ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Exportações dependem de custos baixos além de câmbio favorável

O presidente da Associação dos Exportadores Brasileiros (AEB), José Augusto de Castro, defendeu que é preciso reduzir custos e que o câmbio desvalorizado não basta para dinamizar as exportações.

Castro discursou na abertura do Encontro Nacional de Comércio Exterior, no Rio de Janeiro. “O câmbio não é a solução para todos os nossos problemas”, afirmou, acrescentando que uma série de outras moedas também desvalorizaram.
Castro apontou a queda do euro frente ao dólar e as iniciativas da desvalorização do câmbio na China, como exemplos. “Este ano mais do que nunca temos de acreditar no mercado exterior”, disse. O presidente da AEB disse que a redução de custos precisa ocorrer no processo da logística e no sistema tributário. E para que seja possível a redução de custos é preciso que haja reformas estruturais.
Castro afirmou que o Brasil perdeu espaço no comércio exterior nos últimos anos: o nível de exportações previsto para 2015 é inferior ao de 2006. A corrente de comércio internacional, lembrou, deve ficar no nível de 2008. De 2012 para 2015, a participação do Brasil no comércio exterior deve cair de 1,43% para 1%, previu. “Nossa participação está minguando”. Na sua avaliação, o superávit comercial previsto para este ano é negativo, pois baseia-se na queda das importações (ABr).

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171