ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Mercado prevê inflação de 6,86% e juros de 15,25% para 2016

Para este ano, a projeção para a inflação passou de 10,70% para 10,72%.

A projeção de instituições financeiras para a inflação medida pelo IPCA em 2016 passou de 6,87% para 6,86%, segundo Boletim Focus divulgado ontem (28) pelo Banco Central (BC)

A publicação semanal, feita a partir de consultas a instituições financeiras, também prevê que a Selic deve chegar ao fim de 2016 em 15,25%. Para 2015, a projeção para a inflação passou de 10,70% para 10,72%.
Esta foi a 15ª semana seguida de alta na previsão de inflação para este ano. Os cálculos de inflação estão acima do limite superior da meta, que é 6,5%. O centro da meta é 4,5%. A projeção para a inflação medida pelo IGP-DI passou de 10,82% para 10,80% este ano, e de 6,11% para 6,14% para 2016. Para o IGP-M, a estimativa foi mantida em 10,72%, em 2015, e em 6,48% no próximo ano. A estimativa para o IPC-Fipe mudou de 10,85% para 10,84% este ano e se manteve em 5,81% para 2016.
A projeção para a alta dos preços administrados foi mantida em 18%, este ano, e em 7,50%, em 2016. A projeção para a queda do PIB se manteve em 3,70% este ano e, para 2016, a estimativa de queda foi alterada de 2,80% para 2,81% (ABr).

Pesquisa revela melhora na confiança da indústria

Em relação a dezembro do ano passado, o resultado indica queda de 10,7%.

Empresários do setor industrial encerram o ano mais desanimados do que em 2014. No entanto, em relação a novembro último, houve melhora no humor sobre as possibilidades de bons negócios no primeiro semestre do próximo ano. É o que revela pesquisa sobre o Índice de Confiança da Indústria (ICI), do Ibre/FGV, que subiu 1,1 ponto em dezembro, passando de 74,8 para 75,9 pontos.
Em relação a dezembro do ano passado, o resultado indica queda de 10,7%. A percepção do empresariado sobre os rumos da economia tem oscilado entre altas e baixas no segundo semestre. Em outubro último, havia apresentado elevação de 3,1 pontos, seguindo-se um recuo de 1,4 ponto em novembro. A melhora em dezembro é reflexo, principalmente, do aumento de 1,9 ponto do Índice de Expectativas (IE),que atingiu 77,0 pontos.
O Índice da Situação Atual (ISA) subiu 0,4 ponto ao passar para 75,2 pontos. O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NuciI) também subiu e atingiu 75,1%, resultado que é 0,5 ponto percentual superior ao registrado no mês passado. O levantamento foi feito com base em dados coletados em 1.126 empresas entre os últimos dias 1o e 21.
Apesar do avanço, o coordenador da pesquisa, Tabi Thuler Santos, observou que ainda não dá para se prever uma tendência de recuperação. “A alta do ICI no quarto trimestre traz boas notícias, como o movimento no sentido de normalização dos estoques e alguma melhora das expectativas. Porém, como os indicadores da pesquisa visitaram seus mínimos históricos ao longo do segundo semestre e a alta é tímida, há que se esperar por novos avanços para se confirmar uma mudança de trajetória” (ABr).

Simples Nacional vai até amanhã

As empresas interessadas em aderir ao Simples Nacional em 2016 devem fazer, até amanhã (30), o agendamento pelo site da Receita Federal. Caso opte por não fazer o agendamento, a adesão poderá ser solicitada durante todo o mês de janeiro, também por meio do site.
O Simples Nacional é um regime especial unificado de arrecadação de tributos e contribuições devidos pelas microempresas e empresas de pequeno porte.
Com a universalização do Simples, promovida pela Lei 147/14, o número de pedidos de adesão ao modelo simplificado cresceu 125% em janeiro deste ano, na comparação com o mesmo mês de 2014. Foram registrados 502.692 pedidos de inclusão em 2015, contra 223.076 solicitados no ano passado. Para saber mais sobre o Simples Nacional, a Receita Federal disponibiliza uma lista de perguntas e respostas (ABr).

 

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171