ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Os Caminhos para Produtividade

PRODUTIVIDADE

Ana Penarotti temproaro

Ana Penarotti

Ana Penarotti (*)

Quando falamos em produtividade, logo pensamos de que forma a tecnologia pode contribuir para aumentar ou melhorar os resultados da organização. E de fato a cada dia surge uma nova ferramenta que automatiza tarefas manuais, lançam uma nova tecnologia que facilita a vida das pessoas e melhora os resultados da organização.

Aumentar a produtividade tornou-se uma questão de sobrevivência para os negócios, num mundo globalizado em que vivemos, com uma concorrência acirrada de mercados competitivos e consumidores cada vez mais exigentes. Ter a tecnologia aliada aos negócios, é um importante caminho mas não é o único.

Para ter a produtividade em dia – ou acima do esperado, os fatores relacionados ao capital humano pesam muito. E para a conta ter resultado positivo, são as pessoas, quando realmente engajadas e motivadas, alem de alinhadas ao propósito da organização que têm grandes chances de garantir este resultado. O comprometimento do colaborador impacta diretamente nos resultados, desde a satisfação dos clientes, produtividade e até nos custos.

De acordo com uma pesquisa da SocialBase, 20% dos profissionais não estão felizes onde trabalham e buscam por novas oportunidades. Além disso, outros 49% revelam que empreender será seu próximo passo na carreira. Ou seja, 69% dos profissionais pesquisados, buscam recolocar-se de outra forma no mercado de trabalho. Segudo o estudo Tendências mundiais para o capital humano, da consultoria Deloitte, apenas 13% dos colaboradores estão realmente engajados. E como saber se seus colaboradores estão realmente engajados? Vejamos alguns passos que poderão ajudá-lo a conquistar o engajamento de seus colaboradores.

O PROPÓSITO
A empresa deve ter um propósito claro, deve saber exatamente por que existe e o que quer levar para seus clientes e consumidores. O propósito é algo que direciona, inspira e faz seguir em frente mesmo diante das adversidades. Comunicar o propósito é o primeiro passo para compreender porque devemos gerar resultados, atingir objetivos e metas. A organização ao ter clareza de seu propósito, deve buscar profissionais que se identifiquem com o mesmo propósito e que sintam-se inspirados por eles.

ENGAJAMENTO
Ter clareza do propósito e comunicá-lo adequadamente, não garante que este seja sustentável, a empresa precisa motivar suas equipes, não adianta implementar um projeto com foco nas lideranças, gerar um alto engajamento inicial se não estiver disposta e atenta as mudanças que não param de surgir. Para manter os colaboradores engajados, exige um comprometimento gigantesco por parte da empresa também. O que tenho observado é que os melhores exemplos de engajamento, partem de colaboradores que se comprometeram com a cultura organizacional e abraçaram o propósito.

Uma importante forma de estimular o engajamento é encorajar a sua criatividade, o espírito de colaboração e o trabalho em equipe, assim como valorizá-lo e reconhecê-lo de forma justa.

PESQUISAS E FEEDBACK
Existem diversas formas de medir o engajamento dos colaboradores, porém a realização de programas de assessment que dão a devida atenção ao comportamento de seus colaboradores promovem a melhor alocação, o preenchimento adequado e sustentável de posições e alavancam os resultados. As pessoas quando realizam atividades alinhadas com sua preferência comportamental, tendem a ser mais felizes e gerarem melhores resultados.

É comum também que as empresas realizem pesquisas de clima e engajamento, periodicamente. E para que sejam fiéis nas suas respostas, é importante que aconteçam de forma anônima. Os resultados devem ser apresentados de forma transparente e comparados com os resultados de empresas concorrentes, dessa forma é possível compreender os resultados e o desempenho da sua empresa dentro do universo escolhido.
Algumas perguntas que contribuem para a avaliação do engajamento da equipe:

• Você se vê trabalhando nesta empresa nos próximos dois anos?

• Que carreira pretende seguir no futuro?

• Tem acesso ao aprendizado e desenvolvimento necessários para melhorar a qualidade do seu trabalho?

• Sente-se confiante com relação a empresa e sua liderança?

Além do conhecimento profundo sobre as pessoas e o entendimento sobre quais habilidades elas possuem e que podem agregar valor ao negócio, é importante gerar um olhar mais humano e menos técnico por parte do RH e de suas lideranças.

CAPACITAÇÃO
Levar a sério o desenvolvimento de seus colaboradores é essencial para garantir a produtividade e alcançar os objetivos estratégicos. Os conceitos de conhecimento também está passando por transformações. O conhecimento do colaborador, não se limita mais aos treinamentos convencionais patrocinados pela organização. É importante reforçar que o principal responsável pela carreira é o próprio profissional e não o RH. Os treinamentos tradicionais, presenciais técnicos e comportamentais, devem continuar existindo mas em um mundo veloz e digital, passamos a contar com pílulas de conhecimento, vídeos, webinars, tutoriais, artigos, jogos de tabuleiro e uma variedade de modelos novos e dinâmicos de aprendizagem. O grande desafio está em trazer para os colaboradores a responsabilidade de aprendizagem e desenvolvimento contínuos nas mais diversas formas.

O PAPEL DO LÍDER
Entender a importância do trabalho para cada colaboradar, comunicar o propósito, formar equipes engajadas com o propósito da organização e a melhor forma de medir a produtividade e fornecer feedback fazem parte de grande parte dos desafios do líder.

Embora o colobarador tenha fácil acesso a informação, tem a carreira em suas próprias mãos, quem nunca ouviu dizer que um dos maiores motivos que levam um colaborador deixar a organização está no seu líder e não na empresa em si? Pois é, o líder precisa conhecer sua equipe de forma única, saber seus anseios, propósitos, pontos fortes e a desenvolver, assim como o alinhamento e sentimento que cada um tem em relação a organização.

Para que exista essa aproximação entre líderes e colaboradores, é necessário que surjam iniciativas voltadas para os anseios e necessidades individuais, desenvolver diretrizes e políticas ajustáveis e amplas. Cuidar de comporatmentos e produtividade.

Além disso, cabe ao líder, dentro da contribuição para a produtividade, atuar também como protagonista da transformação digital e tecnológica a partir de mudanças de mindset e capacitando profissionais nas novas ferramentas disponíveis na Indústria 4.0. Hoje a produtividade está mais relacionada a recursos humanos do que o conceito inicialmente estabelecido de se fazer mais com menos recursos e em menos tempo.

(*) É especialista em Gestão de Pessoas, atua no desenvolvimento de líderes, sócia da Ciclo85, membro dos Empreendedores Compulsivos, co-autora do livro PNL e Coaching. Docente em cursos de pós graduação e facilitadora de grupos de estudos na ABRH.

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171