Contato: (11) 3043-4171

Empreendedor e os cuidados sobre a propriedade intelectual do software

Levantamento do Ibope Media revelou que o Brasil é o 5º país mais conectado à internet e a previsão é que ainda este ano, o país alcance o 4º lugar, ultrapassando o Japão

pirataria-1200x545 c temproario

Keila dos Santos (*)

De acordo com a Fecomércio-RJ/Ipsos, o percentual de brasileiros conectados à internet aumentou de 27% para 48%, entre 2007 e 2011. O principal local de acesso é a lan house (31%), seguido da própria casa (27%) e da casa de parente de amigos, com 25%.

Portanto, os brasileiros são grandes receptores das novidades relacionadas à internet, programas eletrônicos e aplicativos. Aproveitando a oportunidade de mercado, as empresas de startups e de criação de novos programas eletrônicos estão crescendo e se fixando no país.

Para tanto, estas empresas devem ficar atentas a regulamentação sobre a criação de novos softwares. Isto porque, nem sempre quem é o criador do programa será seu proprietário.

Explica-se: A lei 9609/98, visando garantir a situação da pessoa jurídica e seus investimentos financeiros, estipula que os programas de computador deverão pertencer ao empregador em relação aos direitos relativos durante a vigência do contrato do vínculo empregatício, salvo se estipulado em contrário.

Assim, se o autor do programa trabalha para outrem em caráter de subordinação, caberá ao empregador os direitos sobre o software, inclusive suas derivações e novas versões.

Nos tribunais, a jurisprudência converge no sentido de que os programas elaborados no âmbito do contrato de trabalho pertencem ao empregador, não fazendo o empregado jus a qualquer remuneração excedente ao salário convencionado, de modo que, o programa de computador gerado mediante a utilização de recursos, informações tecnológicas, segredos industriais e de negócios, materiais, instalações ou equipamentos do empregador, pertencem com exclusividade ao empregador.

O principal objetivo da lei é a proteção. Proteger o empregador, em virtude do investimento financeiro decorrente da criação daquele programa. Proteger a indústria da informática, para dar segurança ao sistema como um todo e os investidores na área de tecnologia, para estimular a participação e proporcionar segurança sobre o investimento e seu retorno financeiro. Além de proteger ao Estado, com o recolhimento dos tributos e o consumidor, usuário do software, que tem direito a assistência técnica para o devido funcionamento do programa.

Sendo assim, cabe a empresa a exploração econômica sobre o programa eletrônico criado por seu subordinado, desde que, preenchidos os requisitos. Conclui-se que se o empreendedor verificar oportunidade tecnológica, poderá investir sem preocupação, uma vez que, os direitos sobre o programa a ele são garantidos.

(*) É advogada do escritório A. Augusto Grellert Advogados Associados.


Comportamento de homens e mulheres na hora de comprar tecnologia

As mulheres carregam o estereótipo de que são menos conhecedoras do mundo da tecnologia. Mas uma pesquisa do Ipsos, em nome da Intel mostra que as mulheres possuem um apetite por tecnologia de ponta tão grande, quando não maior, do que o público masculino. As mulheres estão dando cada vez mais importância à compra de equipamentos com tecnologia de ponta, enquanto os homens demonstram um interesse um pouco maior por produtos inovadores, como os vestíveis (wearables, em inglês).
A pesquisa, realizada entre janeiro e fevereiro deste ano, com entrevistas online com mais de mil brasileiros consumidores de tecnologia, levantou informações sobre o hábito de consumo dos brasileiros e seu interesse por novos dispositivos tecnológicos. A tecnologia continua a ganhar cada vez mais importância na vida do brasileiro, que está se preocupando mais com aparelhos de alta tecnologia. Os brasileiros entrevistados demonstram encontrar satisfação plena com dispositivos que aliam desempenho ao design, como os Ultrabooks – computadores ultrafinos e leves com desempenho similar ao de um notebook tradicional. 66% dos donos de Ultrabooks se consideram muito satisfeitos com seu dispositivo. O mesmo acontece com os All in Ones, com 62% dos entrevistados relatando estarem satisfeitos com o device.
Já no caso dos tablets, 45% dos entrevistados se declararam muito satisfeitos com o dispositivo atual. “Muitas pessoas guiaram a compra de seu primeiro tablet exclusivamente pelo preço, e agora elas estão percebendo que nem todos os tablets nascem iguais, e que investir em produtos com tecnologia reconhecida é um ótimo negócio”, destaca Alan Markham, Gerente de Marketing de Produto da Intel.
O que as mulheres querem: tecnologia de ponta para trabalhar e facilitar o dia a dia
As mulheres elegem a praticidade e as facilidades que a tecnologia traz para o seu dia a dia como os aspectos mais importantes que devem ser levados em conta quando se escolhe um novo dispositivo de computação. O apetite feminino por tecnologia de ponta se espalha por diversas categorias de produtos, em especial nos dispositivos que aliam funcionalidade ao design. As mulheres entrevistadas destacam a importância de manterem-se atualizadas com as mais recentes tecnologias na hora de comprar um All in One (45%, contra 39% entre os homens), 2 em 1 (43% contra 35%), e Ultrabooks (empate técnico, com 39% para as mulheres e 40% para os homens).
O interesse das mulheres por novos dispositivos tecnológicos se destaca pelo maior interessa das mulheres pelos All in Ones – a “evolução” do desktop tradicional, que integra todos os componentes no monitor, e funciona como uma grande central de informação e entretenimento dentro do lar. As mulheres entrevistadas reconhecem a importância no All in One por tornar a vida mais fácil (49%, contra 36% dos homens), como ferramenta de trabalho ou atividades profissionais (47% contra 34%) e para fins de entretenimento (32% contra 24%). As mulheres entrevistadas também estão dispostas a investir até 4% mais do que os homens na compra de um All in One.
O que os homens querem: desempenho, produtividade e inovação
Os homens não ficam atrás no apetite tecnológico, embora suas prioridades sejam um pouco diferentes das do público feminino. Os homens entrevistados demonstram estar mais antenados nas últimas tendências da tecnologia, demonstrando mais conhecimento e interesse por produtos como smart watches (32%, contra 25% das mulheres), smart bands (27% contra 21%) e Ultrabooks (71% contra 66%).
O público masculino vê na tecnologia um grande aliado para a produtividade, o trabalho e os estudos, e avalia a importância dos diversos dispositivos computacionais de acordo com os recursos que estes equipamentos trazem para o dia a dia. Os homens dão mais importância aos recursos de produtividade e trabalho dos computadores 2 em 1 (50% contra 44% das mulheres), Ultrabooks (56% contra 51%), tablets (44% contra 31%) e smartphones (52% contra 36%). Os homens entrevistados também estão mais propensos a investir mais em tecnologia do que as mulheres, em especial quando o assunto é dispositivos móveis. Na média, os homens entrevistados investem até 23% mais do que as mulheres na compra de um novo tablet e até 20% mais na compra de um novo smartphone.


Quatro dicas para estudar para o TOEFL e IELTS

Sem-titulo temproario

Para estudar no exterior é necessário ter certificado de proficiência na língua, especialmente se a pessoa fizer um intercâmbio universitário. Entretanto, essas provas não são tão fáceis quanto possa parecer. Os exames são divididos pelas áreas do conhecimento - speaking, writing, listening e reading -, e cada sessão possui um tempo limite para ser feita. Segundo Fernanda Frattarola, fundadora do site Passe no TOEFL, em que ela oferece aulas para quem quer passar nesses exames, o estudo adequado é a chave para obter uma boa nota nessas provas. A profissional oferece algumas dicas para quem quer estudar da maneira correta para os exames do TOEFL e IELTS. Confira:
1. Dedique seu tempo ao estudo:
Pense no inglês como nas outras matérias que você tem na escola ou universidade, e dedique um tempo exclusivo para ele, todos os dias. Comece estudando por meia hora, e vá aumentando conforme você perceber sua necessidade;
2. Exercite seu conhecimento
Falar com seus amigos, ouvir músicas, ler livros, assistir filmes e séries (sem legendas e depois com legenda em inglês), ouvir áudio books e podcasts são atividades que ajudam o idioma a fluir melhor dentro da sua cabeça. Procure, em seu tempo livre, fazer uma ou mais dessas coisas, pois, além de ser divertido, é uma forma diferente de treinar seu idioma;
3. Siga os conselhos de seu professor (a)
É sempre importante questionar e tirar dúvidas sobre determinado conteúdo ou lição, e seguir as estratégias ensinadas pelo professor.
4. Faça exercícios e simulados
No curso preparatório, sempre é reforçada a necessidade de treinar os conhecimentos adquiridos por meio de exercícios e simulados oficiais, encontrados nos sites oficiais das provas. Quem não treina, não guarda o que foi aprendido, e isso prejudica seu resultado na prova.

A tecnologia da informação como aliada das campanhas de incentivo de vendas
em épocas de crise

Lidiane Oliveira (*)

Em tempos de economia instável muito da pressão dos negócios recai sobre a área comercial das empresas. É das vendas que virão os resultados e, para que eles venham mais rapidamente, é sempre importante contar com ferramentas que nos permitam acompanhar de perto o desempenho e os resultados

Nesse momento as campanhas de incentivo às vendas são fundamentais e, para que elas sejam ainda mais efetivas, contar com as ferramentas corretas de tecnologia é essencial. É a tecnologia que vai permitir aos empresários acompanhar em tempo real como andam suas vendas. Por exemplo, uma campanha de vendas pode ser acompanhada dia a dia, mostrando o desempenho de cada membro da equipe. Neste caso, a TI ajuda a incentivar e dar aos profissionais o real posicionamento deles na campanha.
Para que isso aconteça, há uma série de ferramentas que podem ser utilizadas. Entre as principais estão os dashboards, os famosos painéis de gestão, que mostram informações em forma gráfica, permitindo decisões rápidas; um bom software de CRM (Customer Relationship Management) também é importante para que se conheçam bem os clientes; e contar com uma rede social corporativa é importante para que todos possam compartilhar informações e acompanhar o desempenho uns dos outros.
De outro lado, o time de vendas precisa ser bem qualificado. O profissional deve estar atento às oportunidades que chegam para ele. Todos os dias ele precisa acordar e pensar que precisa vender algo. O vendedor precisa ser incomodado e inconformado com os resultados, por melhores que sejam. Tem que ser guerreiro e não se conformar com seu status para que ele possa atingir resultados no final do período. Tem que procurar entender muito do mercado para o qual quer vender. Cada visita é que lhe dá credibilidade e confiança junto ao cliente, e é a confiança que vai garantir suas vendas.
Unindo ferramentas e profissionais estimulados, os resultados certamente virão, mas sempre cabem algumas dicas para que esta parceria flua melhor:
Acessar diariamente as ferramentas existentes, acompanhando de perto seus indicadores;
Preencher e manter atualizadas todas as informações de seus clientes e prospects;
Manter uma agenda coerente, preparando com antecedência as atividades da semana;
Pesquisar constantemente as novidades e lançamentos de sua área de atuação;
Utilizar redes sociais e outras ferramentas para conquistar novos clientes e levantar novas oportunidades.

Quando essas ferramentas são utilizadas de forma correta e assertiva, a expertise profissional se alia a tecnologia empregada em cada campanha, aumentando consideravelmente as possibilidades de sucesso das vendas.

(*) É Gerente Comercial e de Alianças da Central Comercial Sankhya.


Vagas para programador

A Benner, uma das principais fornecedoras de software de gestão do Brasil, anuncia a abertura de mais de 30 vagas destinadas para as operações da empresa em Maringá (PR). Eleita uma das 100 melhores empresas de TI para trabalhar no Brasil por dois anos consecutivos pelo Great Place to Work, a Benner está em franca expansão, em contraste com o atual cenário econômico brasileiro. Em 2014, a companhia teve um crescimento de 27,35% em seu faturamento e estima crescer 42% em 2015 somente no segmento de Saúde. Além destas, estão previstas outras novas vagas a serem preenchidas no segundo semestre.
A empresa contratará profissionais de programação que tenham concluído ou estejam cursando o ensino superior na área de Tecnologia de Informação, com conhecimento nas linguagens Delphi e C#. Além disso, é desejável que os candidatos tenham experiência anterior em desenvolvimento de software e certificações. Estes programadores atuarão na sede da Benner de Maringá, responsável pelo desenvolvimento de software para o mercado Saúde Suplementar.
Os interessados em participar desta e de outras seleções devem enviar seus currículos para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..">O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..


Outras Matérias sobre Tecnologia

 

Mais Lidas

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171