ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Lei Seca reduziu acidentes, mas é preciso pensar em alternativas ao carro

Polícia Rodoviária Federal itensifica ações de fiscalização em períodos festivos como o carnaval.

A aplicação da Lei Seca tem ajudado a diminuir o número de acidentes no trânsito. Dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) mostram ligeira redução no número de acidentes ocorridos por influência do álcool, após a lei ter estabelecido tolerância zero e aumentado o valor da multa para quem for flagrado embriagado ao volante, em 2012

Naquele ano, foram registrados 7.594 acidentes; no ano seguinte, 7.526; e, em 2014, 7.391. Dados do Ministério da Saúde, divulgados em dezembro de 2015, também mostram redução no número de mortes em acidentes de trânsito.
Em 2013, foram registradas 42.266 mortes e, em 2014, 40.294 – uma redução de 5%. Apesar da redução no número de acidentes, o país está muito distante da média mundial de 8,3 mortes por grupo de 100 mil habitantes. Atualmente, o Brasil atingiu a taxa de 19,9 mortos por grupo de 100 mil habitantes - o menor índice desde 2010, mas ainda distante da meta do Plano Nacional de Redução de Acidentes, de 2011, de reduzir em pelo menos 50% o número de mortes no trânsito até 2020.
“O Brasil tem feito muito pouco ou quase nada. Não existe uma estratégia com vista a atingir essa meta. Existem ações mais ou menos isoladas e que estão focadas em tornar a legislação mais rigorosa em alguns aspectos: excesso de velocidade, consumo de álcool. Isso tem sido objeto de algum rigor no código de trânsito e ações de fiscalização. Mais do que isso, a gente não vê”, critica o professor da UnB e especialista em trânsito, Paulo Cesar Marques da Silva.
Para ele, ações de fiscalização, intensificadas durante períodos festivos como o carnaval, e campanhas educativas são mecanismos importantes, mas o país precisa avançar em ações integradas e em estratégias que diminuam a dependência do carro. Ele avalia que Poder Público deve liderar um debate sobre mobilidade urbana e investir no transporte público para evitar a dobradinha álcool e direção. “Essa ação de proporcionar a mobilidade sem a necessidade de usar o automóvel facilita porque as pessoas podem se divertir sem ter a necessidade de usar o álcool. Tudo isso funcionando direitinho, a gente tem, lá na ponta, a redução do número de acidentes”, afirmou.
Segundo o professor, não se trata de demonizar o carro particular, mas de promover estímulo ao carro, ao transporte público e à segurança no trânsito. “Ninguém compra o carro para ficar parado. Mas existe a possibilidade de as pessoas comprarem o carro para usar no final de semana, de não precisarem depender do carro o tempo todo”, defende (ABr).

Descobertas ondas gravitacionais previstas há 100 anos por Einstein

Ondas gravitacionais estavam previstas há um século, pela Teoria da Relatividade de Albert Einstein.

Confirmando rumores que circulavam há alguns dias, o Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro Laser, dos Estados Unidos, anunciou ontem (11) a descoberta das ondas gravitacionais previstas, há um século, pela Teoria da Relatividade de Albert Einstein. A novidade foi publicada na revista científica Physical Review Letters e divulgada simultaneamente nos EUA e na cidade de Cascina, na Itália, onde está o projeto Virgo, colaborador das pesquisas.
“É a primeira detecção direta das ondas gravitacionais e abre um novo capítulo na astronomia”, declarou o cientista italiano Fulvio Ricci, coordenador do Virgo. Previstas há um século por Einstein, as ondas gravitacionais são ondulações no tecido do espaço-tempo provocadas por eventos cósmicos violentos, como quando se atira uma pedra em uma lagoa. No caso das ondas descobertas, a origem do fenômeno está na colisão entre dois buracos negros ocorrida 1 bilhão de anos atrás.
Ou seja, para a física a novidade é duplamente surpreendente, já que também dá a primeira prova direta da própria existência dos buracos negros. “Observamos o primeiro evento em absoluto no qual uma colisão não produz dados observáveis, a não ser por meio das ondas gravitacionais. Durou uma fração de segundo, mas a energia emergida foi enorme, equivalente a três massas solares”, acrescentou Ricci.
O primeiro sinal que confirma a existência das ondas gravitacionais foi detectado em 14 de setembro de 2015, dentro de uma janela de apenas 10 milissegundos, na Europa, pelo italiano Marco Drago, enquanto se encontrava na cidade alemã de Hannover. A descoberta ocorre três meses depois do centenário da Teoria da Relatividade Geral de Albert Einstein, que revolucionou a compreensão do universo. Desde já, a novidade é forte candidata e levar o prêmio Nobel de Física em 2016 (ABr/ANSA).

