ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

A TI Bimodal e a Indústria de Software

Os rigorosos processos de engenharia, usados como referência no desenvolvimento, se tornam lentos demais em um ambiente em que as oportunidades de negócio surgem e desaparecem em ritmo acelerado

ti-bimodal temporrio

Matthew Gharegozlou (*)

A explosão da conectividade móvel, associada a seus diversos fenômenos agregados, como a ubiquidade do software, a afirmação da nuvem como "o" ambiente das interações e a tendência de consumerização (como algo que veio para ficar) exigem uma revisão completa da forma de operar da indústria de aplicações de software de negócios.
Tal indústria, cuja matriz operacional foi inspirada em princípios de desenvolvimento seguro e altamente controlado (que são típicos da engenharia industrial) está sendo chamada agora a oferecer respostas mais ousadas e imediatas, diante de um mercado de aplicações que não tem tempo de sobra e nem paciência de esperar.
Aliás, não se trata aqui exatamente de paciência, mas de um nível de dinamismo de mercado antes inimaginável no universo do software. Um cenário no qual as oportunidades de negócios móveis surgem no horizonte com uma tremenda rapidez e - não sendo rapidamente aproveitadas através da aplicação adequada - simplesmente perdem o seu timing ou, o que é ainda pior, se perdem para a concorrência.
Seja para o CIO, seja para o desenvolvedor independente (ISV), esta nova situação traz à tona o dilema de se submeter aos demorados rigores do modelo tradicional ou, ao contrário, assumir os riscos inerentes a esta quebra de rigor para acompanhar o ritmo bem mais frenético das demandas por apps.
No paradigma da engenharia industrial, a doutrina tradicional propõe um desenvolvimento em cascata, envolvendo longas etapas independentes e sucessivas de análise, design, implementação e testes para, só então, se partir para a implantação do aplicativo.
Constantemente referenciado também nos manuais de compliance e qualidade de desenvolvimento planejado, este modelo encarna a sábia preocupação com a maturidade máxima do software, mas impõe, em contrapartida, uma taxa de morosidade que torna inviável a competitividade das empresas no mercado de oportunidades móveis.
Não é por acaso, a propósito, que grandes empresas globais vêm perdendo enormes chances de receitas no mundo de negócios digitais para pequenas startups muito ágeis, que saem na frente com suas apps assim que a oportunidade surge. Com espírito muito mais livre que as grandes e com maior aptidão para o risco, estas pequenas empresas empregam métodos não determinísticos de desenvolvimento de software. Além disto, eles não precisam se atrelar às especialidades estanques no processo (como as de analista, projetistas, programadores e testadores de protótipos) e juntam o pessoal de negócios e o pessoal de desenvolvimento numa única jornada de concepção do software.
Com isto, as startups, com pouca experiência e pouco dinheiro, conseguem comer pelas beiradas os novos filões de negócio que aparecem e desaparecem de forma muito rápida diante de grandes organizações que não demonstram a mesma desenvoltura.
A rivalidade entre visões de desenvolvimento - rápido ou determinístico - já é um ponto de grandes discussões, desde o final da última década, mas assumiu feições bem mais visíveis a partir do cenário móvel. E isto a tal ponto que o Gartner, numa tentativa de equacionar o problema, vaticinou ao mercado global que a única perspectiva que resta ao setor de desenvolvedor é assumir um novo modelo "bimodal" para o desenvolvimento de software corporativo.
Na visão proposta pelo Gartner, a ponta mais tradicional da TI pode ser descrita como a "empresarial", voltada para a produção de software com alta excelência de acabamento e com vistas a aplicações com longo ciclo de vida e alta estabilidade.
Em complementação a esta produção "compliant", as empresas precisam assumir urgentemente uma área de "espírito livre", que o Gartner batizou como "TI oportunista". Sem este braço, digamos, "menos regulamentado", não há futuro para o software empresarial diante da grande agilidade das produções independentes.
Mas com esta excelente e bem vinda visão e do equilíbrio em nossa área, o Gartner não deixa de reconhecer as dificuldades que há pela frente. De um lado, a economia disruptiva exigindo o jogo de cintura. De outro, o rigor da engenharia industrial que está no DNA da organização de negócios.
De que modo alcançar o denominador?
É em busca de tais respostas que a indústria global de infraestrutura de software procura mapear e absorver as múltiplas experiências que se valem de conceitos não convencionais de desenvolvimento para a criação de plataformas que poderiam muito bem entrar no conceito "bimodal" proposto pelo Gartner. A Progress, aliás, uma empresa com três décadas de experiência, está há mais de 10 anos nesse processo de vanguarda, que busca abolir as amarras do desenvolvimento tradicional - atrelado a modelos muito fechados - e vem apoiando fortemente as iniciativas open source e de desenvolvimento rápido que hoje servem de referência para o desenvolvimento da nova TI.
Tanto assim que, desde a última década, sua plataforma OpenEdge já dialoga com os novos padrões de dados não estruturados ( e não SQL) e busca levar liberdade para o que desenvolvedor de software corporativo possa encontrar agilidade e custo equilibrado no processo de desenvolvimento mas, claro, sem abrir mão das referências de compliance. E isto bem antes até da manifestação do Gartner nesse sentido.
Ao definir seu próprio futuro e o futuro de todo o mercado como um cenário dinâmico - em nuvem - e dominado pela constante disrupção, as equipes suas equipes de estrategistas da Progress definiram, nos últimos anos, um ousado programa de aquisição de empresas cuja tecnologia pudesse fortalecer o caráter bimodal do seu ambiente de desenvolvimento.
Entre os conhecimentos absorvidos a partir de tais aquisições destacam-se as estruturas de para o desenvolvimento e execução rápida de aplicações de plataforma como serviço (aPaaS), ferramentas de desenvolvimento "push and drag" para desenvolvimento rápido e editores de regra de negócio que, juntos permitem o ganho de rapidez associado à maturidade de software. Exemplo disto foi a supreendente aquisição da Telerik, uma das maiores incentivadoras das tecnologias dos mundos RAD e DevOP, hoje com uma base global de mais de 1,5 milhão de desenvolvedores e 60 mil usuários institucionais e cujo perfil inovador veio intensificar o compromisso que a Progress vinha estabelecendo há vários anos com o novo cenário móvel e em nuvem da TI.
A proposta dos estrategistas da Progress é a de garantir às grandes empresas uma plataforma unificada para todos os propósito da TI fixa ou móvel, física ou virtual, on-promise ou em nuvem, e que seja capaz de responder ao desafio lançado pelo Gartner no sentido de se produzir soluções oportunistas e não atreladas à morosidade do processo industrial. Mas claro, sem perder de vista as exigências de compliance e eficiência para as aplicações perenes.
Ao invés de se criar duas ilhas para estas duas modalidades de software, a solução foi desenvolver a plataforma agnóstica e não convencional da Progress (através da nova Telerik Platform) para conciliar os rigores do ambiente de desenvolvimento em cascata com a exigência de resposta imediata às demandas voláteis dos negócios móveis.
Com o apoio dessa plataforma híbrida, o CIO e os engenheiros de software encontram um ambiente capaz de absorver o conhecimento dos homens de negócio em geral (o CFO, o CMO, CHO, o diretor de vendas) e engajá-los diretamente no processo de planejamento, produção e teste.
Podem também contar com inúmeros frameworks de aplicação de negócios (criados para o mundo lento ou para o mundo rápido) que já foram devidamente testados e referenciados segundo as normas de compliance, e usá-los como componentes de aplicações de negócio também empregadas nos dois mundos.
Quem sabe num futuro muito breve, o Gartner não venha a diagnosticar o uso da TI bimodal como mais um dado banal da realidade do setor, tal como hoje encaramos a realidade da nuvem e da conectividade sem limites.

