FHC é ‘líder não oficial’ da oposição, diz ‘Economist’

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso vive o renascimento de sua reputação, na avaliação da revista britânica “The Economist” em reportagem divulgada pelas redes sociais da publicação ontem (10).

Segundo a revista, no momento em que o País vive “o que pode ser sua pior crise desde a recessão de 1930”, o papel do tucano como pensador é “mais importante do que nunca”.
Em conversa com a publicação na sede de seu instituto, FHC admitiu desfrutar atualmente de uma “grande influência política e intelectual”, mas descartou qualquer ambição política. Ainda assim, o tucano é classificado pela reportagem como o “líder não oficial da oposição”.
A revista cita ainda as investigações da Operação Lava Jato sobre o esquema de corrupção na Petrobras.
Segundo a reportagem, “enquanto a força-tarefa está cada vez mais perto de Lula, FHC é visto com respeito como um “velho estadista”. Apesar disso, a Economist diz que o PSDB não soube tirar proveito da queda de popularidade do governo Dilma Rousseff e que, para os críticos do ex-presidente, ele teria falhado em estimular uma renovação no partido. Para FHC, o ponto fundamental é que o Brasil precisaria de “um novo foco e um novo líder” (AE).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap