ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Produção industrial cresce 0,3% de março para abril

A produção industrial brasileira teve alta de 0,3% na passagem de março para abril.

Producao temproario

Entre as 26 atividades pesquisadas, 20 tiveram alta. Foto: Arquivo/ABr

O crescimento veio depois de uma queda de 1,4% na passagem de fevereiro para março. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal, do IBGE, divulgada ontem (4). Em abril, no entanto, houve quedas nos outros quatro tipos de comparação: -3,9% na comparação com abril de 2018, -0,1% na média móvel trimestral, -2,7% no acumulado do ano e de -1,1% no acumulado de 12 meses.

Na passagem de março para abril, houve alta em três das quatro grandes categorias econômicas, com destaque para os bens de consumo duráveis (3,4%). Também tiveram crescimento os bens de capital, isto é, as máquinas e equipamentos (2,9%), e os bens de consumo semi e não duráveis (2,6%). Por outro lado, os bens intermediários, isto é, os insumos industrializados usados no setor produtivo, caíram 1,4% de março para abril.

Entre as 26 atividades industriais pesquisadas, 20 tiveram alta na produção, com destaque para veículos automotores, reboques e carrocerias (7,1%), máquinas e equipamentos (8,3%), outros produtos químicos (5,2%) e produtos alimentícios (1,5%), todos revertendo as quedas registradas em março. Das seis atividades em queda, o destaque foi para as indústrias extrativas, que recuaram 9,7%, registrando o quarto resultado negativo do setor e acumulando perda de 25,7% no período (ABr).

Trump: acordo comercial com Reino Unido após Brexit

Trump temproario

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e a primeira-ministra Theresa May. Foto: ANSA

Em visita oficial a Londres, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse estar disposto a fechar um acordo comercial "substancial" e "justo" com o Reino Unido após o Brexit. "Acho que teremos um acordo comercial muito substancial, será um acordo muito justo e acho que é algo que ambos queremos fazer", afirmou o republicano à primeira-ministra Theresa May.

"Nós [os EUA] somos o seu maior parceiro. Acho que há uma grande oportunidade para ampliar isso, especialmente agora", ressaltou Trump. May, por sua vez, concordou com Trump. Segundo ela, "podemos fazer ainda maior [o acordo comercial]", com "uma cooperação econômica mais ampla", de maneira bilateral. O presidente dos EUA é um entusiasta da saída do Reino Unido da União Europeia e já até chegou a sugerir a May que não negocie nenhum acordo com Bruxelas.

Ele está em seu segundo dia de visita oficial ao país. Pelas ruas de Londres, porém, a presença de Trump gera protestos e grandes manifestações. Um balão inflável gigante do presidente norte-americano é carregado pelos críticos. A visita do republicano também desagradou a líderes políticos de alto escalão, como o prefeito de Londres, Sadiq Khan. "Trump é garoto propaganda para a extrema-direita do mundo todo", criticou Khan, referindo-se às políticas imigratórias do presidente (ANSA).

IPC-S recua nas sete capitais pesquisadas

Agencia Brasil

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) recuou nas sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV) na passagem de abril para maio. De acordo com os dados divulgados ontem (4), a maior queda foi observada em Salvador: 0,71 ponto percentual, já que a taxa de inflação caiu de 1,08% em abril para 0,37% em maio.

Em seguida, aparecem as cidades de Porto Alegre (0,59 ponto percentual, ao passar de 0,89% para 0,3%), Rio de Janeiro (-0,58, de 0,57% para 0,01%) e Brasília (0,45, de 0,7% para 0,45%). As outras cidades tiveram as seguintes quedas nas taxas de inflação: Recife (0,32, de 0,64% para 0,32%), São Paulo (0,18, de 0,42% para 0,24%) e Belo Horizonte (0,04, de 0,26% para 0,22%). A média nacional do IPC-S recuou 0,41 ponto percentual, ao passar de 0,63% em abril para 0,22% em maio.

Dia dos Namorados movimentará R$ 2,3 bilhões no e-commerce

O amor está no ar – e no bolso dos casais brasileiros. De acordo com estimativas do Compre&Confie, empresa referência em inteligência de mercado, os apaixonados devem aumentar a procura por presentes no e-commerce este ano: ao todo, as compras online para o Dia dos Namorados devem movimentar R$ 2,3 bilhões este ano, aumento nominal de 8% em relação ao mesmo período do ano passado.

“A expectativa para o comércio eletrônico continua positiva. A possibilidade de economizar no dia dos namorados impulsionará um forte crescimento nas vendas deste ano, apesar da queda do valor médio gasto nos presentes mostrar certa cautela do consumidor neste momento de recuperação da economia”, afirma André Dias, diretor executivo do Compre&Confie.

A projeção, que considera o período de 28/05 a 11/06, aponta que o incremento está relacionado ao volume de pedidos no período. A empresa acredita que, ao todo, devem ser realizados 6 milhões de compras online – aumento de 17% em relação ao ano anterior. Apesar de comprarem mais, os brasileiros devem ter um tíquete médio menor do que o do ano passado. As compras devem ser de, em média, R$ 389,17 – valor 7,5% menor do que o registrado no mesmo período de 2018 (AI/Compre&Confie).

 
 

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171