ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Os caminhos da fotografia digital: conheça a história e as promessas dessa tecnologia revolucionária

A facilidade de registrar uma cena a qualquer minuto, em qualquer lugar, tornou a fotografia algo tão corriqueiro que incorporamos esse hábito como algo simples

mariner 4 temporario

Acima, foto feita pela sonda Mariner 4 e abaixo primeira câmera digital da Kodak que gravava em fitas K7.

primeira camera digital da Kodak imagem em fita k7 temporario

Porém, foi preciso percorrer um longo caminho até que ela se tornasse tão familiar. Desde a impressão da primeira foto, quase dois séculos atrás, a humanidade segue aprimorando essa tecnologia e descobrindo formas de torná-la mais amigável e acessível. Um dos principais marcos nesse percurso foi, indiscutivelmente, o advento das câmeras digitais. Essa invenção possibilitou a popularização da fotografia, aumentando expressivamente o número de fotos tiradas ao redor do mundo, a cada segundo. E a tendência é que, com esse recurso ao alcance das mãos, a fotografia siga impactando a forma de registrarmos nossa história e até mesmo como nos relacionamos.

A arte da guerra
Assim como diversas tecnologias que hoje facilitam nossa vida, os moldes da fotografia digital como conhecemos surgiram através de pesquisas militares. No final do século XX, quando EUA e União Soviética protagonizavam a Guerra Fria, a corrida espacial entre os países culminou na necessidade da transmissão de informações à longas distâncias por meio eletrônico.

Graças aos esforços da NASA, em 1965 a sonda americana Mariner 4 conseguiu registrar a superfície de Marte através de um método totalmente novo. Equipada de uma câmara de TV (Mavica) que basicamente congelava as imagens, a sonda capturou 22 fotos em preto e branco do planeta vermelho em uma resolução de 400 pixels e as enviou para Terra durante 4 dias. Apesar de ainda contar com recursos analógicos, tal feito foi um avanço incrível para época.

Porém, a total independência de recursos analógicos só seria possível através da incorporação de circuitos que transformassem as câmeras fotográficas em pequenos computadores, capazes de capturar e armazenar informações em meio eletrônico. E no mesmo ano de lançamento da missão Mariner 4, em 1964, os primeiros passos para a primeira revolução digital da fotografia eram dados: a RCA (pioneira americana do segmento de telecomunicações) trabalhava no desenvolvimento de um circuito que possibilitasse o armazenamento de informações digitais. Sua invenção, o CMOS (Complementary Metal Oxide Semiconductor), foi o grande responsável pela transformação das câmeras em aparelhos portáteis, capazes de armazenar informações básicas como data e hora.

Esse pequeno circuito também serviu de inspiração para a criação do CCD (Charged Coupled Device), desenvolvido pela Bell Labs em 1969, que, por sua vez, permitiu aprimoramentos significativos em relação à resolução das imagens capturadas. Encontrada nas câmeras digitais atuais, essa invenção possibilitou avanços não somente na fotografia, mas também nos equipamentos médico-hospitalares e instrumentos de observação espacial.

Porém, a comercialização de câmeras com essa tecnologia ainda carecia de alguns ajustes. No ano de 1975, a Kodak divulgou o primeiro protótipo de câmera digital, ou do que ela mesma chamou de “câmera fotográfica portátil eletrônica”. Mesmo longe dos padrões de portabilidade atuais, a câmera de 4kg contava com recursos revolucionários: registrava imagens em 23 segundos com resolução equivalente à 0,04 Mega pixels, algo impressionante para época. Porém, ainda era preciso “assistir” as fotos através de um televisor comum, um desafio para a exploração comercial da invenção, uma vez que as pessoas costumavam guardar fotos em álbuns de recordação e trocá-las em correspondências com os entes queridos.

