ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Paulo Sérgio (*)

Certa vez, num domingo em casa, enquanto limpava a piscina, ouvi o galo do qual meu vizinho vivia se gabando.

Ele sempre falava que não usava despertador, pois seu galo cantava todos os dias antes das 6h da manhã. Porém, nesse domingo, assim que ouvi o galo, meu vizinho acordou gritando: "galo velho, você não canta mais no horário certo, perdi a missa por sua causa. Qualquer dia desses faço um belo molho de você". Observei a cena pelo muro, enquanto o galo estufava o peito e continuava cantando, alheio à agonia do seu dono.

Muitos de nós, no âmbito profissional, somos como o galo que canta às 10h, ou seja, estufamos o peito, mostramos um belo discurso, mas, erramos o horário, cantamos tarde, quando a empresa, o líder, o cliente, não precisam mais que façamos algo, pois perdemos o timing e os fizemos perder oportunidades.

Por exemplo: vendedores que marcam com os clientes, mas chegam atrasados sem nenhuma justificativa plausível – o que faz com que a sintonia da venda se perca logo no início da negociação. Advogados que perdem prazos, contadores que não calculam corretamente os impostos dos clientes ou não lhes dão assessoria quando mais precisam, engenheiros que atrasam a obra, zeladores que jogam a sujeira para debaixo do tapete, taxistas que prestam um mau serviço, recepcionistas que deixam o cliente esperando etc.

Também, representa quem vive adiando fazer um curso, a faculdade, a tarefa, seja para arranjar um trabalho, ser promovido ou ter uma remuneração melhor. Enfim, são profissionais que cantam de galo, mas atrasados. Representa, ainda, colaboradores que assumem compromissos e metas, mas não realizam. Muitas vezes, inventam desculpas, alegando que o mercado está em crise, a economia está ruim, agindo como o galo que canta às 10h e, se falasse, diria que o sol nasceu mais tarde por causa do tempo chuvoso, por isso se perdeu no horário.

Por outro lado, se olharmos a atitude do vizinho, representa uma liderança que não reconhece o esforço, o passado do colaborador que sempre fez as coisas certas. No entanto, quando comete um erro, tem sua atenção chamada na frente dos outros, é criticado como se nunca tivesse feito nada certo, por mais que já tenha ajudado a empresa e o líder por longos anos. Mostra um líder que não motiva, nem estimula, a melhoria, apenas critica e cobra.

Então, analisando essa conjuntura, na sua profissão, você tem tido a atitude certa na hora certa? Tem estufado o peito e “cantado de galo” quando deveria? Ou está cantando às 10h, perdendo o horário, fazendo com que a equipe, a clientela e a sua liderança, percam a hora, a produtividade, a venda do produto e os lucros? Na nossa carreira, precisamos ficar atentos, pois não resolve muita coisa agirmos tarde demais.

O ideal é cumprirmos nosso horário, a função para a qual fomos contratados, indo além disso e, quando estufarmos o peito, que seja para cantar exatamente no horário que esperam que façamos isso, ou mesmo antes da hora, aproveitando as oportunidades, para evitarmos que aqueles que esperam algo de nós (clientes, líderes, colaboradores, empreendedores), nos ameacem dizendo que farão um “molho” com a nossa carreira, empresa, negócio.

Pense nisso, pare de adiar o que tem de ser feito, pois eu torço pelo seu canto (na hora certa).

(*) - Professor, é palestrante, consultor e empresário. Autor dos livros 'Os dez mandamentos básicos na prestação de serviços', e o best-seller 'Mente de vencedor', entre outros.

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171