Os benefícios de investir no ensino de programação e robótica desde cedo

Em uma sociedade cada vez mais tecnológica, não surpreende que as crianças adquiram precocemente desenvoltura para manusear aparelhos eletrônicos (seja smartphone, tablet ou notebook). Por isso, de olho nos futuros cidadãos, cresce o número de escolas que investem no ensino de competências digitais e, por meio de conceitos de programação, mostram como a tecnologia pode ser utilizada de forma saudável e criativa

big 2014-07-17-teachingkidstocode-1405568223 temproario

Alexandre Luercio (*)

Ao expor às crianças, desde cedo, a linguagem de programação e conhecimentos de robótica, elas descobrem que ao invés de passar o tempo apenas navegando ou jogando, é possível criar o próprio game e ir além, como projetar aplicativos e dispositivos eletrônicos. Isso faz com que muitas habilidades sejam naturalmente desenvolvidas, sendo de extrema importância no decorrer da vida acadêmica e pessoal, dentre elas podemos citar:

1 - Raciocínio Lógico: o aluno desenvolve o lado esquerdo do cérebro que é responsável pelo raciocínio lógico, analítico e crítico. Isso acontece porque a criança é ensinada a pensar de forma estruturada, uma vez que é ela quem designa ações ao computador, por meio de códigos específicos.

2 – Criatividade: por meio da criação de games, a criatividade dos alunos é trabalhada para analisar, planejar, criar e executar um projeto, valorizando todas as suas etapas.

3 – Desenvolvimento da escrita: ao iniciar o projeto de um game é preciso, primeiramente, pensar e planejar as diferentes funções e variações que serão necessárias, assim como as que trabalharão em harmonia para que o projeto de fato funcione. O mesmo processo ocorre ao escrever uma redação, afinal as ideias devem ser organizadas e transmitidas em parágrafos de forma fluida e alinhada, como se fossem ações e códigos.

4 – Resolução de problemas: no universo da tecnologia é preciso seguir alguns padrões lógicos para se comunicar com eficiência e, caso uma sequência de códigos não seja desenvolvida corretamente, o projeto não responderá de acordo. Esse tipo de situação expõe o aluno a necessidade de buscar uma resposta efetiva para que possa concluir o desafio proposto.

5 – Organização de modo geral: todas as habilidades estão correlacionadas e a organização não seria diferente, assim como o processo de pensar e planejar as ações para desenvolver um game ou uma redação. A organização é fundamental para atividades cotidianas, como planejamento de tarefas e atividades, estruturação de pensamentos e até mesmo para a maneira de estudar.

6 – Trabalho em equipe: por ser um exercício de persistência, os alunos, mesmo desenvolvendo individualmente seus projetos, são estimulados a compartilhar com os demais colegas seus erros e acertos e dessa forma trabalham juntos.

7 - Incentiva o aprendizado de matemática, física e língua inglesa: com apoio pedagógico para elaborar todo o material didático, assim como a plataforma de estudo, os cursos de programação auxiliam na melhora de desempenho em diversas disciplinas escolares, principalmente matérias com base em raciocínio lógico, como: matemática, física e inglês. Isso acontece pelo fato dos alunos se familiarizarem com números ou novas palavras e aprendem a raciocinar com mais precisão, absorvendo a teoria e conseguindo aplicar na prática.

8 – Desenvolve cidadãos digitais: mais que serem apresentados aos conhecimentos básicos de uma linguagem que será utilizada em diversas profissões que vão além do mundo da tecnologia, os alunos aprendem que a internet não é uma rede totalmente segura e enxergam na prática como podem ser expostos as mais variadas ameaças e como se proteger delas.

A programação refere-se ao uso de uma linguagem de computação específica para desencadear as instruções de um dispositivo a ser executado. O processo e os conceitos da lógica quando implementada por meio de código, trazem serviços digitais para a vida. Isso mostra aos alunos que a tecnologia pode ser utilizada para criar produtos que possam ajudar o próximo e ainda compartilhar o conhecimento adquirido com outras pessoas, além de capacitá-los para a futura escolha profissional.

Por fim, vale destacar que ensinar as primeiras linhas de código não significa que as crianças precisam saber como escrever ou ler as principais linguagens como Python, JAVA e Ruby. A proposta é que compreendam a estrutura, lógica e interconexão das tecnologias que as permitem jogar ou assistir vídeos e aumentar o interesse pela tecnologia.

(*) É diretor de marketing da Happy Code, escola de competências digitais para crianças e adolescentes de 5 a 17 anos.