Sony Mavica FD5, primeira câmera digital do mercadoA primeira câmera a ser intitulada “digital” surgiu através de um experimento conduzido pela Universidade Calgary do Canadá. Construída em 1981 para fotografar fenômenos atmosféricos, a Fairchild All-Sky Camera contava com tecnologia CCD e capturava imagens na resolução de 100x100 pixels. Porém, o grande diferencial do equipamento era o microcomputador Zilog Mcz1/25 acoplado, que processava as imagens de maneira puramente digital.

A grande revolução só chegou às massas de fato graças a Sony que, no mesmo ano, disponibilizou a primeira “câmera digital comercial”. A Mavica tinha preços exorbitantes para época (cerca de U$12 mil), porém contava com resolução de 0,3 megapixels e a impressionante capacidade de armazenamento de até 50 fotos em disquetes de 2 polegadas, os chamados Mavipaks (da própria marca).

Com o mercado em expansão, novas empresas entraram nessa corrida do ouro, disponibilizando novas câmeras e novos acessórios fotográficos. Dessa forma, os modelos subsequentes da própria Mavica (MVC-C1 e MVC-A10 Sound) lançados no ano final da década de 80 já custavam 30 vezes menos que a câmera pioneira da Sony, e ainda contavam com aprimoramentos como gravação de áudio.

Apesar dos avanços, o uso das câmeras analógicas (que utilizavam filmes) ainda era muito comum nos anos 90. Para aposentar de vez o método convencional e popular a tecnologia digital era preciso tornar o produto mais atraente e prático para consumidor. Alguns desafios precisaram ser vencidos ao longo das próximas duas décadas para que este item se tornasse definitivamente o método mais utilizado para registrar momentos.

Fujix DS-1P, lançada em 1988Além do aprimoramento do design das câmeras (que ainda era pesadas), era preciso melhorar a qualidade das imagens capturadas – ainda muito inferiores às câmeras convencionais. O meio de armazenamento também precisava ser menor e mais barato. As primeiras mudanças tardaram a chegar nesse sentido, apenas 1997, através da Sony, foi possível utilizar disquetes de 3.5” (os mesmos utilizados em computadores) para gravação de foto, tornando o equipamento um pouco mais compacto.

Porém, a grande sacada foi dada pela Fujitsu: além de apresentar modelos cada vez mais robustos e o útil painel de visualização, a gigante japonesa foi a primeira a disponibilizar uma câmera com armazenamento via cartão de memória. Apesar da década se encerrar com a popularização uso de discos compactos (CDs) em câmeras digitais, a Fujix DS-1P, lançada em 1988, contava com o recurso de armazenamento em cartões que dominaria o mercado nos próximos anos.

A disputa das gigantes do setor impulsionou o aprimoramento de recursos. Sensores, lentes, capacidade de zoom e resolução cada vez melhores foram apenas algumas conquistas motivadas pela acirrada disputa entre as companhias. Em meados dos anos 2000 já contávamos com câmeras extremamente potentes, dispensando o uso de pilhas (graças às baterias recarregáveis), padronização de tecnologias e meios de armazenamento pequenos, porém de alta capacidade.

selfie-72-dpi temporarioAtualmente, qualquer pessoa tem uma câmera ao alcance de sua mão. Desde o lançamento do primeiro celular que tirava fotos (Sanyo SCP-5300) em 2002, o número de cliques ao redor do mundo cresceu absurdamente. Graças ao advento da fotografia no celular, os registros feitos desde o surgimento da tecnologia digital cresceram mais de 600%. Para se ter uma ideia, passamos das 86 bilhões de imagens capturadas no ano 2000 (99% delas analógicas), para 400 bilhões de fotos batidas em 2011 (sendo apenas 1% de forma analógica).

Aém de influenciar a própria veiculação da notícia e a maneira como nos relacionamos virtualmente – com menção honrosa ao selfie – a qualidade cada vez maior das câmeras incorporadas nos celulares permitiu o crescimento dos amantes dessa arte. Tamanha praticidade e aparelhos cada vez mais modernos nos fazem questionar qual será a pr&o acute;xima revolução nesse segmento.

