Por que o autoconhecimento é importante para falar com o público?

Uma plateia cheia, um líder cativante e um conteúdo preciso. Assim é a visão de uma palestra perfeita. A pergunta é: como chegar até ali? Como ser essa pessoa que encanta o público ao transmitir seu conhecimento? Uma das chaves para que isso aconteça é o autoconhecimento – uma das principais ferramentas para quem deseja gerir melhor sua carreira.

“Ao conhecer seus pontos fortes e fracos, é possível traçar um planejamento de curto, médio e longo prazo para alcançar bons resultados”, afirma Uranio Bonoldi, que, além de ser superintendente executivo da Indrel, é especialista em cargos de alta gestão e palestrante. Ao se conhecer, o profissional consegue perceber quais são as mudanças necessárias para evoluir.

“Se a pessoa sabe identificar o que a deixa nervosa, por exemplo, durante uma palestra, ela vai saber como agir para evitar o nervosismo”, elucida Uranio. Esse pode, inclusive, ser o diferencial para se destacar no mercado de trabalho, pois a partir do autoconhecimento, o profissional consegue tomar decisões de carreira mais acertadas e ter uma imagem pessoal que se comunique com seus objetivos.

“Também é importante valorizar suas habilidades técnicas e fazer o possível para estar em constante aprendizado. Uma das dicas imprescindíveis para dar uma boa palestra é conhecer o seu público. A partir daí você escolhe a maneira como vai falar, a forma como vai passar para eles determinado assunto”, orienta o especialista. A busca pela palestra perfeita exige determinação, foco e paciência – é com o tempo e com a prática que se encontram os resultados acima da média.

Com segurança para tomar decisões e otimizar resultados, o conteúdo do que vai ser transmitido ao público fica mais fácil de ser delimitado. “Tenha em mente quais são suas metas, quais objetivos você pretende atingir por meio da palestra. É transmitir um conteúdo mais profundo, para especialistas? Ou é algo mais geral, com uma abordagem que pode ser mais simples?”, indaga Uranio.

Outro ponto fundamental é o ensaio. “Treinar a fala, o ritmo, os pontos que serão discutidos… tudo isso ajuda a lidar com o nervosismo e a ansiedade. Mas lembre-se de que imprevistos acontecem, portanto, esteja preparado para uma pergunta inconveniente ou um equipamento que acabou não funcionando”, lembra. Portanto, a arte de dar palestras não é mágica, muito menos sorte – é uma construção. – Fonte e mais informações: (www.indrel.com.br).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap