ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

TI Bimodal, sim! Por favor, deixe os meninos brincarem

Em 2014, o Gartner cunhou um novo termo em tecnologia, a Bimodal IT em inglês, ou em português TI Bimodal. Este novo modelo sugere duas TI’s, sendo a primeira uma TI tradicional dando ênfase em escalabilidade, eficiência, segurança e acurácia, unindo-se a uma segunda, que é mais leve, focada na agilidade e velocidade, além de menos burocrática

images new temproario

Alex Marin (*)

Ouvir do Gartner que temos uma TI tradicional gera ceticismo aos mais desavisados: “Não é da TI que vem tudo que é tecnológico? Tecnologia não é sinônimo de inovação?”. Pois é, sinto lhe dizer, mas o Gartner está certo e ambas as respostas são “não”!

A chamada TI tradicional é aquela que encontramos na maioria das grandes corporações hoje. Tornou-se pragmática, preocupada excessivamente com seus orçamentos e custos, obsessiva em manter o ambiente blindado e operante, segurança, governança e performance, suportando o negócio, que são prioridades indiscutíveis.

Seja por preciosismo ou questões de regulamentação, a TI tornou-se lenta, burocrática e com pouca capacidade de inovar e agir rapidamente. Em contrapartida temos uma mudança radical no mundo dos negócios, alavancada pela imediatista economia digital, na qual o “faça tudo primeiro” – tudo é prioridade e questão de sobrevivência - é a ordem da vez. Pode parecer utópico para uma grande corporação fazer tudo ao mesmo tempo, e talvez seja, mas é totalmente factível para pequenas empresas, as chamadas startups.

Elas estão se antecipando e propondo produtos e serviços inovadores com ciclo de vida agressivamente rápido e isto dita o mercado. E este movimento só é possível porque o modelo de negócio das startups é, muitas vezes, tentar. Termos como errar, mudar, reinventar geram calafrios em companhias de grande porte. Porém, as empresas da economia digital, por sua vez, têm isso em sua essência.

É aí que o Gartner se apoia quando aborda a TI bimodal. Segregar a TI de modo a existir pequenas startup’s dentro das grandes corporações, silos que possuam capacidade de acelerar negócios, produtos ou soluções sem a burocracia da TI tradicional, além de permitir a criação de uma cultura de inovação. Como resultado está a possibilidade de mitigar e estancar eventuais riscos para os negócios.

Caberá aos CIO’s entender este novo modelo e implementá-lo dentro de suas corporações. As impressionantes histórias de empresas inovadoras crescem a cada dia e nos remetem a jovens brincando e produzindo algo realmente incrível, artesanal e inovador em garagens ou laboratórios de universidades. Será que com a TI bimodal as grandes corporações e principalmente seus investidores deixarão os meninos brincarem?

(*) É Innovation Manager da Sonda IT, maior integradora latino-americana de Tecnologia da Informação.


Soluções móveis que ajudam as cidades é tema de destaque no Fórum Mobile+

Problemas relacionados a educação, saúde, saneamento e mobilidade urbana são comuns nas cidades brasileiras. Com o avanço da tecnologia, diversos mecanismos estão sendo criados e têm permitido cidades a alcançarem soluções de maneira rápida e eficiente. No dia 23 de setembro, durante o Fórum Mobile+, especialistas discutirão sobre o assunto, no painel “Cidades conectadas: soluções móveis para melhorar a vida nas grandes metrópoles”, às 11h. A 8ª edição do evento acontecerá nos dias 22 e 23 de setembro, no WTC Center, em São Paulo.
O painel vai abordar maneiras de conectar cidades inteiras através da tecnologia. O CEO da Serttel, Ângelo Leite; o gerente da divisão de smart cities e IoT da Telefônica Vivo, Eduardo Koki Iha; o gerente sênior de tecnologia da Promon Logicalis, Lucas Pinz; o secretário municipal de serviços de São Paulo, Simão Pedro Chiovetti; além de George Soares, do Centro de Operações Rio (COR); e Ivan Souza, da Geist farão apresentações sobre as experiências de smartcities no Brasil. O painel faz parte de um dia inteiro dedicado à Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês).
Em um futuro próximo, quase tudo ao nosso redor poderá estar conectado e interligado via Internet. As smart cities têm o crescimento inteligente e planejado por meio das tecnologias e, além de serem conectadas e possuírem um grande fluxo de dados sobre vários de seus indicadores, evoluem de forma coletiva, digital e integrada. As cidades inteligentes são também cidades digitais, mas nem todas as cidades digitais são necessariamente inteligentes. A diferença está na capacidade das smart cities em resolver problemas e fazer uso efetivo das tecnologias, para melhorar a qualidade de vida urbana.
Elas já são uma prioridade de estudo e investimentos nas políticas da União Europeia. Em Portugal foi criada, em 2013, a Rede “SmartCities Portugal”, com o objetivo de promover o desenvolvimento das cidades de forma integrada e criar inovações para servirem de base para outros países. O projeto já é um sucesso e avança cada dia mais.
“A discussão é importante e o assunto está extremamente em evidência, já que é uma tendência natural da evolução das tecnologias e da globalização. A IoT interligando cidades revolucionará diversas questões das gestões municipais no Brasil, mas ainda é um desafio muito grande”, ressalta o editor do Mobile Time, Fernando Paiva, um dos curadores do Forum Mobile+.
Além de IoT, o evento terá um dia inteiro dedicado a painéis e palestras sobre Varejo Móvel. A programação é composta por um congresso principal e uma sala paralela, na qual serão ministradas palestras sobre diversos assuntos relacionados ao mercado de soluções móveis corporativas (B2B), como sistemas de ERP, BI e CRM acessíveis em smartphones e tablets e uma área de exposição. A programação do Forum Mobile+ é elaborada pelos editores do MOBILE TIME (Fernando Paiva), TI INSIDE (Claudiney Santos) e Samuel Possebon (TELETIME). Inscrições e valores pelo site: http://convergecom.com.br/ portal/eventos/forum-mobile/

