Contato: (11) 3043-4171

Cinco dicas para escrever melhor para a internet

Escrever para a internet não é uma tarefa fácil. Além da dúvida de se os textos estão realmente atingindo as pessoas e sendo lidos, há também a sensação incômoda de não saber por onde começar

redacao temproario

Para quem também passa por este dilema, saiba que certamente não está só. Confira 5 dicas para escrever melhor para a internet:

1. Defina o tópico: antes de começar a escrever, é preciso saber sobre o que escrever. O ideal é tentar escrever sobre um tema de gosto pessoal e de amplo conhecimento, pois isso ajuda a demonstrar domínio, dando credibilidade ao material.

2. Conheça seu público: compreender bem para quem você está escrevendo pode ajudar a criar conexões reais com os leitores. Por isso, o autor do artigo deve ter uma noção mais clara sobre as pessoas que acessam os textos, a fim de gerar empatia junto ao público. Mostrar que se importa é o primeiro passo para fazer as pessoas visitarem e retornarem ao site.

3. Organize o conteúdo: o fluxo de ideias geralmente não é organizado. Mesmo ideias desconexas ou fora de ordem podem se tornar um bom texto. Vale anotar tudo para, em seguida, complementar o que está escrito e colocar numa ordem lógica. Leia tudo, do início ao fim, para corrigir erros e completar o artigo, inclusive adicionando subtítulos.

4. Revise: por mais que se tenha lido e relido o texto, é bem provável que ainda precise de uma revisão final antes de ser publicado ou enviado para a aprovação. Procure se distanciar um pouco e retornar um tempo depois para a revisão final, pois isso ajuda a encontrar erros não vistos antes. Leia minuciosamente cada frase para ter certeza de que não há erros de ortográfica e gramática.

5. Dê um título: ao escrever um texto, é comum dar a ele um título. Porém, ao longo do trabalho de escrita, o artigo pode tomar rumos diferentes do imaginado a princípio. Por isso, vale a pena verificar se o título dado inicialmente ainda condiz com o texto.

6. Use técnicas de SEO: Aplicar regras de otimização de textos utilizando técnicas de SEO (Search engine optimization) pode ajudar a alavancar ainda mais a sua estratégia de criação e gestão conteúdo para a internet. Os mecanismos de busca adoram textos bem organizados, e principalmente, já otimizados.

Fonte: Freepik.

“Aplicativo espião” monitora o uso de dados móveis em linhas corporativas

Com o advento da internet e a influência da tecnologia 5G chegando em nosso país, fica claro que temos um futuro voltado para o uso excessivo de dados móveis para comunicação. A internet facilita muito no nosso dia a dia, seja para pesquisas ou até mesmo, entrar em contato com clientes, porém, o uso sem controle desse recurso pode impactar negativamente na produtividade no ambiente de trabalho.
Foi pensando nisso que a WeAudit desenvolveu o 2Audit, um aplicativo para celular disponível para Android que auxiliará no controle e gestão desses dados.
Por falta de conhecimento muitas empresas acabam não fazendo gestão de seus dados, pagando assim, valores absurdos e contratando franquias desnecessárias sem saber se os funcionários estão utilizando os dados para uso pessoal ou efetivamente para trabalho.
O 2Audit tem como principal função fazer a leitura e detalhamento do uso de dados dos aparelhos móveis de funcionários de empresas e seus objetivos são: auditar o uso e cobrança de dados pelas operadoras e entregar ao gestor um relatório interno de produtividade da equipe.
Para o funcionamento é necessário que tanto os gestores quanto funcionários tenham o aplicativo baixado em seus aparelhos, logo após isso, os dados vão para o software da WeAudit onde o cliente terá acesso a todas as informações de como, quando e quanto está sendo o uso de dados por cada membro da equipe dele.
“O aplicativo foi pensado para as empresas possuírem maior controle do uso de aparelhos móveis e com isso usufruir dos benefícios que essa gestão pode gerar de forma a favorecer a comunicação, praticidade e aumento da produtividade das empresas”, informa o fundador da WeAudit Tiago Hungria.
A expectativa da empresa em relação ao 2Audit é atrair e fidelizar clientes oferecendo um serviço único e diferencial do mercado, pois com o aplicativo será possível melhorar gestões e a produtividade dos funcionários, além claro, de inibir o uso indevido e melhorar a eficiência de uso de dados.
No Brasil, o setor de telefonia possui um dos serviços mais caros do mundo e apenas 2% das empresas brasileiras possuem algum tipo de auditoria (http://weaudit.com.br).


