ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Cinco anos depois de Fukushima, Japão defende energia nuclear

Explosão na usina nuclear de Fukushima, em 11 de março de 2011.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abea, defendeu que o país não pode ficar sem energia nuclear, em uma conferência de imprensa na véspera do quinto aniversário do acidente nuclear de Fukushima

Em 11 de março de 2011, um terremoto de 9 graus de magnitude ao longo da costa Nordeste do Japão deu origem a uma onda gigantesca que varreu aquela região do arquipélago, deixando cerca de 18,5 mil mortos e desaparecidos. As três regiões mais atingidas foram Iwate, Miyagi e Fukushima, onde se situa a central nuclear de Fukushima Daiichi e que sofreu o pior acidente nuclear desde Chernobyl, na Ucrânia, em 1986, quando o núcleo de três dos seis reatores em funcionamento entrou em fusão.
“O nosso país, de escassos recursos, não pode ficar sem energia nuclear se quiser garantir a estabilidade do fornecimento energético, tendo em conta considerações econômicas e as alterações climáticas”, declarou Shinzo Abe. Depois de um discurso sobre os progressos na reconstrução da região do Nordeste do Japão, devastada há cinco anos, o primeiro-ministro questionou a decisão judicial de emitir uma ordem para desligar dois reatores nucleares. Os dois reatores foram reativados recentemente depois de terem sido considerados seguros de acordo com o novo regulamento de segurança, criado após o desastre de Fukushima.
Shinzo Abe declarou que o governo “não vai mudar sua política” nuclear, que permite reativar reatores considerados seguros. “A autoridade reguladora nuclear decidiu que estes reatores estavam em conformidade com as normas de segurança, que são as mais restritas do mundo, com base em critérios técnicos e científicos”, insistiu. Atualmente, existem 43 reatores nucleares no Japão (contra 54 antes da catástrofe de Fukushima), mas apenas dois estão em funcionmento. Outros dois - Takahama 3 e 4 - entraram em funcionamento total ou parcial, após a decisão judicial.
De acordo com pesquisas de opiniões feitas regularmente por meios de comunicação japoneses, a maioria da população é contrária ao reativamento de centrais nucleares.
O Japão, sexto emissor mundial de gases de efeito estufa, comprometeu-se a reduzir em 26% as emissões, entre 2013 e 2030. Para alcançar este objetivo, a energia nuclear devia fornecer entre 20% e 22% da eletricidade, de acordo com os compromissos apresentados por Tóquio à ONU. A proporção era de entre 25% e 30% antes do acidente. As energias renováveis vão aumentar entre 22% e 24% até 2030, contra 11% até o final de março de 2014 (Ag. Lusa).

Começou a restauração do Museu de Língua Portuguesa

A conclusão das obras de reparo do Museu da Língua Portuguesa deve ocorrer até o fim de junho.

Dois meses e meio após o incêndio que atingiu o Museu de Língua Portuguesa e comprometeu parte do prédio histórico da Estação da Luz, o governo paulista anunciou que o local passará por reformas, em fase que antecede o restauro da arquitetura. As obras devem se estender até o fim de maio ou início de junho a um custo estimado em R$ 1,8 milhão. Os recursos serão destinados pela companhia de seguros do Museu.
O prédio, tombado como patrimônio histórico, data de 1867.
Estão programadas a impermeabilização das lajes expostas, instalação de sistemas de drenagem e correção dos estragos no telhado. Só após a conclusão dessas etapas, serão reabertas as entradas principais no saguão da Estação da Luz com acesso às áreas de embarque e desembarque da CPTM e do Metrô. Por esses locais, passavam diariamente cerca de 400 mil passageiros. Inaugurado em 2006, o museu recebeu ao longo de seu funcionamento em torno de quatro milhões de visitantes.
Para sua reconstrução foi assinado, em janeiro, um convênio entre a Secretaria de Cultura, Fundação Roberto Marinho e organização social ID Brasil. Por essa parceria, ficou acertado que as obras deverão seguir as linhas originais de criação dos arquitetos Pedro e Paulo Mendes da Rocha. A Secretaria informou ainda que algumas de suas atividades continuam sendo desenvolvidas, entre elas a exposição itinerante Estação da Língua.
Nessa mostra, que está percorrendo as cidades do interior paulista, o público pode contar com os mesmos recursos audiovisuais e de interatividade do Museu antes do incêndio. Um dos destaques é o Mapa dos Falares, por meio do qual se pode conhecer a regionalidade do português falado em diferentes regiões do estado. A Estação da Língua poderá ser vista gratuitamente até 2 de abril, no Palacete das Rosas Paulo A. C. Silva, em Araraquara. Em seguida, ela será levada para Pirassununga (ABr).

NEYMAR NEGA DENÚNCIA DE SONEGAÇÃO

neymar temporario

O atacante Neymar e seu pai, Neymar Santos, negaram as acusações de sonegação de impostos, as quais respondem processos na Espanha e no Brasil. “Meu pai faz tudo para que eu só jogue bola. A partir do momento em que você ouve pessoas falando coisas de uma pessoa que você ama e que não é verdade, aí começa a doer. Antes de falarem besteira, que sonegamos, que então prove”, disse Neymar em entrevista ao “Fantástico”.

Seu pai afirmou que “não há nada” que prove que eles cometeram os crimes e que “se nós cometemos algum erro tributário, não tem problema, nós vamos pagar”. Segundo Santos, acusá-los de adulteração e sonegação “aí já passou dos limites”. A acusação no Brasil foi feita pelo procurador Thiago Lacerda Nobre. Em entrevista à revista “Veja”, Nobre afirmou que o pai de Neymar abriu três empresas para adulterar documentos e para driblar o fisco durante a época em que o atacante jogava no Santos. 
Hoje (2), Neymar e seu pai terão que prestar esclarecimentos à Justiça da Espanha, mas dessa vez pela polêmica transferência do Santos para o Barcelona. O processo, que foi aberto pelo grupo DIS, questiona os valores da transferência. À época, o clube catalão disse ter pago 17,1 milhões de euros pelo brasileiro - em uma negociação que custou mais de 80 milhões de euros (ANSA).

Show do Rolling Stones em Cuba deve atrair 400 mil pessoas

Autoridades cubanas se preparam para receber 400 mil espectadores para o concerto gratuito da banda.

Enquanto Mick Jagger foi fotografado passeando em Bogotá na Colômbia durante a turnê sul-americana dos Rolling Stones, em Cuba as autoridades se preparam para receber, pelo menos, 400 mil espectadores para o concerto gratuito da banda. O evento ocorrerá no estádio de beisebol em Havana no dia 25 de março. O jornal oficial do Partido Comunista de Cuba, “Granma”, informa que o palco do show terá 80 metros de comprimento por 56 de largura e 20 de altura e ficará pronto em cinco dias.
Enquanto isso, também é feita a logística de segurança para controlar a multidão que deve invadir a Cidade Esportiva na capital. Osmani Lopez Castro, vice-presidente do Instituto Cubano de Música, disse que “somos capazes de garantir um lugar com condições adequadas para todos aqueles que vêm para o concerto”, destacando que o show também será gratuito para os estrangeiros “uma cortesia feita a pedido do grupo”.
Lopez Castro, no primeiro momento se opôs à data por coincidir com a Sexta-Feira Santa, uma data tradicionalmente familiar, mas logo voltou atrás dizendo que “se a banda decidiu realizar um concerto em Cuba, vale a pena abrir uma exceção”. Este show acontecerá apenas três dias após uma visita histórica do presidente norte-americano, Barack Obama. O encontro marca a retomada das relações bilaterais entre as duas nações, rompidas há mais de 50 anos devido aos conflitos da Guerra Fria (ANSA).

Nova mobilização nacional contra o Aedes aegypti

Divulgação

O governo federal faz hoje (11) nova mobilização com servidores em prédios públicos federais e de empresas estatais em todo o país. O objetivo é eliminar possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, que transmite os vírus da dengue, da febre chikungunya e da zika. A ação envolverá ministros e presidentes de empresas, bancos públicos e autarquias. Segundo o Ministério do Planejamento, o objetivo é reforçar a atenção da sociedade, em especial do funcionalismo público federal, para o combate ao Aedes aegypti e assegurar que todos os servidores estejam informados e engajados de forma permanente em ações para eliminação dos criadouros do mosquito.
De acordo com a pasta, a ação visa intensificar as vistorias nos imóveis federais e servirá para que os gestores públicos verifiquem a regularidade das ações executadas e se estão sendo realizadas de forma adequada, além de reforçar a continuidade do trabalho. Os gestores também deverão fazer um balanço das atividades de combate ao mosquito desenvolvidas até o momento. Também serão feitas mobilizações nas agências do INSS, da Caixa e do Banco do Brasil e no Embratur, entre outros órgãos.
A mobilização dará continuidade ao trabalho iniciado em 29 de janeiro, com o mutirão de combate ao mosquito na administração pública federal que foi focado nos prédios da Esplanada dos Ministérios. Serão realizadas ações mais intensivas em 223 municípios considerados prioritários, escolhidos com base na ocorrência da dengue e com população superior a 50 mil habitantes. Além dos mutirões de limpeza, serão feitas palestras e distribuído material informativo em vários órgãos públicos. A mobilização é organizada pela Casa Civil da Presidência da República e pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (ABr).

MEC divulga cursos que serão avaliados no Enade 2016

O Ministério da Educação (MEC) publicou ontem (10) no DOU as regras para o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), em 2016, que será aplicado no dia 20 de novembro. O Enade deste ano servirá para avaliar o desempenho dos estudantes dos cursos de bacharel em agronomia, biomedicina, educação física, enfermagem, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, medicina, medicina veterinária, nutrição, odontologia, serviço social e zootecnia.
A prova também será feita por estudantes dos cursos de tecnólogo nas áreas de agronegócio, estética e cosmética, gestão ambiental, gestão hospitalar e radiologia.
O objetivo do exame é avaliar o conhecimento dos estudantes do último ano dos cursos de graduação sobre o conteúdo programático, suas habilidades e competências.
O resultado é usado para compor índices que medem a qualidade de cursos e instituições de ensino superior. Os estudantes devem fazer o Enade para obter o diploma, no entanto, não existe um desempenho obrigatório aos alunos (ABr).

 
 
 
 
 

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171