de mudanças de peso e na aparência física, ação que atenderia as aspirações da proprietária da loja”, explicou Aline.

Outro exemplo de parceria é entre setores que podem ser similares, mas na prática operam com diferentes tipos de serviços, como o setor imobiliário e o de
arquitetura e urbanismo, por exemplo. Por mais que na teoria eles tendem a caminhar juntos, muitas pessoas ainda ficam perdidas em como decorar ou quem
procurar para ornamentar seu novo imóvel, especialmente quando são novas na
região.

“Um corretor de imóveis pode firmar parceria com um arquiteto e indicar esta pessoa após o seu cliente fechar a compra de um imóvel que não está mobiliado. O arquiteto, por exemplo, pode firmar parceria com esse corretor e buscar conhecer mais sobre seus imóveis à venda ou para locação, indicando para seus clientes que desejam mudar de casa ou comprar um imóvel que atenda às suas expectativas individuais”, citou a publicitária. Juntos para chegar mais longe!

Esses são só alguns exemplos para mostrar como uma parceria bem feita pode ser benéfica para um negócio, em que um ajuda o outro. “Essas parcerias garantem
que ambos os lados melhorem em alguns pontos a fim de oferecer os resultados esperados pelo empreendedor, seja pessoa física ou jurídica. Se inspirar nesses exemplos pode ajudar e muito as pessoas a pensarem nessas parcerias, começar a
estudar essas possibilidades e finalmente garantirem esses resultados na prática!”,
garantiu Oneda.

(*) – Publicitária, especialista em marketing e encantamento do cliente. Atua como consultora e palestrante em todo o Brasil (@alineoneda).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap