A conquista do Board: a arte de falar sobre segurança de TIC com quem decide

O CISO tem como uma de suas principais missões comunicar os desafios da segurança de TIC para os membros do conselho da empresa onde ele atua. Em plena era da transformação digital, isso tem de acontecer de forma contínua. Ainda assim, vale a pena nos concentramos nas oportunidades em que o CISO irá fazer uma apresentação sobre sua área para os integrantes do Board. Podemos ver esse encontro como um momento intenso de aprendizagem, onde ocorrerá interação com pessoas que, em alguns casos, talvez tenham pouca familiaridade com a área de TIC

tics temproario

Rita D’Andrea (*)

Uma boa apresentação não pode passar de 15, 20 minutos, e precisa cativar a audiência para provocar perguntas e comentários. Lembre-se do perfil dos seus interlocutores e construa uma mensagem que, sendo fiel aos desafios vividos pela área de TI e Segurança, também consiga causar impacto sobre os membros do conselho. Os conselheiros precisam compreender os riscos de negócio enfrentados por você e como você planeja mitigá-los.

Eis aqui seis passos para conquistar os corações e as mentes desses interlocutores:

1. Conte histórias reais sobre ameaças cibernéticas reais
Os membros do conselho estão, normalmente, afogados em números. E, infelizmente, todos conhecemos os prejuízos causados pelos crimes digitais – somente nos EUA, até 574 bilhões de dólares são perdidos anualmente. E daí?

Informações como essa não comunicam os prejuízos que sofrem as empresas atacadas. Sua meta deve ser, durante a apresentação, ajudar esses líderes a compreender os riscos gerais de se fazer negócios online, além de abordar as ameaças enfrentadas especificamente por sua vertical e por seu negócio.

Funcionará muito mais contar uma história constrangedora sobre uma violação de segurança real, preferivelmente na sua vertical da economia. Todos os membros do board conhecem o negócio e compreenderão quando você falar dos dados e das aplicações que são críticas para a continuidade dos processos – mostre que esse ativo é um grande alvo dos criminosos digitais e que isso exige que a empresa saiba como defender esse tesouro. Se possível, desenhe uma imagem do que aconteceria com os processos internos, com o relacionamento com fornecedores e parceiros, com o atendimento ao cliente se esses sistemas forem comprometidos.

2. Forneça métricas que convençam
Se houver brechas no controle de segurança para cuja solução você está se esforçando para conseguir recursos, mostre-lhes provas de que a empresa está continuamente sofrendo ataques, de que as suas redes são constantemente sondadas. Deixe claro que essa é uma guerra sem tréguas e que não é possível voltar atrás e realizar negócios fora da economia digital. Ensine-os. Surpreenda-os. E, em tudo o que falar, mostre seu compromisso com as metas de negócios da empresa.

Nesse momento, sua assistência já foi fisgada e você pode apresentar poucas e boas estatísticas – use somente dados que façam sentido para seus interlocutores:
73% das empresas sofreram pelo menos uma violação de segurança no ano passado (dado da Comptia)
Quase um terço dos funcionários submetidos a phishing abrirão e-mails fraudulentos (dado do InfoSec Institute)
Mais de 10% deles mordem a isca do phising, clicando num link do e-mail infectado e abrindo uma brecha para os ciber criminosos (InfoSec Institute)
Um minuto e quarente e dois segundos é o tempo entre o ataque de um hacker e os seus sistemas serem comprometidos (InfoSec Institute)
Em média, os hackers estão dentro da sua organização 146 dias antes de serem descobertos (pesquisa da Fireeye)
Web apps são o ponto de entrada número 1 para violações (InfoSec Institute)

3. Obtenha o apoio do Board para uma cultura de segurança
Mais do que se focar em tecnologia, o CISO luta pela manutenção de uma cultura de segurança cibernética em sua empresa. Afinal, erros humanos são responsáveis por 56% das violações cibernéticas (dado da Comptia). Uma empresa segura é uma empresa na qual todas as pessoas estão conscientes das ameaças digitais e fazem sua parte na redução dos riscos. Isso começa com um rigoroso — e repetido — treinamento; e, talvez, até mesmo a aderência a um padrão como o selo de segurança para empresas ISO 27001. Muitos membros do Board já vivenciaram processos de certificação de qualidade. Se você usar o selo ISO 27001 como um exemplo de meta a ser perseguida, isso poderá tornar concreto para seus interlocutores os desafios diários de segurança vividos por seu time.

4. Convença-os de que eles necessitam de ajuda para responder a incidentes
Incentive o conselho a encarar os fatos: Atualmente, todas as corporações enfrentam a possibilidade muito real de sofrer uma violação. A extensão dos danos sofridos depende da rapidez e da eficácia com que a empresa reage a isso; portanto, por que não se preparar? A maioria das empresas não têm as habilidades necessárias para uma eficaz resposta a incidentes (IR) – ou seja: o que acontecerá após o ataque à sua empresa ser detectado. Nesta batalha, em especial, é essencial contar com apoio técnico, de auditória e, nos piores casos – quando o ataque sofrido se torna público – de relações públicas. Esses vários profissionais poderão ajudar a recuperar a credibilidade e o valor da marca perdidos com a exposição causada pelo ataque.

5. Discuta o seguro cibernético
No mercado norte-americano, o seguro cibernético já integra a estratégia de segurança. O seguro cibernético é a área de seguros que mais cresce no mundo, com projeção de aumento de 2,5 bilhões de dólares em prêmios (dado de 2016) para 7,5 bilhões de dólares em 2020. Hoje, no entanto, apenas 19% das empresas já contrataram esse tipo de seguro.

6. Cultive o contato com os membros do Board de forma a conquistar a aprovação para novas tecnologias de segurança
Uma apresentação não conseguirá garantir o entendimento dos membros do Board sobre os desafios de segurança vividos pela sua empresa. É fundamental criar estratégias de comunicação que mantenham esses interlocutores informados e atentos para a ousadia e a inventividade dos criminosos digitais. A conquista de verba para a compra de soluções capazes de vencer a tecnologia usada pelos criminosos é algo que depende de você investir parte do seu tempo mantendo os conselheiros conscientes desta luta. Tanto os gestores do negócio como os membros do conselho precisam conhecer os riscos e aceitá-los ou, então, lutar pela implantação das soluções capazes de proteger a empresa.

Em tempos de economia digital, a segurança de TIC não é mais uma missão somente da área de tecnologia. A empresa como um todo, do Board ao mais recente funcionário contratado, precisa compreender essa realidade e lutar unida pela vitória.

(*) É country manager da F5 Brasil.

Sony renova a linha Alpha na Fotografar 2017

maquina sony temproario

Entre os dias 28, 29 e 30 de março acontece a Feira Fotografar no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo. Um dos principais eventos do ano sobre fotografia profissional no Brasil.
Recém-lançada globalmente, a câmera Alpha A6500 chega ao Brasil oficialmente para a Feira Fotografar.

Alpha A6500
Modelo mais moderno do portfólio com sensor APS-C, a A6500 é a primeira câmera com esse tamanho de sensor da linha dotada do estabilizador de 5 eixos, que oferece uma estabilidade única para quem gosta de fazer vídeos com “câmera na mão”, sem necessidade de acessórios extras, ou para quem gosta de explorar mais imagens em baixa velocidade em suas fotografias.
Além da câmera, outras lentes da linha de montagem “E” são gradualmente introduzidas no mercado local com o intuito de oferecer as melhores soluções para os usuários. “Com o aumento da demanda dos modelos de sensor APS-C, sentimos a necessidade de oferecer mais opções de lentes específicas para esse sensor localmente, como é o caso dos modelos SEL20F28, SELP18105, SEL1670, SEL1018, lembrando também que mais lançamentos estão previstos ao longo do ano”, explica Paula Cruz, Gerente da Categoria no Brasil.
Além destas novidades no mercado brasileiro, a Sony contará com os embaixadores e parceiros Érico Hiller, Rafael Kent e Richard Cheles no evento. Rafael Kent, irá ministrar uma das palestras do FHOX TALKS, no dia 30, falando um pouco do processo criativo com vídeo. O estande da Sony contará ainda com um estúdio fotográfico completo com iluminação profissional, montado para seus usuários conhecerem suas câmeras em um ambiente real do dia a dia de muitos profissionais (http://www.feirafotografar.com.br/)

7 estratégias para gerar mais vendas com e-mail marketing

Gustavo Mota (*)

Aumentar a taxa de cliques, passar pelo filtro de spams e ter um mailing bem construído, são algumas das dicas essenciais para manter um bom relacionamento com o cliente online.