De acordo com Nizar Escandar, da especializada eMania, “A tendência é que mais gadgets incorporem essa tecnologia. Dispositivos de realidade aumentada permitirão a captura de imagens e filmagens em movimento de forma muito mais prática que as atuais câmeras GoPro, por exemplo. Óculos e lentes de contato inteligentes com recursos de captura digital tornarão essa tecnologia algo ainda pessoal e natural.”. Parece roteiro de filme de ficção científica, mas é pura realidade: há dois anos atrás, o Google anunciou um projeto de desenvolvimento de lentes de contato inteligentes em parceria com o laboratório farmacêutico Novartis.

Porém, a fotografia profissional não vai desaparecer. Para aqueles que acreditam que tanta tecnologia pode descaracterizar o segmento, notícias apontam que as gigantes do ramo seguem investindo em câmeras fotográficas de alto desempenho. No início do ano, Fujifilm e Panasonic anunciaram o desenvolvimento de uma tecnologia que propõe substituir o silicone utilizado nos sensores atuais por um conversor fotoelétrico de origem orgânica. Isso seria capaz de aumentar a área de captação da luz, resultando em imagens com qualidade até 100 vezes maior, se comparadas com as melhores câmeras existentes. A expectativa é que a tecnologia, ainda em estudo, esteja disponível para uso comercial num futuro próximo.

Fonte e mais informações: eMania (www.emania.com.br).

Mais artigos...