Receita para Farmácia Popular válida por 180 dias

O prazo de validade das prescrições, laudos ou atestados médicos para retirar medicamentos do Programa Farmácia Popular do Brasil passará de 120 para 180 dias, exceto para os anticoncepcionais que permanecem com validade de 365 dias. Segundo o Ministério da Saúde, a ampliação tem o objetivo de equiparar os prazos das receitas emitidas e atendidas pelo SUS com as receitas emitidas e atendidas pela rede credenciada do Farmácia Popular.
Outra alteração no programa é em relação à obrigatoriedade da apresentação da receita com o endereço do paciente. Agora, o preenchimento dessa informação poderá ser feita pelo profissional farmacêutico, com a anuência do paciente. Até então, cabia somente ao médico disponibilizar o nome e o endereço residencial do paciente e, expressamente, o modo de usar a medicação, além das suas informações profissionais.
Em nota, o ministério ressaltou que as farmácias e drogarias deverão respeitar o valor de referência dos medicamentos disponibilizados gratuitamente ou para venda pelo programa. A solicitação de distribuição de medicamentos gratuitos somente será autorizada se a farmácia e drogaria informar o valor do medicamento igual ou abaixo do valor de referência definido. A portaria com os valores de referência dos medicamentos e as novas regras do programa foi publicada no Diário Oficial da União no dia 29 de janeiro (ABr).

EUA aprovam novas sanções contra a Coreia do Norte

Imagem da TV estatal norte-coreana mostra lançamento do foguete.

Por 96 votos a zero, o Senado dos Estados Unidos aprovou um novo pacote de sanções econômicas contra a Coreia do Norte. A medida foi tomada após os testes de Pyongyang com o lançamento de um suposto foguete no último domingo (7), considerado uma “provocação” do regime ditatorial de Kim Jong-un. A comunidade internacional afirma que o teste foi, na verdade, os preparativos para o lançamento de um míssil contra os vizinhos Coreia do Sul e Japão.
O presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado, o republicano Robert Phillips Corker, comemorou a aprovação dizendo que “quando temos supostos ‘parceiros’ no Conselho de Segurança da ONU que não estão dispostos a tomar medidas, fica ainda mais claro que esta instituição tem que ser pró-ativa”. A fala do político é uma clara referência à China, única parceira do regime norte-coreano. Isso porque um novo pacote de sanções da ONU está sendo “barrada” pelos chineses durante as votações ocorridas na entidade.
A lei aprovada é ainda mais dura do que a autorizada pela Câmara dos Representantes no mês passado, após supostos testes com uma bomba de hidrogênio. As novas sanções têm como objetivo limitar a capacidade de Pyongyang de obter os fundos necessários para desenvolver seu programa nuclear e seu sistema de lançamento de mísseis. Segundo as agências de Inteligência norte-americanas, os norte-coreanos terão reativado uma usina nuclear e poderia ter a capacidade de, em poucos meses ou até semanas, de ter plutônio suficiente para construir uma bomba atômica. As mesmas sanções também foram adotadas pelo Japão (ANSA).

BB e Itaú sobem juros do cheque especial e de empréstimo

O Banco do Brasil e o Itaú elevaram os juros do cheque especial e do empréstimo pessoal aos clientes. Uma pesquisa feita pela Fundação Procon de São Paulo com sete instituições mostra que os demais bancos mantiveram os valores.
Segundo a pesquisa, a taxa média de juros para o cheque especial entre os bancos ficou em 12,79% ao mês, 0,27 ponto percentual superior à taxa média do mês anterior (12,52%). No Banco do Brasil, a taxa passou de 11,8% para 11,91% ao mês e no Itaú, passou de 10,56% para 12,33% ao mês. No empréstimo pessoal, a taxa média de juros entre os bancos pesquisados foi 6,41% ao mês, 0,4 ponto percentual acima do verificado no mês anterior (6,37%) ao mês. No Banco do Brasil, a taxa passou de 5,5% para 5,6% ao mês e no Itaú variou de 6,22% para 6,43% ao mês.
O Procon de São Paulo alerta o consumidor para ficar atento ao custo de uitilização dessas modalidades de crédito. “As taxas de juros refletem o impacto da situação econômica atual do país. No caso de necessitar de crédito, é recomendável pesquisar as melhores taxas e negociar com a instituição financeira, especialmente quando mantiver um vínculo como correntista”. As duas instituições citadas foram contactadas pela reportagem, mas até o momento da publicação do texto não se manifestaram sobre a pesquisa (ABr).

 
 
 
 
 

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171