Criatividade é diferencial competitivo no mercado de trabalho

Cobrados à oferta contínua de métodos e soluções inovadoras, os profissionais se veem cada vez mais pressionados a criarem estratégias que provoquem diferenciação, originalidade e principalmente criatividade no mercado de trabalho.

Listada como como uma das três principais habilidades necessárias ao profissional contemporâneo – juntamente à capacidade de resolver problemas complexos e do pensamento crítico, a criatividade ganhou status de revolucionário, ao ser vista como componente obrigatório e indispensável para atuar no mercado de trabalho.

“Há quem acredite que criatividade seja um ‘dom’ para poucos, no entanto posso garantir que se trata de uma habilidade que pode e deve ser estimulada. Criatividade não é para poucos, é para todos!”, explica Rodrigo Almeida, relações públicas e diretor da agência Criativos.

A questão é que independente do exercício profissional, agir com criatividade tornou-se uma exigência que proporciona à empresa destaque mercadológico, ampliação na participação de mercado (market share), fortalecimento do valor de marca, diferencial frente à concorrência e branding.

Segundo dados do relatório ‘O Futuro dos Empregos’, elaborado pelo Fórum Econômico Mundial, os profissionais que souberem usar a criatividade em seus ambientes de trabalho se destacarão no mercado, sendo ela uma, entre as dez habilidades mais valorizadas pelas grandes corporações.

“Utilizar a criatividade para a solução de problemas, sejam eles simples ou complexos, por meio de olhares mais atentos e novas conexões, é o grande diferencial dos profissionais na contemporaneidade. Distanciar-se da questão e encontrar condições oportunas para novas formas de fazer, pode ser o salto que a organização precisa”, destaca Almeida.

Para o profissional que deseja aguçar a sua percepção às oportunidades de melhorias e inovação, estímulos contínuos associados a novas experiências e sensações devem ser provocados cotidianamente.

Além do uso técnico de ferramentas que auxiliam no desbloqueio criativo – a exemplo de mapas mentais e práticas de brainstorming -, a experiência associada ao consumo de novos saberes, acesso à arte, viagens, networking, sabores, aromas e vivências provocam aumento de repertório e consequente incitação às conexões mentais.

“Consumir conteúdos diversificado, de livros a bulas de remédio. Ouvir músicas variadas, consumir arte, entrevistas, estudos e notícias diversas, experimentar novos sabores e se permitir às falhas, são algumas ações que geram estímulos à criatividade e desbloqueio criativo. O profissional do hoje precisa entender que muitas vezes para se reconhecer criativo, ele precisa ter coragem, disciplina, método e persistência”, conclui Rodrigo.

A quem deseja aproveitar ferramentas e conteúdos que estimulam o exercício criativo, Rodrigo Almeida lista 7 hábitos que funcionam como um start na geração de ideias.

  1. Liberte-se da rotina – invista em novos caminhos, sabores, experiências e sensações;
  2. Conheça novas pessoas – amplie o repertório de conversas e networking;
  3. Consuma conteúdos variados – ouça podcasts, assista vídeos, leia notícias, ouça músicas, leia livros e explore novas mídias;
  4. Permita-se ao erro – erros e equívocos fazem parte do processo;
  5. Experimente outras opiniões – consuma conteúdos com olhares diferentes do seu;
  6. Explore algumas ferramentas – estude mais sobre design thinking, mapas mentais, brainstorming, canvas, storytelling e brainwriting;
  7. Julgue menos e explore mais – evite preconceitos e estigmas, permitir-se à diversidade amplia os saberes e a inclusão. – Fonte e outras informações: (www.criativospr.com.br).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap