ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Política de segurança de barragens ‘pode mudar’

O secretário de Geologia, Mineração e Transformação Natural do Ministério de Minas e Energia, Alexandre Vidigal, disse ontem (28), que após avaliação do governo federal da tragédia de Brumadinho, a política nacional de segurança de barragens pode ser revista. 

Ele avalia que os rejeitos não devem chegar à represa de Três Marias.

Segundo o secretário, a tragédia de Brumadinho “se diferencia muito da de Mariana” e não apresenta um quadro preocupante quanto ao risco de rompimentos de outras barragens na região. A declaração foi dada ao término da primeira reunião do Ministério de Minas e Energia, com dirigentes da Vale, mineradora responsável pela barragem na mina do Córrego do Feijão, que rompeu na última sexta-feira (25), em Brumadinho.
Alexandre Vidigal reconheceu que pode haver vulnerabilidades em outras barragens, mas que seria “irresponsável” indicá-las sem um rigoroso exame. “Mas também pode não haver. Temos evidências de que o sistema existente funcionava”. Ele disse que eventuais
inconsistências entre dados levantados pelos órgãos públicos e a Vale deverão ser estudados.
Ao defender “uma política de transparência”, Alexandre Vidigal informou que o governo realizará uma série de reuniões para esclarecer o que de fato ocorreu, inclusive com empreendedores do ramo da mineração. “Precisamos nos tornar, nesse momento, parceiros e evitar futuras tragédias”, argumentou (ABr).

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171