(*) É Vice-Presidente da PROGRESS para a América Latina e Caribe


Seis questionamentos essenciais para empresas na adoção do Cloud Computing

cloud temporrio

Usar a Cloud Computing define quem está à frente na revolução digital. Porém, muitas empresas ainda pensam nessa transição como um objetivo e não como um meio estratégico para alcançar o crescimento. Para a Avanade, a chave da mudança é expandir o pensamento para além da tecnologia e, por isso, aponta seis questões que devem ser respondidas para entender o contexto da transição para a nuvem:
• Quais aplicações devem ser priorizadas?
• Como criar uma mentalidade de trabalho focada no usuário final?
• Como alcançar consistência nos processos companhia como um todo?
• O que pode ser automatizado?
• Como disponibilizar dados em plataformas móveis?
• Como assegurar transparência financeira e fidelizar o cliente?

Além desses questionamentos, a Avanade ressalta que a mudança para a nuvem depende completamente do contexto de cada companhia. Assim, perceber qual o estágio da organização e iniciar o planejamento para implantação da nuvem é o primeiro passo para ficar mais perto de se tornar um negócio completamente digital.

Para ter sucesso, seja grato

Jack Ma (*)

Recentemente muitas pessoas me fazem a mesma pergunta: "Está ficando cada vez mais difícil fazer negócios agora, ainda ganharei dinheiro se eu abrir uma loja no Taobao?" Um monte de gente vê os outros ganhando dinheiro facilmente no Mercado Taobao, enquanto eles mesmos não conseguem ganhar um centavo e querem desistir. Eles se perguntam se eles iniciaram seus negócios tarde demais

Na verdade, nunca foi fácil fazer negócios! Os empresários têm que empreender um esforço incansável para ter sucesso. Eles passam dia e noite se preocupando com isso e aquilo. Eles sacrificam o tempo com seus amigos e famílias. Seus esforços podem ser simplesmente inúteis. Quando as pessoas dizem que é fácil fazer negócios, eles estão apenas se gabando. Você tem que tomar todos os tipos de riscos em todos os momentos. Exige-se devoção sincera, tanto física quanto mentalmente. Ser rico da noite para o dia só existe em novelas da TV. Você precisa dedicar tempo e esforço a fim de estabelecer um negócio bem sucedido. Gastar tempo e energia não garante o sucesso, porém de outra forma você nunca será bem-sucedido.
Abrir uma loja no Taobao não é diferente. Na verdade, poucos donos de lojas sobreviveram por todos os 13 anos de existência do Taobao. Era muito difícil abrir uma loja no começo. Compradores on-line eram raros, a entrega era ineficiente e o pagamento era um desafio. As pessoas das lojas físicas achavam que era um absurdo aquelas que tentavam a plataforma online. É estranho que todas as pessoas que queriam ser ricas da noite para o dia desistiram ou fecharam suas lojas. Mas aquelas que tinham um interesse em continuar levando as lojas e na comunicação com os clientes foram bem-sucedidas. Muitas delas, que iniciaram com um empregado, estão agora gerenciando centenas de funcionários.
O primeiro elemento deste tipo de sucesso é ter devoção sincera. Você deve ser apaixonado pelo que você está fazendo. Porque quando você tem um coração voltado aos seus próprios produtos e serviços, e você recebe feedback positivo de seus clientes, você fica grato, e você se comunica com eles com paixão e paciência. Acredito que as pessoas que sentem gratidão com os outros estão melhor preparadas para serem bem-sucedidas. Não importa que você falhe da primeira vez, o que realmente importa são as pessoas que estão interessadas em seus produtos e serviços.
O segundo elemento para o sucesso é colocar o seu cérebro para trabalhar. Depois de ter decidido o que fazer, você precisa considerar com cuidado como fazer isso. É vital que pequenas empresas encontrem suas próprias qualidades únicas – ser diferente e se divertir durante o desenvolvimento de seu negócio, para criar conexões com seus clientes. Fazer negócios não é simplesmente comprar e vender, mas sim criar e explorar o mesmo conjunto de valores compartilhado com os seus clientes. Encontrar um cliente que goste de seus produtos é tão valioso quanto encontrar uma alma gêmea. Você não está grato e animado por ter encontrado uma alma gêmea?
O terceiro elemento é dedicar tempo, energia e força física para os seus negócios. A maioria dos empresários exemplares encontram formas de melhorar os seus produtos e serviços onde quer que estejam e a qualquer momento. Eles agarram todas as oportunidades e cada minuto para ouvir seus clientes e funcionários. Eles aprendem com seus erros. Eles encontram esperança quando estão desesperados e eles encontram oportunidades nas suas preocupações. Ao longo dos anos, muitos diziam que o Taobao simplesmente tinha sorte e é verdade que havia elementos de sorte em seu sucesso. No entanto, estamos onde estamos hoje porque nós acordamos cedo, saímos tarde e não dormimos pesado, e tivemos férias muito mais curtas. Lutamos dia e noite e conseguimos nos reerguer de decepções e frustrações.
Então, os negócios são fáceis no Taobao hoje em dia? A resposta é um definitivo "não". Mas você não encontraria um lugar melhor do que o Taobao. Centenas de milhões de compradores on-line visitam o Taobao todo ano. Se você encontrar o cliente certo, você deve perguntar a si mesmo se você trabalhou seu corpo e seu cérebro o suficiente. No passado você estava fazendo negócios para vinte e poucas pessoas e agora você está enfrentando os consumidores do país e o mercado global. Então a questão é, os seus produtos e serviços são exclusivos o suficiente? Você pode identificar suas almas gêmeas entre as centenas de milhões de consumidores? Como você cria fidelidade de cliente entre as suas almas gêmeas?
Quando o Mercado da Taobao foi estabelecido pela primeira vez, esperávamos que ele fosse trazer felicidade para todos. A venda de bens é a felicidade. Quando você tem problemas em vender seus produtos, encontrar os clientes certos trará felicidade a você.
Desde o primeiro dia, o Mercado Taobao não foi projetado para funcionar como um shopping center ou um supermercado. Ao invés disso, estamos criando um estilo de vida compartilhado entre os jovens, através da experiência de compras. É por isso mesmo que as pessoas vão ao Starbucks pela experiência e não pelo café em si. É um estilo de vida. Roupas caras não são feitas para manter pessoas aquecidas, é um modo de vida.
O Mercado Taobao está trazendo inovação, originalidade e criatividade para a vida. Você pode encontrar quase tudo no Taobao. Pelo que tenho visto, muitos comerciantes bem-sucedidos no Taobao são aqueles peculiares que tratam seus negócios como passatempos. Eles enxergam seus negócios como uma maneira agradável de comunicação. Se ninguém estiver comprando, significa que você está fazendo isso de maneira errada. É simplesmente ridículo você achar que pode encontrar almas gêmeas despejando dinheiro em marketing. Você precisa gastar, mas utilizar a sua criatividade para atualizar seus serviços é fundamental.
A era do e-commerce está apenas começando. Nas próximas três décadas, ele irá decolar. No futuro, você pode não estar vendendo bens reais, porém você utilizará a sua criatividade e originalidade, suas esperanças e sonhos, não para encontrar seus clientes, porém para encontrar suas almas gêmeas. O que você precisa aprender não é como fazer negócios, mas como encontrar o seu novo modo de vida. Você não está gerenciando um negócio, você está se tornando sua melhor versão.
O mundo é vasto e o e-commerce ainda tem mais 30 anos pela frente. Vamos testá-lo. E se você conseguir encontrar suas almas gêmeas? Está OK se não estivermos cheios de dinheiro. Nós apenas precisamos encontrar amigos que nos reconheçam.

(*) É Presidente Executivo do Grupo Alibaba.

 
 
 
 
 
Outras Matérias sobre Tecnologia

 

Mais Lidas

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171