Como o uso de dashboards pode beneficiar o varejo

Como você mede o seu sucesso? Pelo número de vendas? Pela agilidade da sua equipe? Ou está mais ligado à satisfação do seu cliente? Independente da resposta é fato que sem um indicador de sucesso, nenhuma empresa consegue crescer

capabilities data-discovery user-discover-and-share temproario

Marcos Abellón (*)

Cada setor trabalha com um indicador, que reflete qual o principal propósito do seu trabalho. Unindo todos os setores, você tem uma organização que - se bem organizada - funciona como um relógio, com todas as partes contribuindo para um bom resultado.

Para o varejo, isso funciona da mesma maneira. Cada etapa da venda precisa ser bem feita para termos consumidores satisfeitos e uma boa reputação. Mas, independente do tamanho da loja, são muitos detalhes diferentes que precisam ser constantemente analisados. Se um deles sair dos trilhos, todas as outras ações podem ficar prejudicadas.

Uma maneira muito interessante de conseguir acompanhar todos os indicadores necessários para o sucesso da sua empresa é o uso de dashboards. São telas que concentram gráficos e planilhas atualizados em tempo real mostrando a situação da organização ao vivo. Uma loja de roupas, por exemplo, pode analisar quantas peças foram vendidas no dia, como está a situação do seu estoque e qual vendedor está convertendo um número maior de vendas. Basta incluir os dados no sistema e, a cada nova alteração, teremos uma nova visão da loja.

A função primordial do dashboard é facilitar a visualização de dados importantes, permitindo que decisões estratégicas e operacionais sejam tomadas com mais velocidade e segurança. Como resultado, ele traz uma gestão muito mais consciente e atualizada, pois usa a informação como seu princípio norteador. Nada de “achismos” ou “eu faço assim porque sempre fiz dessa maneira”. Cada decisão acontece baseada em dados reais e suas projeções.

Gestores mais apegados às planilhas podem alegar que suas tabelas também são ricas em informação. Mas onde entra a agilidade? A estrutura dos dashboards já foi toda desenvolvida pensando em como economizar tempo. E essa agilidade pode ser determinante para fechar uma venda ou não.

Com todos os dados acumulados com o tempo e o conhecimento do seu negócio sendo ampliado, o empresário pode chegar a um novo patamar na sua gestão: a previsão de tendências baseada em dados. Um dono de restaurante, por exemplo, certamente possui uma noção clara de quais pratos são mais pedidos no seu estabelecimento e, por isso, quais são os alimentos que ele mais precisa comprar. Com o dashboard ele consegue acompanhar em tempo real os pedidos sendo realizados, a efetividade de cada garçom, o tempo médio que o consumidor fica no seu estabelecimento, etc. Com o tempo, ele pode pegar todos esses dados e criar cenários futuros, prevendo o crescimento do seu negócio. Ele pode analisar o comportamento do seu cliente em cada dia da semana ou época do ano, prever suas necessidades de compra e já negociar contratos com fornecedores, conseguindo assim preços melhores.

O dashboard também é essencial para correções rápidas de rota. Com ele, é possível observar com clareza a realização dos processos e seus resultados. Se algum dos indicadores tiver uma mudança súbita, é possível na hora observar quais são seus processos relacionados e já fazer a correção. É agilidade e praticidade à serviço do sucesso empresarial.

O uso da ferramenta permite que lojista, empreendedores e gestores tenham uma visão macro e micro do seu negócio, expandindo sua percepção para novas oportunidades. Mas é óbvio que um profissional experiente e que conheça de verdade o seu negócio conseguirá interpretar de maneira muito mais interessante os dados ali apresentados.

Um bom negócio se faz com muito trabalho e conhecimento. Por isso o uso de dashboards dentro do setor varejista é uma tendência que não para de crescer. Ter o poder da informação imediata sempre ao alcance dos olhos muda completamente a percepção do negócio e coloca a sua empresa entre as grandes líderes do mercado.

Num futuro próximo, os dashboards inteligentes serão construídos dinamicamente para cada usuário seguindo a sua tendência de análise, e mostrando resultados inteligentes que o usuário comum teria dificuldade em descobrir sozinho. Serão os algoritmos matemáticos invadindo os dados para mostrar informação relevante ao usuário final e ajudá-lo na tomada de decisão.

(*) É diretor geral da W5 Solutions, empresa brasileira que desenvolve soluções para prefeituras, BI (Business Intelligence) e aplicativo para pagamento móvel. Mais informações no site: www.w5solutions.com.br.

Aplicativo permite conversação em tempo real em diferentes idiomas

A falta de fluência ou conhecimento em um idioma muitas vezes pode atrapalhar uma nova parceria de trabalho ou adiar uma amizade com um estrangeiro. A solução para que isso não se torne um problema está no aplicativo Greengow, que traduz ligações e mensagens em tempo real. Com essa ferramenta, empresas e pessoas comuns podem ter contato no mundo inteiro sem perder grandes chances por não falar a língua local.
A plataforma permite, por exemplo, que uma pessoa na Irlanda se comunique com uma brasileira e outra francesa ao mesmo tempo. Um diferencial do aplicativo Greengow é manter a entonação pelo áudio, considerando a emoção da conversa.
As empresas que abrem uma conta no aplicativo adquirem um número Greengow que pode ser repassado aos clientes de qualquer parte do mundo. Assim, um estrangeiro pode entrar em contato falando a língua local dele e a empresa receber a tradução em seu idioma. "Esta opção permite que estabelecimentos aumentem suas vendas e negociações sem nenhuma barreira com o idioma ou custos de ligações."
"A ideia é usar a tecnologia para eliminar barreiras de distância e idioma. Assim, você pode conhecer ou trabalhar com com pessoas do mundo inteiro sem precisar viajar ou saber falar uma outra língua, facilitando a comunicação e aumentando parcerias ou vendas através do Greengow", conta Carlos Tanaka, diretor da Greengow.
O aplicativo que permite conversas em até 10 idiomas diferentes, é gratutito e está disponível para download no sistema Android através do Google Play ou IOS pelo sistema Apple Store.

Quais são os limites para o compartilhamento de dados nas redes sociais

midia 1 temproario

Há poucos dias o mundo soube por meio da imprensa sobre uma operação da Cambridge Analytica que, depois de realizar um teste de personalidade via Facebook, reuniu informações de mais de 270 mil usuários e seus contatos para criar uma base com detalhes sobre aproximadamente 50 milhões de pessoas e usa-la para campanhas eleitorais. Isso causou ao Facebook uma desvalorização de US$49,6 bilhões na bolsa de valores em apenas dois dias.
Muitas pessoas se assustaram ao descobrir que reunir tais dados é algo comum às redes sociais e feito de acordo com o regulamento de uso. Ou seja, os usuários aceitaram que isso acontecesse quando - com ou sem conhecimento – concordaram com os termos e condições e, assim, forneceram acesso às suas informações. Além disso, muitas pessoas alegavam não ter conhecimento que esses dados poderiam ser transferidos para outras empresas para fins diversos.
Independentemente do destino dado pela empresa de pesquisa, o dado inicial, disponível nas contas do Facebook, é passível de utilização por terceiros, de acordo com cláusula de propriedade intelectual. Em relação ao conteúdo com direitos de propriedade intelectual, como fotos e vídeos, a rede social solicita em seus termos de adesão que o usuário conceda licença não exclusiva e transferível, com a possibilidade de ser inclusive outorgada a terceiros, isenta de direitos autorais e aplicável globalmente para usar qualquer conteúdo de propriedade intelectual que forem postados no Facebook ou em conexão com Facebook. A licença termina ao excluir o conteúdo ou a conta, a menos que o conteúdo tenha sido compartilhado com terceiros e eles não tenham sido removidos por estas pessoas.
No que diz respeito a manutenção de informações por parte dos aplicativos, a rede social explica em seus termos que um aplicativo terceiro “pode pedir permissão para acessar seu conteúdo e informações, bem como o conteúdo e as informações que outras pessoas compartilharam com você”. O que significa que, ao assinar o serviço do Facebook, o usuário concede a permissão para a utilização de seu nome, imagem de perfil, conteúdo e outras informações.
Tudo isso parece bastante assustador para um usuário comum e desavisado. No entanto, é importante saber que redes sociais como o Facebook e outras sempre deixam claro em seus termos que, quando o usuário seleciona um público específico para seu conteúdo ou informação, essa escolha será respeitada. Portanto, ao entrar nas configurações do aplicativo e adequar suas preferências de privacidade, isso protegerá a maior parte de suas informações pessoais.
Para evitar situações desconfortáveis, é fundamental e imprescindível primeiramente a informação. Os usuários precisam ter conhecimento dos termos e condições que estão aceitando ao usar qualquer aplicativo ou enviar informações pessoais em uma rede social. A ideia não é se tornar paranoico, mas simplesmente estar ciente do que acontece com a informação e agir em conformidade. Os usuários devem saber onde eles compartilham dados e quais permitem que sejam expostos.
A questão é ser inteligente na utilização das mídias sociais, optando por configurações de privacidade que protejam suas informações de terceiros e também estar sempre ciente de termos e condições de cada uma das contas que possui, para assim evitar surpresas desagradáveis.

(Fonte: Camilo Gutierrez, Chefe do Laboratório da ESET América Latina).

Trabalho remoto: uma tendência?