Quantos e-mails, diariamente, você recebe em sua caixa postal? Pode não parecer, mas para que um desses e-mails seja lido completamente e leve o cliente para a página onde pode efetuar a compra ou buscar mais informações, já foi deixado para trás vários filtros, e cada barreira vencida é uma vitória no universo online.
É importante ter em mente que para gerar mais vendas com e-mail marketing é preciso usar estratégicas específicas a fim de fazer o e-mail não cair em uma dessas peneiras. Pensando nisso, Gustavo Mota, CEO da We Do Logos, lista sete dicas importantes para fazer com que aquele e-mail enviado para o cliente seja convertido em vendas.
“Estamos sempre preocupados em auxiliar os empreendedores a tornarem seu negócio lucrativo, já que mantê-lo funcionando a todo vapor é um desafio constante na vida de todos nós”, destaca Mota.

Confira abaixo as dicas do CEO da We Do Logos:

1- Preparando seu mailing
O primeiro passo para que uma quantidade razoável de e-mails disparados ao menos chegue nos aplicativos de correio eletrônico dos usuários é usar uma lista de e-mails estruturada e segmentada. Nada de comprar listas prontas, nem enviar e-mail sem o consentimento do cliente. Se seu endereço de e-mail começar a ser identificado como responsável por muitas denúncias de spam por parte dos usuários, pode cair até nas listas negras dos servidores, cuidado! Além disso, é preciso contar com um remetente de e-mail corporativo, no estilo O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..">O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

2- Passando pelos filtros de spam
Algumas das providências acima também ajudam a evitar ser classificado como spam. A dica principal é evitar usar nos assuntos dos e-mails palavras como “grátis”, “promoção”, “compre agora”, etc. Elas são detectadas como indício de spam pelos provedores. Outra dica é criar contas nos principais e-mails, como Gmail, Outlook, UOL e verificar se estão recebendo seus e-mails marketing ou se estão sendo barrados por esses servidores.

3- Aumentando a taxa de abertura
Uma boa estratégia para gerar mais vendas com e-mail marketing é aumentar a taxa de abertura. Para isso, você conta com uma única arma: o assunto do e-mail. Algumas sugestões são: use números e lista no assunto do e-mail (os top 5, por exemplo); acrescente “emoticons”; faça perguntas e desperte a curiosidade do leitor; mostre uma solução; surpreenda; evite assuntos gigantescos e evidencie o conhecimento.

4- Fazendo seu cliente ler o e-mail
Além de um título instigante e que mostre, de cara, o benefício que o cliente vai ter lendo o e-mail, é muito importante tomar cuidado para que ele não fique pesado e lento para abrir. Se isso acontecer, as pessoas vão fechar o e-mail. Não use imagens pesadas e crie o e-mail com código de programação HTML, e não se esqueça de torná-lo responsivo, isto é: abrir sem problemas em smartphones e tablets. Capriche no layout com ajuda de designers profissionais, como os cadastrados na plataforma We Do Logos.

5- Não deletar o e-mail depois de ler
Aqui um pouco de tudo que você já fez vai contribuir para isso. E, principalmente, se sua segmentação do público estiver adequada ao conteúdo do e-mail, as pessoas podem querer guardá-lo para acessar a oferta no futuro ou mesmo indicar para um amigo. Layout, títulos e imagens são importantes também: é o “conjunto da obra” até aqui que fará o e-mail não ser deletado depois de lido!

6- Aumentando a taxa e cliques!
Neste ponto, o Call to Action (CTA) é o fator mais importante para aumentar suas vendas com e-mail marketing. Usualmente eles têm cores fortes e chamativas, como vermelho ou laranja, mas isso não é uma regra obrigatória. Além disso, o texto do Call to Action deve ter um verbo de ação, mostrar um certo senso de urgência e identificar os benefícios imediatos de clicar nele.

7- Landing page
A landing page é a página web para onde seu cliente é direcionado para fazer a compra depois de clicar no CTA. As melhores estratégias para gerar mais vendas com e-mail marketing, neste ponto, além da página ter um layout semelhante ao e-mail e corresponder ao que foi prometido, incluem os chamados elementos de confiança, tais como: selos de segurança (tipo site seguro), depoimentos, avaliações de usuários, notícias sobre a empresa na mídia, lista de clientes, filiais, plantas, montante de receitas e outros números “impressionantes”, acesso fácil às redes sociais e canais de atendimento do tipo SAC e outros.

(*) CEO da We Do Logos