  1. Dados em rótulo podem salvar vida de alérgico
  2. Jovens negras da periferia mostram suas expectativas sobre o futuro
  3. Conflitos olímpicos
  4. A 80 dias da abertura, Rio 2016 ainda não empolga
  5. À capela
  6. Conquistas das domésticas nos anos 2000
  7. De vice a presidente, Michel Temer assume por até 180 dias
  8. Governistas e oposição divergem sobre como serão os próximos 180 dias no país
  9. Sede em casa facilita microempreendimento
  10. Índice mede força dos parlamentos na América do Sul
  11. Sigmund Freud: uma vida na psicanálise
  12. Há 190 anos, o Senado ajuda a debelar as grandes crises vividas pelo Brasil
  13. Equipamento analisa vinho sem abrir lacre da garrafa
  14. Senado debate limitação da internet fixa
  15. Corte de frios pode levar a contaminação por bactéria
  16. Rosa despetalada
  17. Após 4 anos de tolerância zero na Lei Seca, motoristas ainda resistem a mudanças
  18. A centralidade da cultura na construção da ‘japonesidade’
  19. Permanecer muito tempo sentado prejudica a longevidade
  20. Sacola plástica é uma das maiores vilãs do meio ambiente
  21. Depressão também atinge populações da Amazônia
  22. Alimentação saudável reduz risco de doenças cardíacas em até 80%
  23. O circo chega às escolas
  24. Infarto também é assunto de mulher
  25. O perigo do remédio sem uso na farmacinha de cada casa
  26. Aquecimento poderá reduzir em 44% a grande circulação das águas do Atlântico
  27. Já em uso no país, audiências de custódia podem virar lei
  28. Estudo da Torá mostra riqueza literária de escritos bíblicos
  29. Chaplin a serviço de Chaplin
  30. 7 de abril – Dia Mundial da Saúde: Um em cada 11 adultos no mundo tem diabetes
  31. Métodos substituem animais vivos nas aulas de veterinária
  32. Relatório revela privatização da educação pública no país
  33. Mobilizados, estudantes querem maior participação nas decisões nacionais
  34. Regimes jurídicos distintos afetam negociação da dívida pública
  35. Em vigor há 18 anos, Código de Trânsito Brasileiro é alvo de propostas de atualização
  36. Amigos e vizinhos estimulam a prática de atividade física
  37. Em meio à crise, microfranquias crescem no Brasil
  38. Veja 3 efeitos imediatos da crise política no Brasil
  39. Projetos miram caixa-preta das tarifas de ônibus
  40. Frutas nativas brasileiras podem ser alternativa de renda
  41. O pêndulo demográfico
  42. Código de Processo Civil entrou em vigor com a promessa de agilizar ações
  43. Promotor da 'Mãos Limpas' elogia Moro e diz temer retaliação
  44. Congresso combate violência obstétrica
  45. Sob a lona, o poder do riso
  46. Projeto de alunos concorre em competição internacional
  47. Oswaldo Cruz, o médico que derrotou o Aedes
  48. Engenheiro define carreira até 3 anos após o primeiro emprego
  49. 58 milhões de devedores estão negativados, indica SPC Brasil
  50. Mulheres lutam por igualdade, mas problemas históricos persistem
  51. Atuações de mulheres no setor de franquias crescem e redes comemoram
  52. Desperdício de comida desafia sociedade moderna
  53. Sífilis avança e deve chegar a quase 42 mil casos entre gestantes neste ano
  54. Quando as emoções entram em pane
  55. Medalha de ouro em Los Angeles, Joaquim Cruz busca sucessor em Brasília
  56. Remédio comum pode salvar da morte vítimas de escorpiões
  57. Voto impresso começa a valer em 2018, mas já é alvo de críticas
  58. PE: mais da metade das famílias de bebês com microcefalia são de baixa renda
  59. Crise de refugiados e violência ameaçaram direitos humanos em 2015
  60. Sistema ajuda portador de deficiência visual a se locomover
  61. Intervenções espirituais e religiosas na saúde são benéficas
  62. Livro resgata ideias econômicas de Roberto Simonsen
  63. Ensino de literaturas africanas precisa de melhorias
  64. Arqueologia na Amazônia elucida mistério de 500 anos
  65. Cérebro induz à escolha de alimentos calóricos para armazenar energia
  66. Obesidade pode interferir na aprendizagem das crianças
  67. Um dia na maior universidade de aviação do mundo
  68. Jornada de refugiados inclui perigos da travessia e desafios da integração
  69. Engraxates ambulantes influenciaram no samba paulistano
  70. Mais tempo para mães de prematuros
  71. Com diferentes estilos e histórias, 355 blocos animam carnaval paulistano
  72. Mesmo com crise, escolas prometem carnaval luxuoso em São Paulo
  73. Perda de emprego leva pessoas para o trabalho informal
  74. Eleição de líderes partidários movimenta retomada dos trabalhos legislativos
  75. Comissões de frente surpreendem por inovações a cada carnaval
  76. Desemprego fecha dezembro em 6,9% e atinge maior taxa para o mês desde 2007
  77. Escolas de samba apostam na especialização para produzir alegorias e adereços
  78. Vegetais: crus ou cozidos?
  79. Ano Novo Chinês: conheça as tradições milenares que marcam a data_a
  80. Travestis comemoram entrada em universidades e esperam diálogo mais saudável
  81. Aída foi a primeira a voar
  82. Aquífero Guarani: estudo analisa as negociações do acordo
  83. Cães reconhecem o significado de expressões emocionais
  84. DOI-Codi sequestra e mata Manoel Fiel e diz que metalúrgico cometeu suicídio
  85. Modernidade traz novos significados aos contos de fadas
  86. Distúrbios na tireoide podem causar ansiedade e depressão
  87. Atletas se destacam pela persistência; relembre momentos das Olimpíadas
  88. Oferta de frutas é similar em regiões ricas e pobres de São Paulo
  89. Pesquisa traça panorama dos acidentes de trânsito no Brasil
  90. Liga acadêmica une teoria e prática em ação para a sociedade
  91. Licença para voar
  92. Economias de aglomeração podem ampliar desigualdade espacial
  93. A supressão da cidadania nas celas
  94. 2015: O ano que o futebol começou a limpar as chuteiras
  95. Crise migratória e atentados terroristas marcam cenário internacional em 2015
  96. Conheça mitos e verdades sobre a osteoporose
  97. Peixe do rio Negro coletado por Alfred Wallace há 160 anos é finalmente descrito
  98. Projeto proíbe revista vexatória de visitante de jovem infrator internado
  99. Pequeno príncipe, grande aviador
  100. Patrimônio histórico nas mãos das Geociências

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171