ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Gastos em viagens internacionais caíram 2,93% em abril

Os gastos de brasileiros em viagens ao exterior estão menores. De acordo com dados do Banco Central (BC) divulgados ontem (27), essas despesas totalizaram US$ 1,493 bilhão, em abril, com redução de 2,93% em relação ao mesmo mês de 2018. Nos quatro meses de 2019, esses gastos chegaram a US$ 5,809 bilhões, uma queda de 10,22% em relação a igual período do ano passado.

Gastos temporario

O dólar mais caro está levando à redução dos gastos de brasileiros no exterior. Foto: Fabio Rodrigues/ABr

As receitas de estrangeiros em viagem ao Brasil também se reduziram. Em abril, chegaram a US$ 472 milhões, com redução de 5,41% em relação ao mesmo mês do ano passado. No primeiro quadrimestre, as receitas chegaram a US$ 2,283 bilhões, 6,17% menor do que nos quatro meses de 2018. Com esses resultados, a conta de viagens formada pelos gastos dos brasileiros e as receitas dos estrangeiros ficou negativa em US$ 1,021 bilhão em abril e em US$ 3,525 bilhões, nos quatro meses do ano.

Segundo o chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, o dólar mais caro está levando à redução dos gastos de brasileiros no exterior. “Fica mais caro viajar ao exterior”. As viagens internacionais fazem parte da conta de serviços das transações correntes. Em abril, as transações correntes tiveram déficit de US$ 62 milhões, resultado próximo do registrado em igual mês de 2018: déficit de US$ 61 milhões. De janeiro a abril, o déficit chegou a US$ 8,225 bilhões, contra US$ 9,062 bilhões em igual período do ano passado.
“Embora as transações tenham sido estáveis, houve pequena melhora na balança comercial e redução no déficit na conta de renda primária. Esses dois fatores foram contraposto pelo aumento no déficit na conta de serviços”, disse Rocha. A balança comercial registrou superávit de US$ 5,539 bilhões, em abril e acumulou US$ 14,899 bilhões, nos quatro meses do ano.

A conta renda primária (lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários) ficou negativa em US$ 2,854 bilhões no mês passado e em US$ 14,324 bilhões, em quatro meses. A conta de renda secundária (doações e remessas de dólares, sem contrapartida de serviços ou bens) teve resultado positivo de US$ 272 milhões, em abril, e de US$ 906 milhões, em quatro meses. A conta de serviços (viagens internacionais, entre outros) registrou saldo negativo de US$ 3,019 bilhões, em abril, e de US$ 9,707 bilhões, no primeiro quadrimestre (ABr).

Governo e oposição venezuelana retomarão conversas em Oslo

Governo temporario

Guaidó disse que aceitou o convite do país nórdico e pediu que Caracas tenha "eleições livres". Foto: EPA

Representantes de Nicolás Maduro e Juan Guaidó irão voltar nesta semana a Oslo, na Noruega, para retomar as conversas sobre a profunda crise política na Venezuela. A Rússia, por sua vez, declarou ontem (27) que está pronta para participar das negociações. A rodada de conversas será a primeira que governo e oposição ficarão frente a frente. No primeiro encontro, os representantes de Guaidó e Maduro realizaram reuniões separadas com os negociadores na capital norueguesa.

"Reiteramos nosso compromisso de continuar apoiando a procura por uma solução comum entre todas as partes da Venezuela", informou o Ministério das Relações Exteriores da Noruega. Em um documento escrito pelo autoproclamado presidente da Venezuela, Guaidó disse que aceitou o convite do país nórdico para "explorar uma possível saída negociada da ditadura e desta grave crise". O deputado ainda pediu que Caracas tenha "eleições livres". Maduro, por sua vez, usou as redes sociais para agradecer a Noruega "pelos esforços para avançar pelos diálogos de paz e estabilidade na Venezuela".

Essa será a segunda tentativa de diálogo envolvendo Maduro desde que Guaidó se autoproclamou presidente, em janeiro passado. Em maio, o opositor tentou insuflar um levante das Forças Armadas contra o regime chavista, mas não teve adesão da alta cúpula militar. De acordo com um comunicado divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores da Rússia, o país recebeu positivamente a notícia de que a rodada de conversas terá uma sequência. No entanto, Moscou fez um alerta contra qualquer ultimato à liderança do país sul-americano (ANSA).

Tesouro Direto: R$ 1 bilhão em vendas líquidas em abril

As vendas do Tesouro Direto atingiram R$ 2,61 bilhões, em abril, enquanto os resgates totalizaram R$ 1,43 bilhão. Com isso, o Tesouro Direto registrou vendas líquidas de R$ 1,18 bilhão, no mês passado, de acordo com dados divulgados ontem (27). Esse é o terceiro maior resultado de venda líquida da série histórica. Do total de resgates, R$ 1,43 bilhão foram relativos às recompras e R$ 700 mil, aos vencimentos.

O valor médio de operação atingiu sua terceira menor marca na série histórica, registrando R$ 5.321,08, informou o Tesouro Nacional. Além disso, aplicações até R$ 1 mil representaram 64,29% do total, terceiro maior percentual da série histórica. Para o Tesouro, esses resultados mostram maior inclusão de pequenos investidores no programa.

Em abril de 2019, o total de investidores ativos no Tesouro Direto, isto é, aqueles que atualmente têm saldo em aplicações no programa, atingiu a marca de 1.006.547 de pessoas. No mês, 56.697 investidores tornaram-se ativos, o que representa um crescimento de 5,94% em relação ao mês anterior. O número de investidores cadastrados no Tesouro Direto, por sua vez, cresceu em 206.033 e atingiu a marca de 4.006.824 de pessoas (ABr).

 
Mais Lidas

Strict Standards: Only variables should be assigned by reference in /home/storage/0/5e/4e/jornalempresasenegoc/public_html/modules/mod_sp_facebook/mod_sp_facebook.php on line 84

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171