98 views 4 mins

Como será o Ensino Médio a partir deste ano?

em Artigos
quinta-feira, 27 de janeiro de 2022

Rogério Tognetti (*)

Antes, o Ensino Médio se preocupava muito mais em transmitir a vasta quantidade de conteúdos e muito menos no desenvolvimento de Competências e Habilidades.

Todos os alunos eram obrigados a cursar todas as disciplinas contidas na Matriz Curricular, o que gerava diversos problemas de aprendizagem para alunos com baixo interesse em uma determinada área do conhecimento. Agora, as principais mudanças estão relacionadas a possibilidade de escolhas dos Itinerários Formativos pelos alunos, trazendo mais interesse e dedicação nos estudos.

Além disso, o protagonismo estudantil está presente no desenvolvimento dos projetos, que estão focados nas habilidades constantes na BNCC. É o famoso aprender na prática. A mudança para a nova Matriz deve ser realizada por todas as instituições de ensino. Não sei dizer se todos os Estados brasileiros já estão bem estruturados como em São Paulo, que já possui uma grande variedade de Itinerários Formativos à disposição para a escolha dos alunos.

O preparo para o ingresso no ensino superior continuará sendo um trabalho de extrema importância no Novo Ensino Médio, mas como os Itinerários formativos têm como principal característica o desenvolvimento das habilidades, nossos jovens ingressão nas Universidades mais maduros, com vivências diferenciadas em todas as áreas do conhecimento, o que propiciará vestibulandos com maior potencial na realização dos projetos futuros.

São muitos os prós do novo ensino médio: alunos mais participativos, protagonistas na sua formação acadêmica, mais conscientes com relação aos problemas da sociedade, mais empreendedores, com maior habilidade na resolução de problemas, entre outros. O único contra que vejo, está relacionado com a formação dos educadores, uma vez que os cursos de licenciatura não formaram profissionais com as características necessárias para essa nova realidade.

Sendo assim, é necessário que as redes de ensino providenciem formações adequadas o mais rapidamente possível. No Mackenzie, iniciamos as formações com nosso Corpo Docente no início de 2019, o que tornou um grande sucesso a implementação do Novo Ensino Médio realizada no ano passado. O modelo pode reduzir as diferenças sociais, mas para isso, a rede pública de todos os Estados deve se organizar, ofertando itinerários formativos atrativos aos alunos, com conteúdos robustos e com muita “mão na massa”.

Se isso não ocorrer, a diferença social poderá aumentar. O Novo Ensino Médio traz a possibilidade de os alunos experimentarem vários itinerários formativos, compostos por diferentes trilhas de aprofundamento, oportunizando aos alunos a migração de uma trilha para outra. Deste modo, os pais não devem pressionar os alunos logo nos primeiros meses, a cobrança deve estar relacionada a dedicação, cumprimentos dos estudos e tarefas, mas dar tempo para que o adolescente tenha a certeza de que fez a escolha correta.

Essa experimentação que ajudará na escolha mais assertiva de uma carreira, minimizando a troca de cursos no Ensino Superior. O Novo Ensino Médio traz uma grande oportunidade de mudarmos a educação brasileira. Todos devemos acreditar nessa mudança, pois ela trará excelentes frutos.

(*) – É coordenador do ensino médio do Colégio Presbiteriano Mackenzie.