89 views 2 mins

Governo prevê 120 novos aeroportos no país até 2026

em Economia
terça-feira, 19 de dezembro de 2023

O ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, anunciou a primeira etapa do Programa de Universalização do Transporte Aéreo, com estratégias para redução dos preços de passagens aéreas e redução dos custos de operações no Brasil, em 2024.

Entre as três principais medidas anunciadas, prevê a construção de 120 novos aeroportos no Brasil até 2026, quando o governo federal trabalha com a expectativa de transportar até 150 milhões de passageiros.

“Até 2026, temos um volume de investimentos privados na ordem de mais de R$ 6 bilhões e nós queremos fazer, entre privados e públicos, mais 120 novos aeroportos no país, tanto novos, quanto aeroportos mais modernos e requalificados nesses próximos três, quatro anos. Na Amazônia, a nossa expectativa é que possamos fazer mais de dez novos aeroportos e ampliar mais 30 a 40 novos aeroportos do Nordeste e aeroportos requalificados, fundamentais, não só para o turismo de lazer, para o turismo de negócios e para a gente ajudar a saúde pública brasileira”, projetou o ministro.

O ministro disse que o programa Voa Brasil será anunciado oficialmente na segunda quinzena de janeiro e, em seguida, setores específicos da sociedade já poderão ser beneficiados pela oferta de passagens aéreas a preços acessíveis. “Será para públicos específicos. É um programa que vai buscar e perseguir passagens mais acessíveis para a população brasileira, para determinados segmentos da sociedade”.

Silvio Costa Filho antecipou que o número de passageiros internacionais e nacionais em aeroportos de todo país subirá de 98 milhões, em 2022, para mais de 115 milhões de passageiros, no fechamento de 2023. “Estamos falando no crescimento de mais de 15% da aviação brasileira, de 2023”. Também declarou que o governo tem focado em aumentar o número de visitantes internacionais. “No ano passado, tivemos 2 milhões de turistas estrangeiros que vieram visitar o Brasil. Este ano, nós estamos passando de 4 milhões (ABr).