Boletos podem gerar problemas para empresários

69116-entregar-ate-1402-16h-saiba-como temproario

A emissão de boletos é uma atividade cotidiana para as pequenas e médias empresas. Apesar de ser um dos métodos de pagamento preferidos das lojas on-line - que muitas vezes oferecem até mesmo um desconto para o cliente que paga com boleto - a prática pode trazer custos “escondidos” para os empresários. E como cada centavo é importante, principalmente quando estamos começando um novo negócio, precisamos ficar espertos para evitar estes gastos desnecessários.
Quando uma empresa emite um boleto, o banco cobra uma taxa que varia entre R$ 3,00 e R$ 5,00. Até aí, nenhuma novidade. Esse é um custo que existe e que já deve fazer parte da programação financeira de toda empresa. O problema começa quando um mesmo boleto começa a gerar diversas cobranças de taxa.
Digamos que seu cliente fez uma compra e pediu para realizar o pagamento via boleto. Só que, por um motivo qualquer, ele não conseguiu finalizar a operação na data estipulada. Ele então pede a geração de um novo boleto, com outra data de pagamento. Resultado? A empresa precisa pagar por dois boletos para a mesma compra. E se o cliente faz o pedido, gera um boleto, mas não finaliza a compra? Novamente o prejuízo fica por conta da empresa.
Na prática, o banco tem total poder sobre a geração de boletos. Ele define o valor, quanto tempo demora para ser compensado e a forma de pagamento para o empresário. Isso facilita o surgimento dos “custos fixos escondidos”. Cancelamentos, alterações de datas, gerações de novos boletos para uma mesma compra: tudo entra sorrateiramente como uma nova cobrança para o seu negócio.
Esses custos escondidos podem gerar gastos desnecessários consideráveis. Ás vezes comparando o valor da taxa ao valor da venda, pode parecer insignificante, mas somando todos os gastos, taxas e impostos pagos pelas pequenas e médias empresas no nosso país, percebemos que cada centavo vale muito.
Felizmente, existe uma maneira de fugir desses custos. Uma possibilidade é trabalhar com sistemas de gestão empresarial que ofereçam esse serviço. Já existem no mercado sistemas com valores acessíveis para pequenas e médias empresas que trabalham com módulos específicos para emissão de boletos.
Cada sistema oferece diferentes benefícios, mas acho importante o empresário optar por um módulo que diminua seus gastos e que realmente facilite o dia a dia da empresa. Já temos soluções que oferecem ao pequeno negócio a possibilidade de pagar apenas pelos boletos que forem compensados, evitando assim que o acúmulo de taxas escondidas. Na prática, a emissora do boleto compensa para o empresário, no período previamente combinado, o valor da venda menos a taxa referente aquele boleto. Isso é ótimo para evitar surpresas desagradáveis na hora do fechamento.
Também é interessante a facilidade oferecida pelos sistemas que funcionam sem arquivo de remessa e retorno, atuando de forma integrada com o módulo financeiro e controle de recebimentos. Isso diminui a quantidade de arquivos da empresa e, consequentemente, o retrabalho. E nós sabemos como é importante eliminar trabalhos repetidos para que seus colaboradores fiquem mais motivados e consigam focar no que realmente traz lucro para a sua empresa.
Com pequenos cuidados, podemos aumentar os ganhos de empresas de qualquer porte. Esses gastos escondidos, quando reunidos, podem ser o diferencial para sua empresa crescer ou passar por tempos difíceis. Ser um empreendedor é um trabalho de dedicação e são esses pequenos aspectos que determinam quem será bem sucedido.