Amanda Alvernaz (*)

Você acredita no trabalho remoto? Apesar de muitos ainda serem resistentes a mudanças na forma como as pessoas trabalham hoje em dia, o trabalho de forma remota está ganhando cada vez mais adeptos no Brasil

A qualidade de vida que se ganha quando sabe-se administrar o tempo sem precisar ficar determinadas horas em um escritório compensa e, dependendo do tipo de trabalho realizado, cada vez mais essa prática tende a ser comum em razão da globalização das empresas. Sem contar que trabalhar em home office oferece oportunidades incríveis para o crescimento pessoal e profissional.
Uma pesquisa sobre o O Futuro do Trabalho mostrou que mais de 40% dos entrevistados já pratica o home office em suas organizações, além disso, mais da metade deles afirma que o trabalho remoto aumenta a produtividade, tanto que mais de 1/3 das empresas pesquisadas tem a intenção de promover o trabalho remoto nos próximos 12 meses. Uma preocupação que muitas pessoas ainda têm é com relação a produtividade e de como se organizar trabalhando de forma remota. Afinal, como devo colaborar com meus colegas remotos? Como funciona? Conseguirei me organizar como se estivesse dentro do escritório?
Se você quer ter sucesso com o trabalho remoto, então siga essas seis dicas:

Tenha um local apropriado para trabalhar
É muito importante ter um canto dedicado ao trabalho. Seja um pequeno escritório ou uma mesa organizada em algum cômodo da casa, é fundamental não trabalhar da cama ou do sofá, por exemplo.
Com um cantinho organizado para o dia a dia no trabalho, a pessoa poderá organizar melhor e ainda preparar o espaço para as conferências online ou qualquer tipo de interação que tenha que fazer no espaço.

Estipule regras para participação de videoconferência
Outra dica vale justamente para as conferências: se todos estão participando de uma reunião em vídeo é importante que todos se conectem através do seu computador mesmo que apenas uma pessoa esteja remota e os outros no escritório.
A importância de cada um se conectar em seu computador e ligar a sua câmera de vídeo é para facilitar a conexão entre os participantes para que eles possam observar suas expressões e gestos durante a reunião.
Apesar de estar trabalhando remoto, a ideia aqui é que haja uma conexão profissional durante a interação porque, ao aparecer na câmera, passará uma impressão mais enfática com relação aos pontos de vistas e ideias abordadas durante a reunião online. Seja transparente e produtivo: tenha uma ata pré-definida e aberta para todos antes da reunião e escolha um líder da reunião para ter certeza que tudo será abordado dentro do tempo estipulado.

Defina horários específicos para o lazer ou simplesmente relaxar
Outro fator que faz toda diferença na produtividade é que o tempo de deslocamento é nulo e aquelas horas antes perdidas no trânsito, poderão ser utilizadas para produzir algo novo e melhor conciliar o tempo livre para lazer. Assim, é possível aproveitar as horas que serão economizadas e ter tempo para fazer exercícios físicos, por exemplo.

Defina as ferramentas de colaboração
A tecnologia está cada vez mais diminuindo a barreira do trabalho remoto. Ela é imprescindível para que empresas promovam um ambiente colaborativo e produtivo entre colaboradores híbridos (remotos e que trabalham no escritório), seja por meio de chats, ferramentas de colaboração ou de vídeo conferência online.
Para ajudar nessa organização diária de forma remota, existem diversas ferramentas que, de forma colaborativa. orientam as pessoas a otimizar o fluxo de trabalho. Sejam projetos, gerenciamento de equipe ou até simples atividades diárias, basta escolher a ferramenta que se adequa melhor ao ambiente e tipo de trabalho.
Essa tendência, das empresas começarem a adotar a prática do trabalho remoto, se dá principalmente porque as pessoas estão em busca de mais autonomia, menos tempo perdido para se locomover até o local de trabalho, e principalmente, um melhor equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional.
No começo, a mudança de rotina para trabalhar remotamente pode parecer solitária, mas planejando e organizando as tarefas do dia a dia, é possível sim trocar as conversas na copa por um encontro pessoal e online com seus colegas depois de ter finalizado o trabalho de forma remota.
Abraçar o trabalho remoto é um valor do Trello e acreditamos que o home office pode ajudar as pessoas a se desenvolverem e aperfeiçoarem-se, e isso não só profissionalmente, mas pessoalmente também. Começamos com uma pequena equipe baseada em um escritório em Nova York, e hoje aproximadamente 65% da equipe que atua no Trello é remota.

(*) É responsável pelo Marketing do Trello no Brasil. A ferramenta tem como objetivo transformar a forma como as pessoas se organizam, trazendo uma nova perspectiva para a colaboração em equipe e execução de seus projetos e tarefas. Recentemente a empresa criou uma campanha para incentivar o trabalho remoto no Brasil.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Outras Matérias sobre Tecnologia

 

Mais Lidas