ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Produção da indústria eletroeletrônica em queda

A produção industrial do setor eletroeletrônico recuou 2,9% nos primeiros cinco meses deste ano, em relação a igual período de 2018.

Producao temporario

Os números acendem um sinal de alerta sobre o desempenho do setor produtivo. Foto: Alexander Dummer/Pexels

É o que demonstram os dados divulgados pelo IBGE agregados pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).
O resultado foi motivado pelas quedas de 8,1% na produção de bens eletrônicos. A área elétrica teve crescimento de 2,4%.

Na avaliação do presidente da Abinee, Humberto Barbato, mais uma vez os números acendem um sinal de alerta sobre o desempenho do setor produtivo. “A essa altura do ano, já esperávamos um ambiente mais seguro e com maior previsibilidade para reverter o quadro de retração e falta de confiança na indústria”, afirmou.

No mês de maio de 2019, a produção industrial do setor elétrico e eletrônico cresceu 10,7% em relação a maio do ano passado, com alta de 16,4% na área elétrica e de 5% na eletrônica. Entretanto, este resultado está influenciado por uma base de comparação fortemente prejudicada pela greve dos caminhoneiros em maio de 2018. Na comparação com abril de 2019, a produção do setor eletroeletrônico, com ajuste sazonal, cresceu 1,4%, sendo 0,4% por parte da indústria eletrônica e 3% pela indústria elétrica (AI/Abinee).

Aérea argentina Flybondi começa operar em outubro

Aerea temporario

A companhia aérea da Argentina adota o modelo low cost (baixo custo). Foto: Flybondi/Divulgação

Agência Brasil

A Flybondi, companhia aérea da Argentina, que adota o modelo low cost (baixo custo), começa a operar no Brasil a partir de outubro.
Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a empresa iniciará suas atividades com três voos semanais entre as cidades de Buenos Aires e e do Rio de Janeiro.

A autorização para a Flybondi iniciar suas operações internacionais no Brasil foi concedida pela Anac, durante a 11ª Reunião da Diretoria Colegiada da Agência, no começo desta semana. A medida é a última etapa para que uma empresa estrangeira inicie voos regulares no Brasil e permite que a companhia faça o registro das rotas e inicie a venda das passagens aéreas.

De acordo com a Anac, a Flybondi será a terceira empresa aérea low cost a voar no país, após o início das operações da chilena Sky Airline e da europeia Norwegian.

PRAZO PARA RENOVAÇÃO DE CONTRATOS DO FIES

Agência Brasil

O prazo os estudantes renovarem contratos do Novo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) ficará aberto até o dia 31 de agosto. O aditamento deve ser feito pela internet. Ao todo, 128 mil estudantes que contrataram o Fies a partir de janeiro de 2018 devem fazer o procedimento. De acordo com a Caixa, uma das condições para o aditamento é estar com os pagamentos em dia. A não realização do aditamento por três semestres consecutivos pode ocasionar o cancelamento do contrato.

Os estudantes também podem fazer o pedido de suspensão ou encerramento do semestre pelo mesmo sistema. A partir de segunda-feira (8), será possível solicitar a transferência de instituição de ensino.
Caso haja necessidade de alterações no contrato, como a troca de fiador, o estudante deve comparecer a uma agência da Caixa. Nesse caso específico, o estudante deverá comparecer com o novo fiador e apresentar a documentação necessária para assinatura de termo aditivo ao contrato.

Confiança do empresário caiu de maio para junho

Agência Brasil

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), medido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), recuou 1,7% na passagem de maio para junho e chegou a 118,3 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos. Na comparação com junho do ano passado, o indicador avançou 8,5%. Na passagem de maio para junho, a queda foi puxada principalmente pela piora das avaliações sobre as condições atuais, que recuaram 5,1%.

A avaliação sobre o momento atual da economia caiu 8,5%.
Tanto as expectativas do empresariado em relação ao futuro quanto as intenções de investimento recuaram de forma mais moderada, em 0,5%. Na comparação com junho do ano passado, as avaliações sobre as condições atuais cresceram 12,8%. As expectativas subiram 7,2% e as intenções de investimento, 6,9%.

Queda na inflação para famílias com renda mais baixa

Agência Brasil

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), que calcula a variação de preços da cesta de compras de famílias com renda até 2,5 salários mínimos, registrou inflação de 0,07% em junho. A taxa ficou abaixo do 0,26% de maio. Segundo a FGV, o indicador acumula taxas de 2,72% no ano e de 3,85% nos últimos 12 meses. Apesar da queda de maio para junho, o IPC-C1 de junho ficou acima do Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda.

O IPC-BR teve deflação (queda de preços) de 0,02% em junho. Em 12 meses, o IPC-BR acumula inflação de 3,73%. Em junho, quatro das oito classes de despesas que compõem o IPC-C1 tiveram queda da taxa de maio para junho: habitação (de 0,79% em maio para -0,24% em junho), transportes (de 0,28% para -0,38%), saúde e cuidados pessoais (de 0,75% para 0,31%) e despesas diversas (de 0,08% para -0,23%).

Por outro lado, tiveram alta de maio para junho os grupos educação, leitura e recreação (de 0,03% para 0,78%), alimentação (de -0,26% para -0,16%), vestuário (de 0,13% para 0,60%) e comunicação (de -0,12% para 0,07%).

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171