104 views 6 mins

Os comportamentos que atrapalham o progresso das mulheres

em Destaques
segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Carolina Vale Schrubbe (*)

Homens e mulheres podem ter conceitos diferentes de sucesso? Eles se comportam da mesma forma com relação à satisfação no trabalho? Sally Helgesen e Julie Johnson, através da empresa americana de pesquisa e análise de mercado Harris Interactive, conduziram um estudo sobre como homens e mulheres percebem, definem e buscam satisfação no trabalho. Os resultados foram publicados no livro The Female Vision: Women’s Real Power at Work.

No estudo, tanto os homens como as mulheres, relataram sentir grande satisfação em liderar equipes, em divulgar resultados que superaram as expectativas e em serem reconhecidos por suas contribuições. Os resultados também indicaram que os homens costumam valorizar mais estar em altas posições na empresa e ter uma alta remuneração. Já as mulheres deram mais valor à experiência de trabalho.

Isso não significa que as mulheres não se importem com recompensas financeiras ou posição, mas, para elas, o próprio conceito de sucesso é um pouco diferente. As mulheres normalmente incorporam à definição de sucesso, além de dinheiro e posição, a valorização da qualidade de vida, dos relacionamentos no trabalho e o impacto de suas contribuições, por exemplo. Segundo Helgesen, mulheres são mais propensas a largar empregos de alta posição e salário, mas que apresentam baixa qualidade de vida. São os típicos empregos que, para elas, não valem a pena.

Podemos dizer que é psicologicamente saudável para as mulheres não enxergarem o dinheiro, a posição e a vitória como suas principais referências de sucesso. Também é ótimo para suas equipes e organizações e até para suas famílias. Mas, há um lado negativo nisso, que leva as mulheres a investirem menos em seu próprio progresso profissional. Sabemos que, à medida que crescem em suas carreiras, a maior parte das mulheres enfrentam desafios diferentes dos enfrentados pelos homens.

Não há como negar, nem minimizar a existência de obstáculos muito desafiadores, como por exemplo: homens que ainda parecem ser incapazes de ouvir as mulheres, que reivindicam crédito pelas ideias delas, obstáculos em promoções, ou planos de carreira que presumem que famílias não existem. Porém, enquanto se trabalha para impulsionar o equilíbrio de gênero nos locais de trabalho, há algo que está sob gestão direta das mulheres e que pode aumentar consideravelmente suas chances de sucesso.

Na progressão da carreira, as pessoas cultivam alguns hábitos que contribuem para sua ascensão, mas que em dado momento, as impedem de continuar evoluindo. Isso vale tanto para homens como para mulheres, porém os comportamentos que atrapalham o progresso das mulheres são muitas vezes diferentes dos que prejudicam os homens. Sally, em seu livro “Como as mulheres chegam ao topo”, descreve 12 hábitos que impedem as mulheres de progredir. Dentre eles, destaco 2, que normalmente caminham juntos e possuem alto impacto nas carreiras:

  • Relutar em reivindicar suas conquistas;
  • Esperar que os outros notem espontaneamente e valorizem suas conquistas.

Muitas vezes as mulheres sentem uma “alergia” ao marketing pessoal, o que parece diminuir as próprias conquistas e o reconhecimento pelo seu trabalho. E de acordo com a pesquisa, esse tipo de hábito não predomina entre os homens. Essa diferença de comportamento faz com que, no mundo corporativo, elas possam até se dedicar e confiar em sua capacidade, mas têm dificuldade em se fazer notar pelo próprio trabalho. É quase cultural desviarem-se do crédito das próprias conquistas, virando o holofote para outras pessoas.

Sentir-se desconfortável em reivindicar o crédito por suas conquistas pode custar sua carreira. E a crença de que se fizermos um excelente trabalho, as pessoas vão notá-lo, pode fazer com que seu trabalho duro seja negligenciado. Quando não encontramos uma maneira de falar sobre o valor do que fazemos, é como se enviássemos a mensagem de que não o valorizamos muito.

A boa notícia, é que estamos falando sobre comportamentos que podem ser minimizados e alterados para que o avanço na carreira não seja tão exaustivo. Desenraizar um hábito que vem cultivando ao longo da sua história profissional é algo que está sob o seu alcance e controle, e vai aumentar consideravelmente suas chances de sucesso.

(*) – É especialista em desenvolvimento de líderes e equipes e fundadora da Quare Desenvolvimento (www.quareorg.com).