ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Home

Manifestacoes temproario

Foto: Marcelo Camargo/ABr

Em Brasília, os manifestantes se concentraram na Esplanada dos Ministérios.

Estudantes, trabalhadores da educação e sindicalistas se mobilizaram ontem (15) em várias cidades para protestar contra o bloqueio de verbas das universidades públicas e de institutos federais. Convocados por entidades como a UNE, os atos também criticaram a possibilidade de extinção da vinculação constitucional que assegura recursos para o setor e a proposta de reforma da Previdência. Em São Paulo, os manifestantes tomaram o vão-livre do Masp, na Av. Paulista. Os dois sentidos da via e as calçadas também foram ocupados. Na multidão, muitos estudantes, além de professores universitários, estaduais e municipais.
Na Unicamp, não houve aula em nenhuma das faculdades, apenas as áreas essenciais de manutenção funcionaram. Na USP e na Unesp, a decisão de assistir às aulas ou ir ao protesto ficou a cargo dos estudantes. O Conselho de Reitores divulgou nota em apoio à manifestação, destacando que as três instituições são responsáveis “por mais de 35% da produção científica nacional e por 35% dos programas de pós-graduação de excelência no país”. E que: “interromper o fluxo de recursos para estas instituições constitui um equívoco estratégico que impedirá o país de enfrentar e resolver os grandes desafios sociais e econômicos do Brasil”.
Em Brasília, os manifestantes se concentraram em frente ao Museu da República, na Esplanada dos Ministérios. Dali, seguiram em direção ao Congresso, portando faixas e cartazes contra o contingenciamento de 3,4% das chamadas despesas discricionárias, ou seja, aquelas não obrigatórias, que o governo pode ou não executar, e que incluem despesas de custeio e investimento.
O MEC garantiu que o bloqueio de recursos se deve a restrições orçamentárias impostas a toda a administração pública federal em função da atual crise financeira e da baixa arrecadação dos cofres públicos. O bloqueio preventivo atingiu apenas 3,4% das verbas discricionárias das universidades federais, cujo orçamento para este ano totaliza R$ 49,6 bilhões (ABr).

“No dia em que a mulher descobre que o homem,
pelo simples fato de ser seu marido, é também seu cônjuge, coitado dele”.

Fernando Sabino (1923/2004) Jornalista brasileiro

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171