ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Hoje, 18 de dezembro, comemora-se o Dia Internacional dos Migrantes

O Brasil e mais 163 países assinaram na última semana o Pacto Mundial para Migração, um documento elaborado pela ONU que visa fortalecer os direitos dos migrantes e ajudar as nações a enfrentarem seus desafios, como a integração dos migrantes.

Hoje 3 temproario

À direita, filho de imigrantes japoneses, e acima, trabalhadores migrantes nacionais e estrangeiros trabalhando no cais do porto de Santos, no início da década de 1920. Foto: 

Hoje, 18 de dezembro, Dia Internacional dos Migrantes, o Centro de Memória Bunge (CMB), um dos mais ricos acervos de memória empresarial do Brasil, destaca documentos sobre a importância dos migrantes no desenvolvimento do país.
Hoje 2 temproarioUm dos 23 objetivos do pacto é a criação de condições para que os migrantes possam contribuir para o desenvolvimento sustentável dos países. No Brasil, a imigração estrangeira e a migração nacional foram responsáveis pela formação da massa de trabalhadores, a “mão-de-obra” que ergueu as grandes capitais, moveram as primeiras máquinas industriais e semearam os campos que movimentam as exportações do país. No CMB existem mais de 1,5 milhão de documentos que recontam uma grande parcela da história da industrialização do país desde o início do século XIX, a partir dos primeiros movimentos migratórios da época.
No acervo estão guardados, por exemplo, os livros originais com o registro das primeiras profissões e o cadastro de trabalhadores imigrantes da Brasital, uma das primeiras tecelagens e fábricas de papel do Brasil. A empresa funcionou até 1995 – em 1981 se tornou Indústria de Tecidos Moinho Santista S/A - e por mais de um século atraiu milhares de trabalhadores e suas famílias do campo para a cidade.
Outro documento importante são as fichas dos operários do Moinho Fluminense, a primeira fábrica de moagem de trigo do Brasil, inaugurada em 1887 na zona portuária da cidade do Rio de Janeiro. Os arquivos revelam o movimento de grupos de trabalhadores de várias regiões do Brasil em direção ao litoral carioca, além da diversidade de nacionalidade de trabalhadores. Segundo a historiadora do CMB, Viviane Lima de Morais, todo migrante precisa ser localizado dentro de um equilíbrio particular de relações sociais para que seja possível perceber o universo de contradições sociais e culturais que o compõe.

Hoje 1 temproario

Família em plantação de cultura algodoeira na região de Jacupiranga (SP), na década de 1940. Foto: Arquivo CMB

“Só assim poderemos compreender as implicações políticas e os interesses de poder que envolvem esse movimento de entrada e saída de um determinado território, que evidencia um grande embate social entre migrantes e setores dominantes da sociedade, como governo, empresários e população local”, finaliza. Fonte e mais informações: (www.fundacaobunge.org.br/acervocmb).

Dois em cada dez gastam mais do que podem nas compras de Natal

Foto: 

O apelo emocional das festas de Natal e Ano Novo faz com que muitas pessoas tomem decisões financeiras impensadas nesta época e, consequentemente, comprometam o orçamento. Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que dois em cada dez (19%) consumidores costumam gastar mais do que podem com as compras de Natal — percentual maior entre as mulheres (23%) e nas classes C, D e E (22%).

O levantamento também mostra que 5% dos brasileiros que vão presentear no Natal pretendem deixar de pagar alguma conta para fazer suas compras de fim de ano, enquanto 5% devem protelar algumas despesas para realizar as comemorações de Natal e outros 5% para participar das festas de Ano Novo. Entre as principais contas que devem ser postergadas estão: TV por assinatura (20%), cartão de crédito (16%), internet (16%) e água e luz (8%).

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, ressalta a importância de resistir aos excessos de consumo e alerta para o risco da inadimplência, principalmente com as despesas do cartão de crédito. “Embora o Natal seja uma data tradicional, as pessoas precisam ter cautela ao sair gastando sem controle. Vale dar atenção extra ao cartão e não deixar de lado o pagamento da fatura, que possui altas taxas de juros e pode comprometer o orçamento. Se não houver disciplina e organização, pode ficar difícil saber até mesmo o quanto foi gasto” destaca (CNDL/SPC Brasil).

 

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171