ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Previsão de crescimento aumenta; estimativa de inflação cai

O mercado financeiro aumentou a projeção para o crescimento da economia e reduziu a estimativa de inflação para este ano.

Petrobras temporario

Para o mercado financeiro, ao final de 2019 a Selic estará em 5% ao ano. Foto: Pixabay/Reprodução

Segundo o boletim Focus, pesquisa do Banco Central (BC), a previsão para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – foi ajustada de 0,81% para 0,83% neste ano. A previsão para 2020 também subiu, ao passar de 2,1% para 2,2%. Para 2021 e 2022 não houve alteração nas estimativas: 2,5%.

A estimativa de inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), caiu de 3,76% para 3,71%. Não houve alteração nas estimativas para os anos seguintes: 3,90%, em 2020, 3,75%, em 2021, e 3,5%, em 2022. A meta de inflação, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é 4,25% em 2019, 4% em 2020, 3,75% em 2021 e 3,5% em 2022, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6%. Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Quando o Copom aumenta a Selic, a finalidade é conter a demanda aquecida e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Para o mercado financeiro, ao final de 2019 a Selic estará em 5% ao ano. Para o final de 2020, a estimativa permanece em 5,5% ao ano. No fim de 2021 e 2022, a previsão segue em 7% ao ano. A previsão para a cotação do dólar ao fim deste ano subiu de R$ 3,75 para R$ 3,78 e, para 2020, de R$ 3,80 para R$ 3,81 (ABr).

Como acabar com a “poluição” de fios nos postes

Turismo temporario

Fios que se entrelaçam em situação totalmente irregular. Foto: Sesp-MT/Reprodução

A Fundação Procon-SP e a Enel Distribuição São Paulo se reuniram para juntas encontrarem uma solução para acabar com a fiação irregular encontrada nos postes da cidade de São Paulo e em mais 23 municípios do entorno. Segundo Max Xavier Lins, presidente da Enel, são mais de 300 empresas de telecomunicações em situação irregular que utilizam os postes com fios e cabos dispostos de forma totalmente fora da regulamentação, das quais, só consegue identificar 100.

O Procon-SP solicitou que a Enel envie relação das empresas que possuem contrato para passagem desses fios; quais delas estão em descordo com os padrões estabelecidos contratualmente e normativamente em relação as normas e resoluções da Aneel/Anatel.
As empresas que estiverem fora das normas serão notificadas pela Fundação Procon-SP e terão um prazo para se adequarem.

Aquelas que não o fizerem serão multadas e até poderão ser interditadas temporariamente, afirma o diretor executivo Fernando Capez. “Essa foi uma importante reunião para deliberar sobre como retirar esses fios que poluem a paisagem urbana da cidade de São Paulo, verdadeiras gambiarras, fios que se entrelaçam com risco de curto circuito em situação totalmente irregular”, conclui (AC/ProconSP).

Recuperação de crédito subiu 1,6% em julho

O indicador de recuperação de crédito da Boa Vista – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base do SCPC – registrou alta de 1,6% em julho contra junho, já descontados os efeitos sazonais. Na comparação com julho de 2018, houve diminuição de 0,9%, de forma que, no ano, o indicador acumula queda de 6,1%.

Em termos regionais, o acumulado do ano apresenta alta apenas na região Norte (0,5%). Em sentido oposto, na região Sul foi registrada a maior redução (-13,7%), seguida do Sudeste (-5,6%), Centro-Oeste (-4,7%) e Nordeste (-3,3%). Na comparação mensal, contudo, todas as regiões apresentaram alta no período.

Se, por um lado, o indicador de inadimplência vem apresentando queda em 12 meses, por outro lado, o indicador de recuperação também segue em queda nesta base de comparação (-3,1% em julho), sinalizando dificuldade dos consumidores com dívidas em atraso de reequilibrarem a sua situação financeira e saírem do cadastro de inadimplentes.

Entre os principais fatores por trás desta dificuldade, é possível apontar os elevados níveis de desocupação e subutilização da mão de obra e o fraco crescimento da renda. Apesar da alta do indicador em julho, ainda não há indícios sólidos de melhora na recuperação de crédito (Boa Vista SCPC).

Agropecuária nordestina ganha plano de ação para o desenvolvimento

Agência Brasil

A agropecuária nordestina tem, desde ontem (19), um instrumento importante para o seu desenvolvimento. A Portaria 164, de 16 de agosto, publicada no Diário Oficial da União, estabelece no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento o Plano de Ação para o Nordeste (AgroNordeste).

O AgroNordeste vai apoiar a organização das cadeias agropecuárias da região para ampliar e diversificar os canais de comercialização, “atuando com pertinência social, ambiental e econômica e buscando aumentar a eficiência produtiva e o benefício social”.

De acordo com a portaria, o plano trabalhará também na identificação de obstáculos que travam a competitividade de setores da agropecuária nordestina com potencial de crescimento e apoiar a melhoria dos sistemas produtivos, do beneficiamento e do processamento de produtos.

O AgroNordeste trabalhará também no acesso dos produtores a crédito, assistência técnica e tecnologias, objetivando o desenvolvimento de produtos com maior valor agregado e de estratégias de convivência com a seca.

Semana do Brasil funcionará nos moldes do Black Friday

Agência Brasil

Com o objetivo de movimentar a economia e estimular o turismo interno e o varejo, o governo brasileiro está organizando uma campanha para tentar aquecer as vendas do comércio em setembro, um dos meses em que, tradicionalmente, o consumo em vários segmentos tende a ser menor.

A chamada Semana do Brasil funcionará nos moldes do evento mundialmente conhecido como Black Friday, ação promocional criada nos Estados Unidos, onde lojistas de todo o país se unem para, toda última sexta-feira de novembro, ou seja, um dia após o feriado de Ação de Graças, oferecer descontos em produtos, atraindo consumidores.

Segundo o Ministério do Turismo, a proposta do governo é engajar associações comerciais e entidades ligadas ao setor de turismo e serviços para oferecer produtos brasileiros a preços promocionais. A Semana do Brasil deve ocorrer entre os dias 6 e 15 de setembro, coincidindo com as comemorações da Independência do Brasil.

Mais de 100 empresários e representantes do governo federal se reuniram em São Paulo no início de agosto para discutir ações promocionais a serem desenvolvidas durante o evento. A forma de participação das empresas, entidades e órgãos públicos ainda está sendo definida.

Mais Lidas

Strict Standards: Only variables should be assigned by reference in /home/storage/0/5e/4e/jornalempresasenegoc/public_html/modules/mod_sp_facebook/mod_sp_facebook.php on line 84

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171