ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Jazz Sinfônica

jazz abre

Com canções de Chico Buarque e Edu Lobo, espetáculo musical “O Grande Circo Místico” ganha vida com interpretações da Jazz Sinfônica

Um clássico dos musicais brasileiros, com trilha sonora feita por Chico Buarque e Edu Lobo em 1982, “O Grande Circo Místico” ganha vida com interpretações da Jazz Sinfônica. Nos shows, os cantores Edson Montenegro e Juliana Amaral dão voz às belas canções do espetáculo. Com regência de João Maurício Galindo, o concerto conta ainda com performances circenses.

Serviço: Auditório Ibirapuera, Av. Pedro Álvares Cabral, s/n, portão 2, Parque Ibirapuera, tel. 3629-1075. Sexta (21) e sábado (22), às 21h. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia).

REFLEXÃO

DIRIGIR A SI MESMO

O homem necessita zelar pela sua sanidade mental... A imperfeição é causa de neuroses as mais variadas. A irritação e o azedume frequentes denunciam instabilidade emocional. É natural que o ser humano se sinta constantemente contrariado... Estando em transição, nada lhe é definitivo. Porém, em meio aos seus conflitos, ele precisa asserenar-se... Buscar o ponto de equilíbrio. Administrar seus estados contraditórios. Não se tornar joguete das próprias emoções. Neste sentido, a meditação ser-lhe-á de inestimável valia para que, de certa forma, ele consiga entrar na posse de si mesmo. Nada de decisões precipitadas que o obriguem a recapitular. É imprescindível que o homem esteja atento às suas instabilidades. Que aprenda a identificá-las e a controlá-las... E, sempre que possível, sem recorrer a medicamentos de contenção que lhe produzam bem-estar ilusório. Sobretudo, compreendendo que o homem, influenciando e sendo influenciado, é também produto emocional do meio em que vive.

Irmão José Médium: Carlos A. Baccelli Do livro “PASSO A PASSO” – Ed. DIDIER

Exposição Assim Viviamos

Obra da exposição

Vladimir Lagrange é considerado um dos maiores fotógrafos vivos da antiga União Soviética, sendo que uma pequena parte de sua produção está em exposição. A mostra apresenta 65 imagens em preto e branco que retratam aspectos do cotidiano urbano e rural da antiga União Soviética. Lagrange iniciou seu trabalho como fotojornalista em 1959, aos 20 anos, na agência de notícias TASS. E mesmo num período de forte censura optou por focar suas lentes na humanidade dos seus conterrâneos. Até nas cenas “oficiais”, seu trabalho se diferenciava dos demais fotógrafos ao preferir enquadrar o indivíduo ao invés das multidões. As fotografias presentes em “Assim Vivíamos” são desprovidas de estéticas ideológicas e constituem um testemunho objetivo e sensível, dotado de um humor inteligente sobre uma época importante da história mundial.

Serviço: Caixa Cultural São Paulo, Praça da Sé, 111, 8º andar, Sé, tel. 3321-4400. De terça a domingo das 9h às 19h. Entrada franca. Até 20/09.

Poesia e música

O show inédito “Jogos da Noite#1”, com a cantora Suzana Salles e o violonista e compositor Pepê Mata Machado traz um repertório com composições inéditas de Pepê a partir de ícones da poesia brasileira do século XIX, num arco que vai de Manuel Bandeira a Euclides da Cunha, de Rimbaud ao filósofo grego Heráclito. Suzana Salles é então convidada ao palco para cantar 10 músicas inéditas e recém-compostas a partir de genuína poesia brasileira. Violões: Pepê Mata Machado. Cello: Felipe Massumi. Bateria e Percussão e samples: Sergio Reze. Arranjos: Suzana Salles, Pepê Mata Machado, Felipe Massumi e Sergio Reze..

Serviço: Teatro de Arena, R. Teodoro Baima, 94, tel. 3256-9463. Segunda (17) às 20h. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia).

Ficção e realidade

‘Do Lado Direito do Hemisfério’ mergulha na mente humana de um indivíduo único.

A peça “Do Lado Direito do Hemisfério” explora a mente humana para descobrir como se sente um indivíduo único entre oito bilhões de pessoas no planeta. O espetáculo usa a linguagem meta-teatral para adaptar livremente casos clínicos reais do escritor e neurologista inglês, Oliver Sacks. A história explora como é ser extraordinário por algo considerado nada especial aos olhos do resto do mundo: ter uma má formação ou disfunção do lado direito do cérebro, que torna seu portador diferente de qualquer outro ser humano. Atores interpretam atores montando um espetáculo com a temática dos textos de Sacks, sem que os espectadores consigam diferenciar ficção de realidade.

Serviço: CCBB SP - Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo, R. Álvares Penteado, 112, Centro, tel. 3113-3651. De quarta a sexta às 20h. Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia). Até 25/09.

“Horóscopo do Amor”

A Terça Insana Produções Artísticas faz 4 ensaios abertos da peça “Horóscopo do Amor”, uma comédia solo estrelada por Vivi Fernandez. A comédia conta a estória de uma aspirante à atriz de 35 anos que, até então só fez testes, e que sentindo-se pressionada pela chegada dos 40 anos, começa uma procura insana pelo sucesso profissional e por um grande amor. Seguindo os conselhos de sua assistente espiritual, que mora em Dubai e atende pelo Skype, ela vai procurar seu grande amor com homens de todos os signos do zodíaco, e profissionalmente se arrisca a entrar em contato com artistas que admira para oferecer seu trabalho.

Serviço: Teatro Augusta, R. Augusta, 943, Cerqueira César, tel. 3151-4141. Sábados às 23h30. Ingresso: R$ 25. Até 29/08.

Imobilidade

Baseada em histórias e experiências pessoais dos atores, Poema Suspenso Para Uma Cidade em Queda é a nova montagem da Cia Mungunzá. A montagem mostra um pouco sobre o sentimento de imobilidade que atinge muitas pessoas nos dias de hoje. Uma pessoa cai do topo de um prédio e não chega ao chão. Os anos passam e este corpo não consuma a queda. A partir daí, a vida das pessoas nos apartamentos desse edifício fica presa numa espécie de buraco negro pessoal, onde cada um vive uma experiência que não finaliza. Cada personagem fica preso em sua metáfora, ignorando o conjunto à sua volta. Trata-se de uma fábula contemporânea sobre a sensação de suspensão e paralisia geral do mundo moderno. Com Verônica Gentilin, Virginia Iglesias, Lucas Bêda, Marcos Felipe e Mariza Junqueira.

Serviço: Sesc Santo Amaro, R. Amador Bueno, 505, Santo Amaro, tel. 5541-4000. Quintas e sextas às 21h e sábados e domingo às 19h. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia). Até 30/08.



Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171