 

Microsoft abre inscrições para a Imagine Cup 2016

A nova temporada da Imagine Cup 2016, maior competição mundial de tecnologia, começou e os estudantes de todo o Brasil já podem realizar as inscrições pelo site: www.imaginecup.com escolhendo entre as categorias Games, Inovação e Cidadania e diversos desafios online. O torneio representa uma oportunidade para que jovens se engajem ainda mais no universo da tecnologia, aprendam a construir ideias criativas e desenvolvam novas habilidades.
Dentre as novidades da 14ª edição do torneio está o Imagine Cup Earth, fruto de uma parceria entre a Microsoft e a NASA, que desafia jovens de duas faixas etárias: 6 a 13 anos e 14 a 18 anos a desenvolverem apps, jogos e websites em prol do meio ambiente e do planeta.
A iniciativa da Microsoft tem o intuito de conectar estudantes de todo o mundo e fornecer a eles ferramentas, recursos e experiências que transformem ideias inovadoras em realidade. “A Microsoft está em busca de projetos com potencial de negócios, e, o resultado tem sido positivo, pois 60% dos projetos da Imagine Cup viraram startups pelo mundo”, diz Richard Chaves, diretor de Inovação e Novas Tecnologias da Microsoft Brasil.
Os estudantes com mais de 16 anos que se inscreverem para as categorias principais da competição; Games, Inovação e Cidadania concorrerão ao prêmio de $50 mil dólares, a um programa de aceleração e ainda podem ter a chance de representar o Brasil na fase mundial, que ocorrerá em julho de 2016, em Seattle, com todas as despesas pagas.

Nova versão da smartband Nabu

Nabu 01-01 temproario

A Razer, líder mundial em dispositivos conectados e softwares para gamers, acaba de anunciar o lançamento de sua smartband Razer Nabu. Simultaneamente, a Razer lança um divertido guia para sobreviver a uma invasão de zumbis usando a Razer Nabu. O vídeo – “Cinco regras de sobrevivência Zumbi” – inaugura a campanha de marketing que destaca os benefícios de “viver de forma mais inteligente” com a Nabu e está disponível em http://rzr.to/nabu-ad.
A Razer vai comemorar sua próxima geração de produtos vestíveis na PAX Prime, em Seattle-EUA, presenteando os gamers presentes na feira com duas mil pulseiras PAX Blue Nabu X.
Nabu e Nabu X receberão atualizações importantes através de um novo aplicativo companheiro que será compatível com ambos dispositivos. O app vem com uma interface mais vibrante e que dá uma noção mais clara das atividades diárias do usuário, e traz avanços nos algoritmos de rastreamento auto sleep, entre outras funcionalidades. Os usuários atuais da Nabu X já podem baixar a versão beta do aplicativo companheiro em www.razerzone.com/nabu-x.
A exclusiva tecnologia de comunicação de banda-a-banda é integrada à Razer Nabu. Os usuários poderão rastrear atividades físicas e visualizar notificações do smartphone diretamente em seu pulso através da tela OLED. Para saber mais sobre a Razer Nabu, visite www.razerzone.com/nabu.