(Fonte: Robinson Idalgo – fundador da SoftUp – empresa brasileira criadora do sistema de gestão* (ERP) grátis. Mais informações no site: www.sistemagratis.com.br <http://www.sistemagratis.com.br/>;
<http://www.sistemagratis.com.br/>;)

Monitoramento dos indicadores técnicos aos critérios de negócio aumenta o retorno dos projetos

Breno Henrique Marcantonio (*)

Gestão financeira de TI, reputação da empresa, estratégia competitiva e outras prioridades empresariais definem objetivos do gerenciamento da infraestrutura de informações

O marketing pluga apps ao banco de dados, os diretores acessam dashboards no tablet, o comercial publica novos formulários, outros departamentos contratam suas próprias aplicações as a service, e ainda assim o empresário questiona “por que a TI gasta tanto”.
Em uma conjuntura em que as companhias olham com mais urgência para sua eficiência operacional, ao mesmo tempo em que a competitividade passa a depender mais de serviços digitais, os projetos de TI são as bases dessas melhorias. O monitoramento da infraestrutura, nesse contexto, é fundamental tanto para garantir a disponibilidade necessária dos serviços quanto para proteger ou até aumentar o retorno dos projetos.
Há alguns anos, o próprio crescimento orgânico – volume de dados, upgrades para versões mais pesadas e inclusão de usuários – já exigia um bom acompanhamento, para não saturar a infraestrutura. Hoje, as demandas são mais diversas e surgem em um ritmo mais forte. O profissional de gerenciamento de TI tem que lidar com um ambiente mais complexo e cheio de interdependências, necessário para dar conta dos atuais desenhos de negócios.
Uma interação eficaz entre o planejamento empresarial e o gerenciamento de TI pode contribuir muito para mitigar riscos, racionalizar os custos e dar uma visão realista de retorno.
Calendário de negócios e processos críticos – planejar as implementações e deixar para outra etapa as premissas de monitoramento de infraestrutura sai mais caro. Quando o mapeamento das funcionalidades de negócio e o capacity planning são construídos de forma integrada, os parâmetros técnicos ficam sob medida, o que minimiza potenciais surpresas no pós implementação.
Interdependências – Em tempos em que a arquitetura de software é cada vez mais sustentada em APIs, microsserviços e uma infinidade de interconexões, há muito mais elementos que podem ser afetados ou afetar a disponibilidade e desempenho dos serviços. A identificação da causa raiz de qualquer degradação fica mais complexa, mas também mais necessária. Monitorar toda esta cadeia interdependente faz toda a diferença para garantir o funcionamento dos serviços.
Gestão de mudanças – enquanto buscam a “transformação digital”, com novas arquiteturas, aplicativos etc., o legado continua sustentando parte do dia a dia. A coexistência é necessária durante um período de transição. Gerenciar e monitorar o novo e sua coexistência com legado, bem como controlar e desativar os serviços pós-transição é fundamental para um ambiente de TI sustentável.
Vulnerabilidades – o ritmo dos projetos e a relativa autonomia das áreas de negócios têm deixado pontos de vulnerabilidade que podem causar degradação dos serviços ou até mesmo desastres. Embora as atividades de gerenciamento de infraestrutura e prevenção a ameaças tenham escopo peculiar a cada uma, a monitoração de TI tem muito a contribuir. Por exemplo, um indicador atípico de sobrecarga a um componente de TI ou um alto acesso a um sistema pode sinalizar um potencial incidente ou vulnerabilidade de segurança. Novamente, aperfeiçoar cada vez mais o sistema de monitoração, para fazê-lo perceber comportamentos fora de um padrão, pode evitar incidentes e até apoiar em uma ação de correção de vulnerabilidade.
Aspectos técnicos e financeiros da nuvem – a decisão do que levar para a nuvem não é simples e se devem ponderar vários fatores. Primeiro, é preciso ter um mapeamento preciso dos recursos físicos e financeiros consumidos no ambiente de TI on premise e entender qual o crescimento orgânico e de novos negócios da sua empresa. Depois, é necessário analisar as soluções em nuvem, seus custos, benefícios, etc. Com essas informações, é possível definir quais soluções podem ou têm prioridade de ir para nuvem, conforme a estratégia de negócio.
A monitoração é uma ferramenta importante para o bom funcionamento do negócio das empresas. Esta ferramenta deve ser acoplada à grande maioria dos serviços de TI, inclusive nuvem, para garantir disponibilidade desses serviços. A monitoração é o guardião que trabalha 24x7 vigiando a entrega de serviços de TI aos negócios da sua empresa.

(*) É diretor de serviços da Service IT.

 
 
 
Outras Matérias sobre Tecnologia

 

Mais Lidas

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171