116 views 6 mins

Como a tecnologia pode melhorar a gestão da indústria de alimentos?

em Artigos
terça-feira, 11 de abril de 2023

Alan Gomes (*)

O Brasil está entre os primeiros colocados no ranking de maiores exportadores de alimentos do mundo.

Atendendo um total de 190 países, a indústria alimentícia nacional segue mantendo o seu patamar e protagonismo. Porém, mesmo diante de um cenário tão promissor, é importante abordar os desafios de gestão que acometem a área e, acima de tudo, como a tecnologia pode contribuir significativamente neste aspecto.

Os números empolgam. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos, o setor representou um faturamento de 10,8% do total do PIB em 2022. Além disso, respondeu por 17,6% das exportações totais brasileiras, atingindo a marca de US$ 58 bi. Estes dados nos chamam atenção pelo fato de que foram obtidos após o período crítico da pandemia – em um resultado que, diferentemente do esperado, fortaleceu ainda mais a atuação do setor no país.

Essa estabilidade, contudo, foi ameaçada com o desenrolar da Guerra da Ucrânia, que afetou diretamente o preço dos alimentos. Esse fator, sem dúvidas, acendeu o alerta dos produtores para a importância de desenvolverem estratégias que driblassem essa situação, assegurando o desempenho obtido até então. Uma vez superados tais acontecimentos, cabe o questionamento: como é a projeção para a indústria de alimentos 2023?

Podemos dizer que segue positiva, considerando os avanços que o setor vem realizando na busca por aprimorar ações de melhoria tanto a nível operacional quanto gerencial, visando eliminar e superar os desafios que acompanham e que, inevitavelmente, sempre farão parte da rotina da área. Um dos fatores que impede o desempenho ininterrupto da indústria de alimentos está na perda de lucros como resultado de desperdícios constantes.

Considerando a magnitude dessas empresas, muitas companhias possuem a dificuldade de localizar pontos de falhas e ter um controle da cadeia produtiva e do chão de fábrica. Esse é um empecilho que deve ser tomado como prioridade internamente, uma vez que a sucessão de erros, quando contabilizados no final, pode gerar um prejuízo altíssimo. Outro ponto que corrobora como mais um problema está no aspecto logístico, enfrentado principalmente por empresas que possuem um sistema de distribuição próprio.

Nesses casos, a companhia arca com os desafios de entregar, recolher ou repor produtos quando solicitados em tempo hábil. Para evitar riscos decorrentes dessa escolha, cabe à organização investir em um controle para que produza os itens na quantidade certa visando atender a demanda, sem que falte ou sobre demais.

Diante de tantos obstáculos perigosos, a melhor forma de serem superados ultrapassa a mão de obra humana, exigindo o auxílio de ferramentas e sistemas que ajudem a colocar em prática ações efetivas. Neste aspecto, a tecnologia ganha protagonismo como uma importante auxiliadora no processo – ressaltando como um dos maiores apoiadores nessa tarefa o ERP.

Através de um software de gestão, torna-se possível obter um maior controle dos processos e realizar análise e dashboards das etapas das produções e, principalmente, mitigar erros e desperdícios nas operações. Por meio da aplicação da ferramenta, é facilitada a realização de análises e projeções para um melhor direcionamento e atendimento de demandas para diferentes públicos por meio da logística que passa a ser equalizada – agregando em ganhos como redução de custo, automação tributária e melhor gerenciamento.

E, considerando a agilidade que o setor exige, o apoio de um ERP é efetivo para tomadas de decisões rápidas e assertivas, que passam a ser obtidas através da melhor conversação entre as áreas que começam a operar em concordância, tendo a mesma base de consulta de informações e registros.

Entretanto, não podemos jamais considerar que a tecnologia é a resposta para todos os desafios para a indústria alimentícia, uma vez que seu uso deve ser considerado um meio que resultará no sucesso a partir do alinhamento dos processos e ações das pessoas.

Nessa jornada, contar com uma solução verticalizada junto de especialistas no segmento farão toda a diferença na conquista de resultados exponenciais. E, em se tratando da indústria de alimentos, muito já foi conquistado, mas não se deve parar por aí – pois para permanecer na frente, é necessário manter o ritmo sem parar e olhar para trás.

(*) – É diretor de negócios da SPS Minas, uma das principais consultorias do mercado SAP Business One (https://spsconsultoria.com.br/).