Mercado financeiro reduz projeção para inflação e PIB

As projeções permanecem abaixo do centro da meta de inflação, que é de 4,5%.

O mercado financeiro reduziu a projeção para a inflação e para o crescimento da economia este ano

Segundo do boletim Focus, publicação elaborada todas as semanas pelo Banco Central (BC) com base em estimativas de instituições financeiras, a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), passou de 3,71% para 3,64% este ano.
Essa foi a terceira redução seguida. Para 2018, a estimativa caiu de 4,37% para 4,33% no segundo ajuste consecutivo. As projeções permanecem abaixo do centro da meta de inflação, que é de 4,5%. Para junho, o mercado financeiro espera por deflação (-0,07%), após projetar estabilidade dos preços na semana passada. A estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todas as riquezas produzidas pelo país, foi reduzida de 0,41% para 0,40%, em 2017, no segundo ajuste consecutivo. Para o próximo ano, a projeção de crescimento da economia passou de 2,30% para 2,20% na quarta redução consecutiva.
Para as instituições financeiras, a taxa Selic encerrará 2017 e 2018 em 8,5% ao ano. Atualmente, a Selic está em 10,25% ao ano. A Selic é um dos instrumentos usados para influenciar a atividade econômica e, consequentemente, a inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, a meta é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Já quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação (ABr).

Consumo de energia elétrica recuou 2,5% no Estado

O balanço mensal de consumo de energia elétrica no Estado de São Paulo, realizado pela Secretaria de Energia e Mineração, foi divulgado e aponta uma retração em abril de 2,5% no consumo de eletricidade em relação ao mesmo mês do ano anterior. A energia elétrica utilizada no mês de abril totalizou 11.022 gigawatts/hora (GWh), contra 11.306 GWh em abril de 2016. A maior queda verificada no período foi no setor residencial com um recuo de 5,9%.
O setor industrial, que é responsável por 36,6% do mercado de eletricidade paulista, consumiu em abril 4.037 GWh, indicando um acréscimo de 1,5% em relação ao mesmo mês do ano anterior. “Apesar da queda no setor residencial, a indústria registrou uma pequena elevação, o que mostra uma estabilidade da produção das empresas e a perspectiva de melhoria da economia”, explica o secretário de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles. A classe residencial, com participação estadual de 29,4% apresentou um consumo de 3.240 GWh. O comércio, que representa 22,6% do mercado estadual, consumiu em abril 2.496 GWh.
Os demais setores (rural, iluminação pública, poder público, serviço público e consumo próprio) correspondentes a 11,4% do total, consumiram em abril de 2017, 1.249 GWh, acréscimo de 0,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. As principais informações sobre consumo de energia no Estado podem ser acessadas na ferramenta chamada Dados Energéticos, no site da Secretaria de Energia e Mineração disponível no endereço (www.energia.sp.gov.br).

BNDES aprova financiamento de R$ 1 bi para parques eólicos

O BNDES aprovou financiamento de R$ 1,037 bilhão para construção de três parques eólicos nos estados da Bahia e do Ceará, com potência total de 311,3 megawatts (MW). Os tomadores do empréstimo são os grupos EDF, ENEL e Aliança, esta última subsidiária da Vale e da Cemig Geração e Transmissão. Os mpreendimentos darão prioridade à utilização de equipamentos nacionais e deverão gerar em torno de 3 mil empregos diretos e indiretos durante as obras.
Os parques eólicos serão construídos nos municípios de Mulungu do Morro e Campo Formoso, na Bahia; e de Icapuí, no Ceará. As condições financeiras do banco para o setor eólico envolvem apoio de até 70% dos itens financiáveis, com custo 100% vinculado à TJLP, praticada nas operações da instituição. Além disso, o BNDES poderá avaliar a subscrição de até 100% de debêntures de infraestrutura emitidas pelo projeto.
Com a aprovação do financiamento, o total emprestado ao setor de energia eólica este ano chega a R$ 3,5 bilhões, quase o total aprovado pelo BNDES para projetos deste tipo no ano passado, que somou R$ 3,8 bilhões (ABr).