Evento reúne especialistas de ERP para discutir as tendências do mercado

O ERP (Enterprise Resource Planning), solução de planejamento e gestão empresarial, tende a crescer cada vez mais. De acordo com o Portal ERP, cerca de 280 mil empresas devem migrar para este sistema no médio e longo prazo. Pensando nisso, a plataforma está promovendo um evento para discutir este mercado e seu futuro, que deve acontecer no dia 25 de abril no Hotel Novotel SP Center Norte.
A primeira edição do ERP Summit reunirá especialistas de diferentes empresas para falar sobre o ambiente de negócios, as inovações tecnológicas e as tendências de mercado de ERP. Dentre os patrocinadores do evento está a Mega Sistemas Corporativos, empresa de Itu, no interior de São Paulo, que apoia companhias no controle e integração de dados, a partir de um conjunto de ferramentas que geram informações únicas relacionadas a todos os setores.
Além de um estande comercial, a Mega levará alguns de seus especialistas para as palestras do ERP Summit, como Giuliano Machado, gerente de atendimento, Rafael Bittencourt, gerente de produtos e William Ramalho, gerente executivo de serviços. Dentre os temas que discutirão estão: atendimento, designer Sprint e customer success. O evento também contará com nomes como Ozires Silva, fundador da Embraer e o economista Gustavo Loyola.
Mais informações no site do evento: http://erpsummit.com.br/

Inteligência Artificial traz competividade para os negócios

Antônio Carlos Guimarães (*)

Sabe aquelas propagandas na lateral de um site que são relacionadas às suas preferências e oferecem aquilo que você está precisando comprar? Ou o recurso de autocompletar uma palavra no celular? Ou ainda, os chatbots que automatizam o SAC e as vendas de produtos e/ou serviços?

Pois é, isso e muito mais é pura Inteligência Artificial (IA) e está presente em todo o lugar contribuindo com o desenvolvimento da sociedade. Essa tecnologia é programada para sentir, entender e aprender - ela absorve padrões de comportamento com uma massa gigantesca de dados e traz um desempenho positivo para os negócios desde a otimização de processos até a redução de custos.
Já imaginou a quantidade de trabalhos e retrabalhos que são realizados diariamente e que poderiam ser simplificados pelo uso da Inteligência Artificial? A consultoria americana McKinsey calculou que 60% das funções, no mercado de trabalho, poderiam ter pelo menos um terço de suas atividades automatizadas. E mais, a consultoria aponta que até 2055 metade das atividades realizadas por humanos serão automatizadas. Isso mostra que a tecnologia vai contribuir para que as tarefas mais operacionais e menos estratégicas não sejam designadas para as pessoas.
Existem no mercado diferentes tipos de aplicações de Inteligência Artificial que trazem agilidade, flexibilidade e redução de custos. Sendo assim, é possível desenvolver, criar e implantar soluções com rapidez. Dessa forma, sua empresa pode oferecer resultados tangíveis para seus clientes, parceiros e funcionários. Considerando esse cenário e seus benefícios, afirmo que é preciso considerar na estratégia e planejamento corporativo utilizar a IA.
O aprendizado da máquina de IA será mais eficaz de acordo com a quantidade de informações coletadas e armazenadas. A Inteligência Artificial correlacionará as ações, analisará o ambiente e fará o diagnóstico mais preciso possível. Nesse sentindo, ela proporciona vantagem produtiva e competitiva para seu negócio, seja pela maior velocidade de execução, por proporcionar menos riscos ou, ainda, por reduzir custos. Os benefícios são diversos e levam sua empresa, por conta dos resultados positivos, para um patamar mais elevado. E por isso, reforço que o investimento nessa tecnologia é primordial.
Existem pontos que ainda precisam ser aprimorados: questões éticas e regulamentação. Vale a reflexão: quais decisões uma aplicação de IA é capaz de tomar sozinha ou quando precisará consultar um ser humano? Isso pode variar muito de empresa para empresa e tipo de segmento de mercado em que ela atua. Um exemplo simples disso seria em um atendimento de SAC com chatbots em que o cliente já utilizou todas as opções oferecidas pela tecnologia, mas o problema ainda não foi solucionado. Nesse caso o consumidor precisa de um atendimento humano para ajudá-lo. A máquina oferece um pacote de soluções, mas é preciso mais do que isso. É necessário analisar o cenário e definir quando é preciso ter um humano para ajudar o cliente.
O potencial mundial dessa tecnologia cresce de maneira exponencial e atualmente no Brasil, os maiores utilizadores dela são e-commerces e empresas que oferecem produtos e/ou serviços de experiência e entretenimento, como streaming e música. Entretanto, as aplicações são as mais diversas: varejo, logística, telecomunicações, saúde, educação e finanças. Gosto de enfatizar que a Inteligência Artificial capta informações e trabalha em nível de cooperação com as pessoas para reduzir desperdícios e otimizar tempo, recursos e custo. Toda essa tecnologia é centrada no ser humano, feita para complementar e facilitar a vida das pessoas, tirando as tarefas repetitivas. As empresas que a utilizam e contribuem com as experiências diárias das pessoas fidelizam clientes e parceiros, pois aumentam a satisfação com o que é oferecido. Estamos no início de retomada econômica no país, o que gera novas oportunidades de buscar um diferencial competitivo no mercado, conquistar novos clientes e parceiros e isso é possível com a IA.
A Inteligência Artificial realmente veio para complementar e aprimorar as atividades que realizamos. Ela contribui de maneira significativa para o crescimento dos negócios como citei anteriormente e o momento de investir nessa tecnologia é agora, pois vivemos em um ambiente competitivo e com margens apertadas. Se sua empresa já começou a utilizá-la, fique atento as novidades que o mercado apresenta para estar à frente dos concorrentes, conseguir melhores resultados e elevar a eficiência operacional dos seus negócios. Usufrua das possibilidades que podem beneficiar sua empresa.

(*) É Evangelista de Cloud da Fujitsu do Brasil.