Cloud Computing na Saúde já é uma realidade

Roberto Ribeiro da Cruz (*)

A área da saúde muitas vezes é resistente quando o assunto é adoção de tecnologias de ponta

No caso do Cloud Computing não poderia ser diferente. As instituições do setor, muitas vezes, demoram a compreender de forma plena os benefícios da nuvem para os negócios, mas é viável dizer que já há uma maturidade nesse sentido, mesmo que relativa. De acordo com um estudo do instituto de pesquisas Marketsandmarkets, a previsão é de que, até 2017, o Cloud Computing na área de saúde gere US$ 5,4 bilhões no mundo.
Alguns segmentos já vem utilizando esse recurso plenamente, especialmente nos últimos anos, em que houve uma melhoria na estrutura de telecomunicações no Brasil. A autorização de exames de convênios médicos, por exemplo, já é feita muitas vezes via internet, além disso, o preenchimento de formulários que padronizam as trocas eletrônicas de informaçõesem saúde suplementar, as guias TISS, também já funciona amplamente em Cloud. As operadoras de saúde foram uma das primeiras áreas a incluir a nuvem em sua rotina e em sua comunicação com as clínicas, inclusive, para distribuição de resultados de exames.Segundo dados da Transparency Market Research, até 2018, 80% dos dados das instituições focadas em saúde passarão por essas tecnologias, o que poderá transformar alguns aspectos do setor, tornando os processos mais dinâmicos e funcionais.
As vantagens da adoção desses sistemas, tanto do ponto de vista de negócios quanto em relação a otimização de processos, são várias. A redução de custos em infraestrutura é apenas uma delas. Como não é necessário uma grande quantidade de equipamentos para armazenar ou atualizar dados, os sistemas são altamente escalonáveis, portanto, os responsáveis pela adoção do Cloud Computing numa empresa não precisarão fazer cálculos para os próximos cinco ou mais anos, prevendo o crescimento da instituição, afinal, com a nuvem, a qualquer momento é possível aumentar ou diminuir a capacidade. Há ainda a facilidade de armazenamento de dados e de acesso remoto. E, por causa da facilidade em atualizar o sistema na nuvem, a segurança e preservação de dados permanece sempre alta, pois existem replicação das informações em servidores por todo o mundo. Além disso, qualquer falha de segurança pode ser rapidamente detectada e corrigida e o sistema atualizado para todos os usuários instantaneamente.
No momento, ainda temos algumas barreiras para a adoção completa do Cloud Computing, como a cobertura de banda larga, que precisa de melhorias em todo o território nacional, para que áreas como a radiologia, por exemplo, que possui um volume de transferência de dados muito grande, possam trabalhar na nuvem de forma plena. Mas o cenário à frente é favorável. De acordo com o Portal Brasil, até 2016, devem ser investidos R$ 17,7 bilhões em infraestrutura para ampliação da banda larga por todo o país. Com o aprimoramento das redes, a migração para esses sistemas será algo inevitável. Cloud Computing é o futuro e o mercado pode aguardar para usufruir de todos os benefícios ansiosamente­!

(*) É CEO da Pixeon


Aumenta o interesse por soluções antiescuta

A demanda por soluções antiescuta eficazes continua crescendo em todo o mundo, segundo os especialistas em segurança e TI da subsidiária da BlackBerry® Secusmart, empresa alemã especializada em comunicação segura “Fabricada na Alemanha”. Os órgãos governamentais em particular estão demonstrando interesse pelas soluções de alta segurança da Secusmart em Düsseldorf, certamente em função da ampla experiência da empresa com governos e agências governamentais.
“Segredos estatais sempre foram o alvo principal da intercepção de dados. Mas uma solução de segurança para governos e agências governamentais só será eficaz se ela conseguir se integrar facilmente à infraestrutura de telecomunicações existente. E foi exatamente isso que conseguimos alcançar com a solução de alta segurança SecuSUITE para BlackBerry 10”, explica o Dr. Hans-Christoph Quelle, Diretor Executivo da Secusmart.

Solução antiescuta em campo
O SecuSUITE para BlackBerry 10 é uma das soluções mais bem-sucedidas fabricada por especialistas em tecnologia antiescuta. A solução de segurança criptografa não apenas chamadas telefônicas, mas também mensagens de texto, e-mails, e dados pessoais, como catálogos de endereços. Além de organizações e agências governamentais alemãs, governos em todo o mundo também utilizam a solução para sua segurança móvel. O SecuSUITE para governos é a solução mais versátil para a proteção de chamadas telefônicas governamentais em sistemas operacionais BlackBerry 10, iOS® e Android™ (www.secusmart.com).


 

Outras Matérias sobre Tecnologia

 

Mais Lidas

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171