179 views 2 mins

George Orwell, um autor sempre atual

em Especial
segunda-feira, 06 de maio de 2024

George Orwell nasceu em 1903 na Índia, onde seu pai era funcionário do governo britânico. Com um ano de idade, mudou-se para a Inglaterra onde, em 1917 é admitido em Eton, um dos mais prestigiados colégios do mundo, mas ali tem um fraco desempenho, apesar de ser um leitor compulsivo.

Elisabete P. Breternitz (*)

Entre 1922 e 1927 serve na Polícia Imperial na Birmânia, também dominada pelos ingleses. Deixou a Polícia revoltado contra o imperialismo, já influenciado por ideias socialistas e também já escrevendo muito.

Em 1936, muda-se para a Espanha onde passa a fazer parte do Partido Obrero de Unificacion Marxista, lutando na Guerra Civil que devastava aquele país. Gravemente ferido, tendo levado um tiro na garganta, volta para a Inglaterra, desiludido com as ideias dos partidos de esquerda, que também na Espanha visavam apenas seus próprios interesses, sem preocupações com os destinos do país – além disso, testemunhou atrocidades praticadas por militantes dos partidos de esquerda.

Na Inglaterra, produz muitos textos influenciados por suas experiências na Espanha; o mais importante é “A Revolução dos Bichos”. Essa obra conta a história de uma granja, onde um porco reúne a bicharada para iniciar uma revolução contra o dono da propriedade, que segundo o porco seria a causa de todos os males dos animais. Se parassem de trabalhar para o homem e passassem a produzir para eles mesmos, seriam felizes, dizia o porco.

A obra mostra como funciona uma revolução comunista, na qual a elite revolucionária, os porcos, assume o poder, reprime e explora os trabalhadores, sendo estes os demais animais,

Escreveu também o romance “1984”, que mostra como seria um regime totalitário, feito de mentiras, traições e terror. Esse livro criou a imagem do Big Brother, uma figura que controla a sociedade usando uma estrutura tecnológica, impedindo quaisquer manifestações de independência e busca pela liberdade.

Essas obras são leituras obrigatórias para todos aqueles que pretendem entender o momento em que vivemos.

(*) Elisabete P. Breternitz, especialista em Língua Inglesa pela UNESP, é professora.