ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Processos e homenagens marcam três anos da tragédia da Boate Kiss

Três anos depois do incêndio na Boate Kiss, o caso se desdobrou em inúmeros processos judiciais movidos por todas as partes envolvidas.

Há três anos, no dia 27 de janeiro de 2013, a cidade de Santa Maria, a maior da região central do Rio Grande do Sul, amanhecia com um misto de desespero e perplexidade diante da morte de 242 pessoas, no incêndio da Boate Kiss. Três anos depois, o caso se desdobrou em inúmeros processos judiciais movidos por todas as partes envolvidas

O mais recente deles foi protocolado esta semana pelo advogado de Elissandro Spohr, um dos sócios da boate. Spohr moveu uma ação por danos morais contra 13 pessoas físicas – entre bombeiros, funcionários públicos, o prefeito, e o promotor do caso – e dois entes públicos – a Prefeitura Municipal local e o estado do Rio Grande do Sul. Ele quer 40 salários mínimos, totalizando cerca de R$ 530 mil, de cada réu em indenização por ter sido “induzido a erro”, segundo seu advogado, com a concessão de alvarás que atestavam estar tudo correto com a casa noturna.
“A concessão de alvarás para o funcionamento da boate deram ao Elissandro a certeza de que ele estava de acordo com a lei. E aí, quando acontece uma tragédia, toda a responsabilidade recai sobre o empresário, mesmo com os bombeiros e a prefeitura tendo afirmado antes que ele estava correto. Isso causa um dano à imagem dele, a vida dele foi destruída por negligência dos agentes públicos”, alega o advogado de Spohr, Jader Marques.
Spohr, por sua vez, também é processado pelas famílias dos mortos e sobreviventes, junto com a prefeitura, os integrantes da banda Gurizada Fandangueira e os bombeiros. Uma associação das famílias das vítimas foi criada e o presidente atualmente também é processado pelo promotor Ricardo Lozza, por calúnia, com pedido de danos morais. Até o momento, nenhum processo foi concluído, nem na esfera penal, nem na cível.
Enquanto isso, as pessoas que sobreviveram ao incêndio se esforçam para levar a vida em meio a sequelas físicas e psicológicas. Ao completar três anos da tragédia, os moradores de Santa Maria prestam homenagens aos mortos para marcar a data (ABr).

Estados Unidos aliviam embargo contra Cuba

Novas regras permitem aos americanos venderem produtos a entidades governamentais de Havana.

A administração Obama começou a afrouxar o embargo comercial contra Cuba, removendo algumas restrições ligadas a viagens, ao setor financeiro e às exportações de certos produtos. O Departamento do Tesouro e do Comércio explicou, em nota oficial, que serão estabelecidas leis para aumentar o apoio ao povo cubano e as viagens autorizadas serão facilitadas.
Além disso, as alterações irão remover restrições sobre condições de pagamento e financiamento para exportações autorizadas para Cuba para itens que não sejam agrícolas ou commodities. Ou seja, as novas regras que entraram em vigor ontem (27) permitirão às empresas norte-americanas vender produtos a entidades governamentais de Havana. Até o momento, só era possível realizar transações comerciais com empresários.
A iniciativa é realizada no âmbito da retomada de relações entre os países,anunciada em dezembro de 2014, após mais de meio século de tensões. Apesar de ter “afrouxado” várias questões econômicas, o presidente norte-americano, Barack Obama, não pode levantar o embargo sozinho. É preciso a aprovação do Congresso e, atualmente, o mandatário não conta com a maioria dos parlamentares a seu favor. Em diversos discursos, Obama cobrou que os políticos do país levantassem a medida, pois ela “só afeta os cubanos mais pobres” (ANSA).

EI proíbe estupro de grávidas

Há menos de um mês da publicação de uma fátua, sentença religiosa, dos jihadistas do Estado Islâmico que estabelece normas para a violação sexual de escravas, o grupo mudou as regras, proibindo o estupro de grávidas. Na quinta edição da revista “Constantinopla”, feita por e voltada aos militantes do EI, representantes explicam que “se uma escrava está grávida, o sexo com ela não é permitido”.
Ainda de acordo com a diretora do portal “Site”, que monitora as atividades dos jihadistas na Internet, Rita Katz, eles informaram que o sexo com as demais escravas - que podem ser de qualquer religião - é permitido. Além disso, “as mulheres abandonadas por seu marido ou pai”, ou seja, “sem uma proteção masculina, podem considerar a possibilidade de se prostituir”. Se as escravas capturadas forem casadas mas estiverem longe de uma companhia masculina, seu casamento pode ser anulado (ANSA).

Aberta à navegação a Hidrovia Tietê-Paraná

O governador Geraldo Alckmin participou ontem (27), da reativação da navegação na Hidrovia Tietê-Paraná, no trecho entre o km 99,5 do reservatório de Três Irmãos e a eclusa inferior de Nova Avanhandava, que beneficia diretamente os estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Paraná. Com a retomada da navegação são recuperadas milhões de toneladas de cargas, bem como cerca de 1,6 mil empregos.
O ponto estava interrompido para a passagem de embarcações, desde maio de 2014, em decorrência do baixo nível dos reservatórios de Três Irmãos e Ilha Solteira. A navegação no trecho foi reativada com o calado de 2,80 metros. A retomada da navegação representa a geração de empregos e contribui para a redução de custos das produções, já que esse tipo de transporte apresenta custos operacionais inferiores a outros modais. Além disso, a hidrovia oferece vantagens logísticas ao contribuir para reduzir o tráfego nas estradas.
A Hidrovia Tietê-Paraná ocupa importante papel no escoamento de cargas, além de ser um dos principais corredores de exportação do país. De 2006 a 2013, a quantidade de cargas cresceu de cerca de 3,9 milhões de toneladas para 6,3. Alguns dos principais produtos transportados são: milho, soja, óleo, madeira, carvão, cana de açúcar e adubo. Com a reativação da passagem de cargas de longo percurso, a projeção de movimentação na hidrovia, em 2016, é superar o montante de 6,3 milhões de toneladas de cargas registrado em 2013. Para o ano de 2017, a expectativa é de que essa quantidade suba para 7 milhões de toneladas (SELT) (ABr).