Mais artigos...

  1. Economia 15 a 19/06/2017
  2. Economia 14/06/2017
  3. Economia 13/06/2017
  4. Economia 10 a 12/06/2017
  5. Economia 09/06/2017
  6. Economia 08/06/2017
  7. Economia 07/06/2017
  8. Economia 06/06/2017
  9. Economia 03 a 05/06/2017
  10. Economia 02/06/2017
  11. Economia 01/06/2017
  12. Economia 31/05/2017
  13. Economia 30/05/2017
  14. Economia 27 a 29/05/2017
  15. Economia 26/05/2017
  16. Economia 25/05/2017
  17. Economia 24/05/2017
  18. Economia 23/05/2017
  19. Economia 20 a 22/05/2017
  20. Economia 20 a 22/05/2017 (2)
  21. Economia 20 a 22/05/2017 (2)
  22. Economia 19/05/2017
  23. Economia 18/05/2017
  24. Economia 17/05/2017
  25. Economia 16/05/2017
  26. Economia 13 a 15/05/2017
  27. Economia 12/05/2017
  28. Economia 11/05/2017
  29. Economia 10/05/2017
  30. Economia 09/05/2017
  31. Economia 06 a 08/05/2017
  32. Economia 05/05/2017
  33. Economia 04/05/2017
  34. Economia 03/05/2017
  35. Economia 29/04 a 02/05/2017
  36. Economia 28/04/2017
  37. Economia 27/04/2017
  38. Economia 26/04/2017
  39. Economia 25/04/2017
  40. Economia 21 a 24/04/2017
  41. Economia 20/04/2017
  42. Economia 19/04/2017
  43. Economia 18/04/2017
  44. Economia 14 a 17/04/2017
  45. Economia 13/04/2017
  46. Economia 12/04/2017
  47. Economia 11/04/2017
  48. Economia 08 a 10/04/2017
  49. Economia 07/04/2017
  50. Economia 06/04/2017
  51. Economia 05/04/2017
  52. Economia 04/04/2017
  53. Economia 01 a 03/04/2017
  54. Economia 31/03/2017
  55. Economia 30/03/2017
  56. Economia 29/03/2017
  57. Economia 28/03/2017
  58. Economia 25 a 27/03/2017
  59. Economia 24/03/2017
  60. Economia 23/03/2017
  61. Economia 22/03/2017
  62. Economia 21/03/2017
  63. Economia 18 a 20/03/2017
  64. Economia 17/03/2017
  65. Economia 16/03/2017
  66. Economia 15/03/2017
  67. Economia 14/03/2017
  68. Economia 11 a 13/03/2017
  69. Economia 10/03/2017
  70. Economia 09/03/2017
  71. Economia 08/03/2017
  72. Economia 07/03/2017
  73. Economia 04 a 06/03/2017
  74. Economia 03/03/2017
  75. Economia 02/03/2017
  76. Economia 25/02 a 01/03/2017
  77. Economia 24/02/2017
  78. Economia 23/02/2017
  79. Economia 22/02/2017
  80. Economia 21/02/2017
  81. Economia 18 a 20/02/2017
  82. Economia 17/02/2017
  83. Economia 16/02/2017
  84. Economia 15/02/2017
  85. Economia 14/02/2017
  86. Economia 11 a 13/02/2017
  87. Economia 10/02/2017
  88. Economia 09/02/2017
  89. Economia 08/02/2017
  90. Economia 07/02/2017
  91. Economia 04 a 06/02/2017
  92. Economia 03/02/2017
  93. Economia 01/02/2017
  94. Economia 31/01/2017
  95. Economia 28 a 30/01/2017
  96. Economia 27/01/2017
  97. Economia 25 e 26/01/2017
  98. Economia 24/01/2017
  99. Economia 21 a 23/01/2017
  100. Economia 20/01/2017