Para quem você “deve uma gentileza “?

A indústria do cinema nunca definiu quem sou, mas Brad e os meus amigos sim”. E é com uma das falas mais impactantes de Jean Black, protagonista do episódio de estréia Irmãos A Obra – Reforma Das Estrelas pelo canal Discovery Home&Health Brasil – que iniciamos mais um artigo em parceria.

Adilson e eu somos fãs dos gêmeos que se dedicam a transformar a vida das famílias através de reformas incríveis em seus lares.  Eles realizam sonhos e desejos delas para que possam registrar e colecionar momentos inesquecíveis naquele espaço, e seja qual for a configuração familiar. Entretanto, a nova série deles com a participação de Brad Pitt não nos chama atenção pela beldade dos três, mas sim pela homenagem feita à amiga e maquiadora Jean Black, com quem Brad tem uma relação de amizade há quase 30 anos. Em inglês, o nome do programa é I Owe You, que foi literalmente traduzido por “Te devo essa”.  Brad diz: “ela é como uma irmã e sempre esteve comigo, me apoiando em mais de 40 filmes”. Além de nos encantarmos com a estória dessa amizade, nos questionamos sobre como boa parte das empresas e empresários do mercado não são capazes de dar o devido valor e reconhecimento àqueles que trabalham nos bastidores de maneira discreta e silenciosa para que outras “estrelas” brilhem. Quantas vezes o ego de profissionais em destaque ou em alta posição hierárquica prevalece sobre o coletivo? E por quantas vezes tais “estrelas”, envolvidas ou mesmo distraídas pelos holofotes, acabam por não dar crédito àqueles que construíram e estiveram por perto ao longo da jornada de sucesso?

Até onde temos visto em nossas carreiras, uma trajetória de sucesso é construída com a participação de muita gente extraordinária, e que resultados expressivos não são alcançados por um time de apoio mediano. Uma estrela tem seu brilho ampliado quando permite que outras estrelas brilhem com ela, assim como acontece com as boas práticas de liderança no mundo corporativo. 

E por falar em #liderança, uma atitude pode fazer com que um líder se apequene ou se agigante. O primeiro vai na direção do egocentrismo, vaidade, competitividade, arrogância e prepotência. Já o outro, caminha na direção do coletivo, demonstra humildade, colaboração, simplicidade e compaixão.  Suas posições criam evidências sustentáveis a partir de suas atitudes para que seja sempre lembrado. A questão aqui é sermos lembrados por aquilo que queremos ser lembrados de fato, o que significa ter construído um legado. 

Conhece algum profissional que não teve seu valor e contribuições reconhecidas pela empresa ou pelo mercado ao longo da jornada? Quem foi que se importou com essa pessoa?

E quanto a você, quais foram as pessoas que o “destino” colocou em sua vidas? Quem se importou e confiou em você? E ainda, em quem você confiou em primeiro lugar? Como você expressou sua #gratidão à ela? 

Outro aspecto que nos chamou atenção foi no que diz respeito a um dos valores da espiritualidade, a #confiança“O trabalho tem mais a haver com confiança do que em sermos verdadeiramente bons naquilo que fazemos” – essa outra fala riquíssima da Jean nos remeteu à seguinte reflexão: Será que a confiança mascara ou potencializa nossa excelência? O que realmente importa é estar ao seu lado ou poder contar com você?

Talvez a qualidade daqueles que são capazes de reconhecer o nível de contribuição dos que estão e sempre estiveram ao redor, seja a #generosidade, pela forma genuína com que se importam e se interessam pelas pessoas.  

Na nossa opinião, há uma poderosa metáfora inserida nesse programa independente dos três formatos que eles apresentam, que é a reforma íntima. E gostaríamos que seguissem refletindo com a pergunta: a quem você confiaria uma reforma íntima para obter uma renovação que fosse capaz de surpreendê-lo (a) nesse cuidado para consigo mesmo(a)? Um cuidado para um lar chamado VOCÊ! 

Lembrem-se que reformar inclui manter aquilo que é importante, e desapegar daquilo que não faz mais sentido seguir com você. Numa escala de 0 à 10, qual sua disposição para uma reforma transformadora hoje?

Há coisas novas e surpreendentes à disposição no mundo. E é como o irmão Drew sempre fala ao apresentar uma casa que precisa de muitos reparos: “Esse espaço tem potencial, mas é preciso manter a mente aberta e confiar no Jonathan (o irmão gêmeo)”. 

Para finalizarmos, queremos te convidar a pensar na generosidade daquelas pessoas que estiveram sempre ao seu lado, permitiram você brilhar, a crescer como pessoa e profissional, e a registrar nos comentários o nome delas como um exercício de gratidão.  Vamos lá?

Para quem você “deve essa gentileza”?

Com o nosso carinho!!

(*) É especialista em gestão de carreira e no equilíbrio entre a maternidade e o trabalho, empreendedora, coach, mãe e esposa de Adilson Souza.

(**) É mentor, palestrante, professor, pai e autor do livro Liderança e Espiritualidade – Humanizando as Relações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Shares
Share via
Copy link
Powered by Social Snap