O mercado de desenvolvedores e o seu impacto na transformação digital

O tema transformação digital está entre as prioridades no ambiente de negócios e de gestão de TI, segundo o relatório anual Chief Strategy Officer (CSO) Survey, da Deloitte em colaboração com a Kellogg School of Management. A maioria das empresas brasileiras (62,5%) deve investir de 10% a 30% do faturamento total em transformação digital durante 2021 (pesquisa Sambatech).

Para que esta evolução ocorra, seria necessário um exército de desenvolvedores no Brasil. Mas, com a evolução dos negócios digitais, que foram muito acelerados na pandemia, estes profissionais estão cada vez mais escassos no mercado e estão sendo levados para projetos internacionais, com remuneração em dólar e euro. Então, quais as saídas para o Brasil neste contexto? Este é o tema do estudo O mercado de desenvolvedores de sistemas: passado, presente e futuro.

“Este conteúdo inédito objetiva ampliar o conhecimento de líderes empresariais em relação ao momento atual e perspectivas para os negócios”, antecipa João Gubolin Jr., um dos autores e CEO da Ciatécnica, empresa especialista em transformação digital. O estudo também tem como autor Cezar Taurion, VP de Inovação da Ciatécnica e Head da Ciatécnica Research. As necessidades de digitalização nas organizações exigirão uma abordagem radicalmente nova.

Da escassez de profissionais ao atraso na transformação digital, a competição para as empresas se manterem relevante nesta era digital torna-se bastante desafiadora. “Com este primeiro estudo, damos início ao projeto Ciatécnica Research, uma plataforma de conhecimento que vai reunir insights, reports, ebooks e análises para líderes empresariais, que procuram transformar seus negócios e assim, adaptarem-se à contínua evolução digital”, explica Gubolin.

A missão da Ciatécnica Research é ajudar os líderes das empresas a desenvolver uma compreensão mais profunda da evolução da economia global e tendências tecnológicas, fornecendo uma base de conceitos e fatos que contribuam para a tomada de decisões sobre seus negócios e estratégias”, explica Gubolin. Para Taurion, “esse primeiro estudo objetiva analisar um mercado que hoje está em franca ebulição, o de desenvolvedores de aplicações e as tecnologias que aceleram esse desenvolvimento, que chamamos de tecnologias low-code.”

De acordo com um estudo da McKinsey, a adoção digital por consumidores e empresas avançou cinco anos em apenas cerca de oito semanas devido à Covid-19. Com isso, a demanda por desenvolvedores “disparou” à medida que organizações de todos os tamanhos estão agora percebendo que as habilidades digitais são essenciais para todas as partes de seus negócios.

Existe hoje um grande risco de colapso nas áreas de TI, principalmente quanto a profissionais de desenvolvimento de aplicações, causado pela falta de mão de obra qualificada. Já não é de hoje que a quantidade de pessoas que se capacitam é menor que o número de vagas abertas na área de TI no Brasil, mais especificamente nas funções relacionadas com desenvolvimento de sistemas.

Há cerca de três anos, o número de vagas nesse setor era de 100 mil e, em 2021, esse número será próximo a 200 mil. Essa lacuna aumenta em cerca de 30 a 40.000 vagas a cada ano. Estima-se que haverá cerca de 300.000 vagas em 2024. A pandemia acelerou muito essa situação e aumentou a demanda por desenvolvedores, pois obrigou a grande maioria das empresas a se adaptar repentina e compulsoriamente ao mundo digital e ao home office.

Além disso, esta despertou a já atrasada Transformação Digital em muitas empresas no que se refere a seus processos e serviços. Segundo levantamento divulgado pela Forrester em 2020, em 65% das organizações, devido à alta demanda por projetos, a área de TI não consegue cumprir tudo que o setor de negócios exige. – Fonte e outras infiormações: (www.ciatecnicaresearch.com).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap