ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Bolsonaro e Guedes cogitam moeda comum com Argentina

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia Paulo Guedes discutiram a criação de uma moeda única para Brasil e Argentina, a qual pode se chamar "peso real".

Bolsonaro temsparoariol

Bolsonaro, com Mauricio Macri, em visita à Argentina. Foto: ANSA

O tema veio à tona na tarde de quinta-feira (6), em um encontro em Buenos Aires entre Bolsonaro, Guedes e empresários. A ideia, porém, foi proposta pelo ministro da Economia da Argentina, Nicolás Dujovne.

Segundo Guedes, no futuro, é possível que haja cerca de apenas cinco moedas no mundo, e a do Mercosul facilitaria a integração regional. Desde a criação do Mercosul, em 1991, os países do bloco cogitam a possibilidade de estabelecer uma moeda comum, mas, até agora, nada tinha sido feito para avançar com o projeto. Neste momento, no entanto, a ideia está sendo analisada apenas por Brasil e Argentina, sem envolvimento do Paraguai e do Uruguai, outros membros do bloco.
Após a reunião em Buenos Aires com Bolsonaro e Guedes, porém, o Banco Central publicou um comunicado negando que a moeda única esteja sendo estudada. "O Banco Central não tem projetos ou estudos em andamento para uma união monetária com a Argentina. Há tão somente diálogos sobre estabilidade macroeconômica, bem como debates acerca de redução de riscos e vulnerabilidades e fortalecimento institucional", diz a nota (ANSA).

Indicador Ipea mostra crescimento na capacidade de produção

Indicador temsparoariol

Foto: Abad/Reprodução

O Indicador Ipea Mensal de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) registrou alta de 0,5% em abril em relação a março, na série com ajuste sazonal, divulgado na sexta-feira (7), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). FBCF é um dos componentes do PIB pelo lado da demanda. Ele mostra o quanto as empresas aumentaram sua capacidade produtiva e se os empresários estão confiantes no futuro. Já na comparação com o mesmo mês do ano passado, houve queda de 0,9%.

No acumulado em doze meses, houve desaceleração nos investimentos, com a taxa de crescimento passando de 3,7% em março para 2,7% em abril. O item construção civil foi o destaque positivo, com crescimento de 1% em abril em relação a março. Ainda assim, o setor encerrou o trimestre com retração de 0,7% em relação ao período imediatamente anterior. Já o consumo aparente de máquinas e equipamentos (Came) avançou 0,3%.

O terceiro componente da FBCF, classificado como “outros ativos fixos”, também contribuiu positivamente para o desempenho dos investimentos em abril, registrando avanço de 0,5% na margem. Quando comparado a abril de 2018, o fraco desempenho da FBCF foi disseminado. Com exceção do componente outros ativos fixos, que cresceu 6,4%, todos os demais registraram variação negativa. Tanto o Came quanto a construção civil recuaram 2,1% em relação ao mês de abril do ano passado (AIC/Ipea).

IPCA desacelera em maio com a menor alta desde 2006

Agência Brasil

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de maio variou 0,13% e ficou 0,44 ponto percentual abaixo da taxa de abril (0,57%). Esse foi o menor resultado para maio desde 2006 (0,10%).
Em maio de 2018, a taxa havia sido de 0,40%. Os dados foram divulgados na sexta-feira (7), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A variação acumulada no ano ficou em 2,22% e em 12 meses chegou 4,66%, abaixo dos 4,94% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.De acordo com o IBGE, quatro dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados mostraram deflação em maio.

O impacto negativo mais intenso (-0,14 ponto percentual) sobre o IPCA de maio veio de Alimentação e bebidas (-0,56%), que havia subido 0,63% em abril. Também apresentaram deflação: Artigos de Residência (-0,10%), Educação (-0,04%) e Comunicação (-0,03%).

Japão: ajuda financeira em apoio a venezuelanos

O Japão decidiu oferecer ao Brasil US$ 3,8 milhões de dólares de auxílio em apoio a refugiados e imigrantes da Venezuela. Até fevereiro, cerca de 3,4 milhões de pessoas saíram da Venezuela para países vizinhos, devido a problemas políticos e econômicos. As regiões que receberam essas pessoas tiveram queda na qualidade de vida devido ao rápido influxo. O Brasil recebeu 96 mil refugiados.

A ajuda financeira deverá ser destinada a serviços médicos de emergência e medidas de proteção de crianças contra abuso e exploração. Antes, o Japão já havia oferecido mais de US$ 1,8 milhão em equipamentos médicos e doações a órgãos internacionais de apoio a venezuelanos que deixam o país (NHK/ABr).

Caiu a inflação pelo IGP-DI

Agência Brasil

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), registrou inflação de 0,4% em maio. A taxa é menor que a apurada em abril (0,9%). O IGP-DI acumula 3,75% no ano e 6,93% em 12 meses. A queda da taxa de abril para maio foi provocada pelos três subíndices que compõem o IGP-DI.

A inflação do Índice de Preços ao Produtor Amplo, que mede o varejo, caiu de 1,09% em abril para 0,52% em maio. O Índice de Preços ao Consumidor, que analisa o varejo, recuou de 0,63% para 0,22%. Já o Índice Nacional de Custo da Construção caiu de 0,38% em abril para 0,03% em maio.

Mais Lidas

Strict Standards: Only variables should be assigned by reference in /home/storage/0/5e/4e/jornalempresasenegoc/public_html/modules/mod_sp_facebook/mod_sp_facebook.php on line 84

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171