86 views 49 secs

Azul: capital externo deve ser analisada de forma sistêmica

em Destaques
terça-feira, 11 de abril de 2017

O presidente da Azul, Antonoaldo Neves, afirmou ontem (11), que a análise da abertura do setor aéreo brasileiro ao capital estrangeiro deve ser feita “de modo sistêmico, e não pontual”, levando em conta todas as variáveis que impactam o setor, e não só a disponibilidade de recursos.

“Nos últimos 18 meses, a Azul atraiu quase US$ 1 bilhão de capital. Não temos tido problemas (para atrair investimentos)”, disse Neves, após a cerimônia de início das negociação das ações da companhia na B3.
Neves evitou fazer comentários a respeito da MP que busca regulamentar a questão, mas pontuou que as discussões devem ser abrangentes. “Como ficam os acordos de céus abertos com outros países se a abertura for de 100%?”, questionou. Quanto às perspectivas para o setor aéreo brasileiro, o executivo limitou-se a dizer que é difícil especular sobre o futuro, e que o contexto atual de demanda doméstica no Brasil é difícil.
Ele ainda afirmou que, dado esse cenário, a Azul tem buscado inovar, com o estabelecimento de um HUB em Recife e a abertura de operações internacionais em 2014. “Estamos seguros que, nas condições atuais, a equação entre demanda e oferta para a Azul está equilibrada”, finalizou (AE).