FÃ DE MESSI SERIA AFEGÃO DE 5 ANOS

O menino que comoveu internautas do mundo inteiro ao vestir uma camisa do craque argentino Lionel Messi, feita com uma sacola plástica, seria um afegão de cinco anos chamado Murtaza Ahmadi.
Segundo o site da rede britânica “BBC”, o pequeno vive no distrito de Jaghori, uma zona rural da província oriental de Ghazni. 
A confirmação veio por meio de um tio da criança, Azim Ahmadi, um refugiado afegão que vive na Austrália e postou outras fotos do sobrinho em seu perfil no Facebook, desta vez de frente.
O homem serviu de ponte entre a “BBC” e o pai de Murtaza, Arif, que contou que seu filho ficou “muito feliz” por ter se tornado famoso e que ele “ama Messi de verdade”. “Mas para nós é impossível comprar uma camisa porque eu sou apenas um camponês, então os meninos decidiram usar o saco plástico”, disse. No seu próprio texto, a “BBC” afirma que, a menos que tenha sido vítima de um “trote muito hábil”, o mistério foi resolvido (ANSA).

Quatro brasileiros estão entre os “mais influentes” cientistas

Paulo Artaxo, do Departamento de Física da USP.

Quatro brasileiros estão entre os 3.126 “mais brilhantes” cientistas em todo o mundo, de acordo com o relatório The World’s Most Influential Scientific Minds 2015, publicado pela Thomson Reuters. Os “mais brilhantes”, e mais influentes, entre os cerca de 9 milhões de pesquisadores contabilizados pela Thomson Reuters correspondem aos cientistas cujos artigos foram os mais citados ao longo de um período de 11 anos, entre 2003 e 2013.
Paulo Artaxo, do Departamento de Física da USP, na área de Geociências; Álvaro Avezum, do Instituto de Cardiologia Dante Pazzanese (Medicina Clínica); Ado Jorio, da Universidade Federal de Minas Gerais (Física); e Adriano Nunes-Nesi, da Universidade Federal de Viçosa (Ciências das Plantas e dos Animais), integram esse pelotão de elite.
Estes 3.126 cientistas são responsáveis por 1% dos artigos mais citados em 21 áreas de pesquisa. Artaxo, por exemplo, está entre os 148 mais citados em Geociências; Jorio, por sua vez, está entre os 119 da Física. Dentre esse grupo de elite, o estudo identificou os mais populares – responsáveis por 0,1% dos papers mais citados.
Com 19 nomes, a lista é encabeçada, pelo segundo ano consecutivo, por Stacey B. Gabriel, do Broad Institute of MIT e Harvard, com 25 artigos muito populares e que incluem suas contribuições ao projeto Atlas do Genoma do Câncer. Quase a metade dos 3.126 pesquisadores está vinculada a instituições sediadas nos Estados Unidos. Os demais se distribuem entre instituições do Reino Unido, Alemanha, China, Austrália, Canadá, Holanda, Japão, França, Suíça, Arábia Saudita e Espanha (Agência Fapesp).

Novos casos de zika no mundo geram preocupação

O vírus zika, que no Brasil tem provocado um surto de microcefalia, despertou preocupação da comunidade internacional. Após a Dinamarca confirmar a primeira infecção no país, líderes como Barack Obama e Vladimir Putin fizeram apelos de combate à transmissão da doença e alertaram a população sobre viagens à América Latina.
O governo dinamarquês confirmou ontem (27) o primeiro caso de zika, de acordo com a agência de notícias Ritzau, que publicou que uma pessoa apresentou exames positivos para o vírus no Hospital Aarhus.
O presidente russo, Vladimir Putin, pediu que a ministra da Saúde do país, Veronika Skvortsova, emita um alerta para todos os cidadãos do país que viajaram ou passarão pela América Latina. “Algo triste está chegando da América Latina. Os mosquitos não voam sobre oceanos, mas as pessoas infectadas, sim. Este vírus já chegou à Europa”, comentou Putin, segundo a agência Interfax.
Já o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reuniu-se com autoridades sanitárias e de segurança nacional para solicitar velocidade no diagnóstico de novos casos no país, assim como métodos de tratamento, prevenção e cura das infecções. Os EUA confirmaram neste mês o primeiro caso de zika. Somente no estado de Nova York, três pessoas já foram diagnosticadas com a doença, que se relaciona com a microcefalia (má formação cerebral em fetos). Mas ainda são desconhecidas outras formas de transmissão - como sangue e sêmen-- e os efeitos do vírus no organismo.
Na Europa, países como Itália e Reino Unido também já reportaram casos de infecção. O governo britânico até recomendou que os atletas do país tomem cuidado com possíveis casos de contaminação durante os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, em agosto. A OMS emitiu um alerta de que o zika vírus deve se espalhar pelas América. Os únicos países que estariam a salvo seriam Chile e Canadá, já que as temperatuas mais baixas não favorecem a proliferação do mosquito Aedes aegypti, que transmite a doença (ANSA).

 
 
 
 
 

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171