ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Atividade econômica abre o segundo trimestre em queda

Abril registrou recuos de 3,0% na atividade industrial e de 0,1% no setor de serviços.

De acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade Econômica (PIB Mensal) o segundo trimestre do ano abriu com a atividade econômica em baixa

Houve retração de 0,3% em abril frente ao mês de março, e de 0,2% perante o mês de abril do ano passado. No acumulado do ano, a atividade econômica registrou queda de 1,2% de janeiro a abril deste ano.
De acordo com os economistas da Serasa Experian, a crescente elevação das taxas de juros para se combater a inflação e contínua deterioração dos níveis de confiança de consumidores e empresários têm pesado negativamente sobre a atividade econômica do país. Vale notar que, caso o segundo trimestre termine com queda no seu nível de atividade, se confirmaria o quadro recessivo da economia brasileira neste primeiro semestre, pois teríamos acumulado dois trimestres consecutivos de retração do nível de atividade.
Pelo lado da oferta agregada, o resultado de abril só não foi pior graças ao bom desempenho o setor agropecuário, cujo nível de atividade cresceu 4,9% frente a março. Por outro lado, abril registrou recuos de 3,0% na atividade industrial e de 0,1% no setor de serviços. No acumulado do ano, o setor agropecuário repete o bom desempenho acumulando expansão de 7,8% frente ao primeiro quadrimestre de 2014. Já a indústria e o setor de serviços amargam quedas de 3,2% e de 1,0%, respectivamente.

IPC-S avança em quatro capitais

inflacao temporario

IPC-S avança em quatro capitais
O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) avançou em quatro das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV) na passagem da primeira para a segunda semana de junho. A maior alta da inflação foi observada em Brasília: 0,19 ponto percentual, ao passar de 0,67% na primeira semana para 0,86%na segunda semana. Outras capitais com alta na taxa de inflação foram Salvador (0,15 ponto percentual, ao passar de 0,84% para 0,99%), Rio de Janeiro (0,06 ponto percentual, ao passar de 0,74% para 0,8%) e São Paulo (0,03 ponto percentual, ao passar de 0,89% para 0,92%).
Por outro lado, três cidades tiveram queda na taxa de inflação: Belo Horizonte (0,27 ponto percentual, ao passar de 0,73% para 0,46%), Recife (0,08 ponto percentual, ao passar de 1,12% para 1,04%) e Porto Alegre (0,03 ponto percentual, ao passar de 0,92% para 0,89%). A média nacional do IPC-S, divulgada ontem (16), ficou em 0,86% na segunda semana de junho, 0,01 ponto percentual acima da taxa da primeira semana (ABr).

Maior participação privada na geração de energia nuclear

O Estado deve flexibilizar mais o modelo de negócios do setor nuclear para que haja maior participação privada nas futuras usinas de energia nuclear, defendeu o diretor de Planejamento, Gestão e Meio Ambiente da Eletronuclear, Leonam dos Santos Guimarães, ao participar do 6º Seminário Internacional de Energia Nuclear, no Centro de Convenções da Bolsa de Valores do Rio.
Ele lembrou que o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, tem falado bastante sobre o tema. Inclusive, com indicação de que o modelo de negócio das futuras usinas será diferente de Angra 3, que é totalmente estatal. Guimarães salientou que a questão envolve aspectos legais e possíveis elementos que tornariam os empreendimentos atrativos para os potenciais parceiros privados, nacionais ou estrangeiros. “A combinação disso é o que a gente chama de elaboração do modelo de negócios, que é um tema ainda em discussão”, ressaltou.
A necessidade do país, por outro lado, permanece a mesma, e engloba a construção de mais quatro a oito usinas. A flexibilização do modelo poderia facilitar a construção das novas unidades, concordou o diretor da Eletronuclear. Mas insistiu que o desafio “é fazer um modelo que facilite e viabilize [a participação privada]”. As empresas privadas poderiam ser parceiras da Eletronuclear na operação, que continuaria sob coordenação do governo, reforçou ele (ABr).

 
 
 
 
 
 
 
 
 

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171